quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Qual a diferença entre o 'Credo antigo' e o 'Credo moderno'?

Senhor Padre, gostava muito do "Credo antigo", mas agora só se ouve e só se reza o "Credo moderno".
A Igreja retirou o "Credo antigo"?
José Domingues

Caro visitante, agradeço a sua visita e a questão que coloca.

O Credo que é costume proclamar nas Eucaristias da maior parte dos lugares chama-se Credo Niceno-Constantinopolitano, porque é uma formulação dogmática e litúrgica que ficou selada pela reflexão teológica do Concílio de Niceia (em 325) e do Concílio de Constantinopla (em 381). Mas antes desse existia já o Símbolo dos Apóstolos, bem mais antigo, que segundo a tradição é uma formulação que vem mesmo do fim dos tempos apostólicos, por volta do fim do primeiro século. Em muitos lugares as pessoas estão mais habituadas a “rezar” este e chamam-lhe mesmo “o credo antigo”.
Como vê, ambos são antigos. O mais recente data do século IV.
A Igreja mantém os dois, claro. E ambos podem ser rezados, na Missa ou fora dela. E existem outros "Credos", como o Credo Do Povo De Deus, do Papa Paulo VI.

Fica aqui o Símbolo dos Apóstolos (a que o visitante chama "credo antigo"):

Creio em Deus, Pai todo-poderoso, Criador do Céu e da Terra;
e em Jesus Cristo, seu único Filho, Nosso Senhor,
que foi concebido pelo poder do Espírito Santo;
nasceu da Virgem Maria;
padeceu sob Pôncio Pilatos,
foi crucificado, morto e sepultado;
desceu à mansão dos mortos;
ressuscitou ao terceiro dia;
subiu aos Céus, onde está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso,
de onde há-de vir a julgar os vivos e os mortos.
Creio no Espírito Santo,
na santa Igreja Católica;
na comunhão dos Santos;
na remissão dos pecados;
na ressurreição da carne;
na vida eterna.
Amen.

Repare!
O Credo foi constituído pelos Apóstolos e seus primeiros sucessores, a fim de que o povo cristão guardasse, de memória, os principais pontos da fé católica revelados por Jesus Cristo.
O credo é uma fórmula doutrinária ou profissão de fé. A palavra "CREDO" significa creio.

Deixo agora também o Credo Niceno-Constantinopolitano, aquele que normalmente é rezado na Missa e a que o amigo visitante chama 'Credo moderno'.


Creio em um só Deus,
Pai todo-poderoso,
Criador do céu e da terra,
de todas as coisas visíveis e invisíveis.
Creio em um só Senhor, Jesus Cristo,
Filho Unigénito de Deus,
nascido do Pai
antes de todos os séculos:
Deus de Deus,
Luz da luz,
Deus verdadeiro de Deus verdadeiro ,
gerado, não criado,
consbustancial Pai.
Por Ele todas as coisas foram feitas.
E, por nós, homens,
e para a nossa salvação,
desceu dos Céus.
E encarnou pelo Espírito Santo,
no seio da Virgem Maria,
e se fez homem.
Também por nós foi crucificado
sob Pôncio Pilatos;
padeceu e foi sepultado.
Ressuscitou ao terceiro dia,
conforme as Escrituras;
E subiu aos Céus,
onde está sentado à direita de Deus Pai.
De novo há de vir, em sua glória,
para julgar os vivos e os mortos;
e o Seu reino não terá fim.
Creio no Espírito Santo,
Senhor que dá a vida,
procede do Pai e do Filho;
e com o Pai e o Filho
é adorado e glorificado:
Ele que falou pelos profetas.
Creio na Igreja
Una, Santa, Católica e Apostólica.
Professo um só baptismo
para remissão dos pecados.
Espero a ressurreição dos mortos;
E a vida do mundo que há-de vir.
Amen.

3 comentários:

  1. Muito obrigada pelo post..esclareceu a minha dúvida. Aprendi sempre o Credo "antigo" ...

    ResponderEliminar
  2. Peco desculpas mas não concordo. No tempo da minha avo já falecida as missas antigamente eram celebradas com véus na cabeça das senhoras indicando sinal de pureza e de que só a mulher e criadora. O padre virava-se de costas para o púlpito e rezava a missa em latim e o credo usado naqueles tempos idos era o que o senhor padre denomina de Niceno-Constantinopolitano. E isto passou-se de geração em gera cão, inclusive nas celebrações das missas em Espanha ainda e utilizado estE credo.
    Depois começaram a introduzir o credo mais abreviado para facilitarem o tempo do culto e as pessoas poderem facilitar as suas vidas pois ninguém mais se interessa em frequentar as igrejas como antigamente perdendo-se assim as características e os dogmas da f'e e a aproximacao com Deus. Novamente peco desculpas se feri a sucetibilidade de alguém mas as coisas devem ser expostas e que não fiquem duvidas. Como se explica então esta diferença na pratica do culto antigo e o porque de esse chamado credo dos apóstolos nunca ter sido mencionado nas .cartas aos apóstolos após a morte de Cristo na Biblia?

    ResponderEliminar
  3. .nada de Deus precisa ser mudado é perfeito pôr do próprio

    ResponderEliminar