quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Madre Teresa de Calcutá

FAMÍLIA

A família que reza unida permanece unida, e se eles ficam unidos, eles se amarão um ao outro como Deus amou cada um deles. E trabalho de amor é sempre trabalho de paz.



Poema da Paz
O dia mais belo? Hoje
A coisa mais fácil? Equivocar-se
O obstáculo maior? O medo
O erro maior? Abandonar-se
A raiz de todos os males? 0 egoísmo
A distração mais bela? 0 trabalho
A pior derrota? O desalento
Os melhores professores? As crianças
A primeira necessidade? Comunicar-se
O que mais faz feliz? Ser útil aos demais
O mistério maior? A morte
O pior defeito? O mau humor
A coisa mais perigosa? A mentira
O sentimento pior? O rancor
O presente mais belo? O perdão,
O mais imprescindível? O lar
A estrada mais rápida? O caminho correto
A sensação mais grata? A paz interior
O resguardo mais eficaz? O sorriso
O melhor remédio? O optimismo
A maior satisfação? O dever cumprido
A força mais potente do mundo? A fé
As pessoas mais necessárias? Os pais
A coisa mais bela de todas? O amor

2 comentários:

  1. Senhor Padre:
    Saudo-o com amizade.
    Desde há bastante tempo visito o Asas da Montanha que tenho nos meus favoritos. Pelo Asas soube que a sua paróquia tem agora este blog que também tenho visitado.
    Antes de mais, peço desculpa pela minha opinião, mas penso que todos teríamos a ganhar se mantivesse apenas o Asas da Montanha. Agora há dispersão de assuntos, pois trouxe para este a temática religiosa e no outro ficaram temas vários. Gostava mais como era antigamente. Mas é a minha opinião...
    Mas não foi para isto que lhe escrevo. Queria pedir a sua ajuda como sacerdote para nos ajudar (a mim e outros cristãos que no emprego se debatem hoje com uma série de interrogações para as quais não têm resposta).
    De facto as pessoas colocam as mais variadas questões, porque hoje põe-se tudo em causa. E a nossa preparação é muito fraca.
    A religião não passa de uma invenção humana... Os padres não fazem o que a Bíblia diz... As riquezas do Vaticano... A Igreja contra o progresso, entre muitas outras.
    Se pudesse ir publicando uns posts que nos ajudassem a darmos respostas capazes a quem nos interrogava, seria muito bom.
    Com os melhores cumprimentos.
    Joaquim Santos

    ResponderEliminar
  2. Caro visitante, saúdo-o e agradeço a sua presença e o comentário.
    A sua opinião em relação à criação deste blog não é única, pois algumas pessoas têm manifestado opinião parecida.
    A intenção penso que foi boa: separar as águas. O Asas ficaria um blog pessoal, do cidadão; enquanto que o Paróquia de Tarouca ficaria como espaço aberto à fé, à partilha, à vida paroquial. Infelizmente a adesão não tem sido a esperada e a partilha tem sido mínima. Vamos ver...
    Quero felicitá-lo pelo empenho em desejar ser apóstolo no meio do mundo.Aliás é essa a essência do apostolado dos leigos.
    Mais do que as palavras sábias, ou discursos teológico/filosóficos bem elaborados, o mundo tem fome de testemunho e é essencialmente esse que desinqueta e toca as pessoas.
    Irei, sempre que possível e na medida em que seja capaz, ter em conta a temática solicitada.
    Por fim, acho muito bom que os leigos sintam necessidade de formação e a exijam à hierarquia. Têm esse direito. Mas também o dever de formação.
    Fica também o desafio aos leitores. Tentem responder e partilhar, tendo em conta as inquietações formuladas pelo visitante Joaquim Santos.
    Abraço amigo,
    P.e Carlos

    ResponderEliminar