domingo, 15 de julho de 2018

Julho - Continuam as Festa na Paróquia

Foto de Centro Paroquial Santa Helena.
22 de julho - Cristo Rei às 12h, na sua Capela
29 de julho - Santa Apolónia às 12h , na sede da Associação
 
Pede-se a todas as pessos naturais ou residentes no Castanheiro do Ouro que não faltem à Eucaristia em honra de Santa Apolónia em 29 de julho, às 12h.
Há um assunto muito importante a tratar, como verão!

Em Cristo Rei com os Escuteiros

No próximo domingo, realiza-se a Festa de Cristo Rei, decorrendo, por isso, a Novena preparatória. Neste contexto, o pároco presidiu à Missa com Novena em Cristo Rei pelas 16h.
Uma vez que os Escuteiros do 1006 de Tarouca acamparam em Santa Helena neste fim-de-semana, deslocaram-se a Cristo Rei para participarem na Eucaristia. É um circuito turístico serrano muito interessante e que vale a pena fazer. Pena não estar alcatroado... Como os escuteiros têm uma relação profunda com a natureza, imagina-se quão importante tenha sido para eles fazer este passeio.
Apresentaram-se, como sempre, impecavelmente e acompanhados dos seus chefes. O escutismo é uma escola de excelência para a vida. Parabéns a eles e aos seus chefes. Força, 1006!
Cristo Rei é um local de eleição. Pelo silêncio falante da Serra, pela paisagem concentrada  e envolvente, pela paz que aí se respira, pela pureza das suas fontes, pela beleza da Imagem que nos fala do abraço de Cristo à humanidade.
Terminada a Missa, por causa do plano estabelecido para o acampamento, os escuteiros regressaram, enquanto as restantes pessoas prosseguiram com o terço e a adoração ao Santíssimo Sacramento.
Que Cristo Rei reina na nossa vida. No cajado da nossa fé, nas sandálias da nossa esperança e na túnica da nossa caridade.
Que Cristo reine no respeito  pela natureza, quadro belo saído do poder de Deus, na alegria serena com que partilhamos a vida, no respeito profundo para com o próximo na vida real ou virtual, no cumprimento convicto dos nossos deveres, na luta persistente pelo mundo novo que há-de vir.

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Continuam as obras de restauro na Capela de São Tiago


Belíssima pintura dos finais do séc. XVII! Estava completamente escurecida, indecifrável. Graças às obras de restauro, pode ser agora contemplada por toda a gente. Pintura maravilhosa!
De resto, como se pode verificar pelas fotos, prosseguem as obras de restauro do altar que se encontrava em completo estado de deterioração.
Para o dia 25 de julho, festa de São Tiago, esperamos que esteja tudo pronto. Porventura, por falta de tempo, ficaram a faltar os gavetões que serão implantados a seu tempo.
Mais uma recuperação nesta paróquia. Só preservando o passado, merecemos o futuro.

terça-feira, 10 de julho de 2018

A discriminação de que são alvo os cristãos na Europa

O  Papa Francisco  diz que existem dois tipos de perseguição anticristã. A primeira é aberta, como se vê em locais como o Paquistão, e é clara, explícita e inegável. A segunda é “perseguição bem-educada (…) disfarçada de cultura, de modernidade ou de progresso”.
A perseguição aos cristãos na Europa divide-se em duas categorias com nomes mais coloquiais: “Apertar” e “esmagar”. Os apertos estão a transformar-se num fenómeno internacional, como se vê por estas discrições, (…): “Em França, um farmacêutico foi sancionado por se recusar a vender um DIU, um aparelho abortivo. Parteiras suecas que se recusam a participar em abortos perderam os recursos por despedimento injustificado e tiveram de pagar custas de tribunal. Um lar católico na Bélgica foi multado por impedir que os médicos administrassem uma injecção letal e outro na Suíça foi ordenado a permitir o suicídio assistido nas suas instalações, sob pena de perder os apoios estaduais”.
Mas os casos de esmagamento são ainda mais preocupantes. Muitos envolvem ataques por parte de muçulmanos a membros do clero ou a pessoas que ostentam cruzes ou outros artefactos religiosos. Se apenas ouve as notícias dos media generalistas, dificilmente saberia que estas coisas acontecem, a não ser que surja um caso impossível de ignorar, como o assassinato, em 2016, do padre Jacques Hamel, em França, às mãos de dois extremistas muçulmanos.
“Os líderes de opinião devem ter noção da sua responsabilidade em formar um discurso público tolerante, e devem evitar estereotipar negativamente os cristãos ou o cristianismo. Os artistas devem respeitar os locais e os símbolos religiosos, tendo em conta que o objecto da sua arte poderá ser muito sagrado para os fiéis”.
Fonte: aqui

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Parafraseando o salmista, também podemos dizer "pegue-se a minha língua ao paladar se me esquecer de ti, Santa Helena!"

A maioria das pessoas que se instalaram em Santa Helena durante a novena e outras que para o efeito se deslocaram à Serra de Santa Helena, participaram hoje na chamada "Missa de Ação de Graças", celebrada na Capela de Santa Helena pouco depois das 12 horas.
A Eucaristia (Missa) quer dizer Ação de Graças a Deus por, com e em  Seu Filho Jesus Cristo.
Mas percebemos o sentido. Particularmente queremos dar graças a Deus porque tudo correu bem durante a novena e a festa.
É sempre o momento que causa emoção. Porque agradecer e louvar a Deus é também reconhecer e louvar o esforço de tantos em prol de todos. Todo o bem procede de Deus.
Depois as pessoas juntam-se todas e partilham uma refeição fraterna, cada um contribuindo com o que tem e pode. Ninguém é excluído, todos são bem-vindos.
Enfim, é a beleza e encanto de Santa Helena que só compreende quem vive por dentro como bem dizia o pregador da novena, também ele marcado pelo ambiente humano e de fé que se respira por estas altura na Serra.
Parafraseando o salmista, também podemos dizer "pegue-se a minha língua ao paladar se me esquecer de ti, Santa Helena"!

Ver e rever a Novena e Festa de Santa Helena 2018

Obrigado, Diogo! És uma pessoa 5 estrelas!


domingo, 8 de julho de 2018

FESTA DE SANTA HELENA 2018


CORREU BEM A FESTA
8 de julho. Festa de Santa Helena da Cruz. Bom tempo  e o clima ameno e agradável. Bastante gente demandou aquele lugar. Ambiente de romaria, envolvido pela paz, sedimentado pela fé de tantos, condimentado pela alegria, vivido em serenidade, partilhado na amizade.
A VIVÊNCIA DA FÉ
As condições físicas e climatéricas existentes ajudaram  as muitas pessoas que participaram nas Eucaristia das 9.30h e das 11.30 hora. Souberam estar, participaram e criaram um clima propício à oração.
O Senhor D. Jacinto, partindo das Leituras do Domingo e da Palavra do Papa, deixou um convicto e claro apelo à conversão pessoal.
À tarde, a Bênção dos Campos e a Profissão do Adeus foram momentos marcantes na vivência da piedade popular. São momentos em que o coração agradece, se solta e em que a nostalgia da separação aviva o desejo de regressar.
Tal como durante a novena, também no dia da festa muita gente se abeirou do Sacramento da Reconciliação, levando da Serra a alma lavado, agradecido pelo perdão de Deus, reconfortada.

A PROCISSÃO



A seguir à Missa das 11.30h, teve lugar a procissão pelo circuito habitual.  As
 pessoas que pegaram nas alfaias sagradas tiveram um espaço reservado sob o teto da cobertura da Missa Campal. É justo e digno. Os irmãos que prestaram este serviço ao culto mereceram-no.
Quem fica a ver passar a procissão deve ter atitudes a condizer. Estar de pé, sem fumar, nada de conversas, e sem estar a comer ou a beber. Mesmo quem não acredita, deve ter um comportamento digno, tendo em conta o respeito que a fé dos outros sempre merece.
Felizmente que a procissão correu bem.

A FEIRA
Por trás do Calhau de Pendilhe, estende-se o espaço da feira. Roupas, calçado, comes e bebes, doceiras e outros... Muitos feirantes e gente e mais gente que demanda aqueles espaços, sobretudo o das tendas onde se come e bebe.
Há gente que só conhece Santa Helena até ao Calhau de Pendilhe. Isto é, que vai à festa para ficar na feira. A feira é o seu santuário e o seu deus.
Claro que há pessoas que já não estão para levar a merenda. É mais fácil e cómodo ir até à feira e alimentar-se. Tudo a respeitar neste aspeto. Mas só isso? Só feira? Onde fica Deus na vida de tanta gente?
Não estou a dizer que todos procedem desta maneira. Nada disso. Há quem vá a Santa Helena como peregrino e aproveite para feirar.  Muitos, felizmente.
Pelos resíduos deixados no local ao fim do dia, conclui-se que o negócio esteve em alta.
A feira é sempre a maior dor de cabeça para a Comissão. O domingo correu muito bem, com muita paz, com geral acatamento das orientações.
Todo o feirante de bem, disposto a cumprir as orientações, é bem-vindo. Quem não o quiser fazer, agradece-se que não apareça, porque não faz falta.


9ºDia de Novena




A Novena de Santa/2017, terminou com a Eucaristia celebrada no altar campal pelo P.e Paulo Alves às 9.30h, que, na homilia falou de Santa Helena e de Nossa Senhora como modelos e referências da nossa abertura a Deus e ao irmãos, pois "a caridade é caminho de felicidade". Apelou ainda à coerência de vida. Que aprendemos e vivemos em Santa Helena é para ser testemunhado nas comunidades e na vida. 
Animou a Eucaristia o povo dos Esporões que cantou belamente e ajudou os presentes na vivência da liturgia.
GRATIDÃO

Agradecemos ao sr.  Bispo, D. Jacinto,  a sua presença, a palavra sábia de Pastor, a amizade demonstrada.  
Aos senhores padres que estiveram presentes, dizemos obrigado pela comunhão sacerdotal demonstrada e pelo serviço no Sacramento da Reconciliação.

Um bem-haja muito sentido ao Senhor P.e  Paulo Alves, pregador da novena, pela maneira bela como nos comunicou a Palavra de Deus, pela forma multo humana e cativante como soube estar entre nós.

Dizemos obrigado aos leitores, aos acólitos,  aos que recolheram as esmolas e atenderam os peregrinos, ao senhor Amândio que conduziu a carrinha no transporte de novenistas, aos dadores de flores e aos que as colocaram nos andores, aos que ofereceram  comestíveis para a casa,  ofertas para a capela, a quem ofereceu trabalho, sempre precioso, a quem teve uma palavra de apoio e de incentivo.

Obrigado à Banda de Tarouca e ao Coro Benedictus pelo momento de arte que nos proporcionaram na passada sexta-feira.

Obrigado ao coral da Missa da Festa e aos corais que animaram a novena. Saliente-se a disponibilidade de vários povos da Paróquia que aceitando o convite, animamarm coralmente a novena, bem como o grupo das 8.

Um bem-haja às zeladoras da Irmandade de Santa Helena pela maneira disponível como atenderam e acolheram os irmãos; ao sacristão pela competência revelada;  à cozinheira pela maneira alegre e disponível como preparou as refeição, bem como ao grupo de senhoras que ajudaram nas refeições; às pessoas que estacionaram na Serra, pois foram fantásticas, amigas, alegres e colaborantes; a todas as pessoas que participaram nas novenas, pela sua fé vivida, partilhada, edificante; a todos os peregrinos e romeiros que demandaram Santa Helena pela ocasião da Festa.

Aos senhores Presidentes da Câmara e da Junta dizemos também obrigado pela disponibilidade em apoiar sempre. Ambos, cada um a seu modo, mostraram total disponibilidade para ajudar, cada um no seu âmbito de acção. Um obrigado sentido e profundo a todos os elementos do Conselho Económico, suas esposas e filhos.
O Conselho Económico é fantástico, não só pelo empenho que demonstra por este lugar, como pelo trabalho, dedicação e competência que oferece a Santa Helena, ao longo do ano, pois na maior parte dos domingos a capela e o bar estão abertos e vários outros trabalhos são realizados. Na Festa, então, dão o litro para que tudo corra bem. Muito obrigado.


Felicita-se ainda o Conselho Económico pelo restauro do altar da capela. Pela sua decisão, acompanhamento, atenção, dedicação. Parabéns à equipa técnica que desenvolveu as obras.

Foi marcante a presença da juventude em Santa Helena por altura da novena e da Festa. Crianças e jovens que ali estacionaram durante a novena, acompanhado pais e avós. Grupo de adolescentes da catequese que por lá passou e pernoitou em atividades de formação. Presença do Grupo de Jovens, sempre participativo. Escuteiro no dia da Festa com a elevação que é reconhecida. 

Obrigado a todas as pessoas pela generosidade.