quarta-feira, 23 de maio de 2018

Papa Francisco dedica novo ciclo de catequeses ao Sacramento da Confirmação

Resultado de imagem para Papa Francisco crismando
O Papa Francisco começou hoje um ciclo de catequeses dedicado ao Sacramento da Confirmação, o Crisma que “confirma o Batismo”, e recordou que Jesus confiou aos discípulos “a grande missão ser sal da terra e luz do mundo”.
Disse:
 
“Todos temos o Espírito, está no nosso coração, na nossa alma. E o Espírito guia-nos para que nos tornemos sal e luz na medida certa aos homens”
 
Confirmação porque confirma o Batismo e reforça a sua graça; Também Crisma porque recebemos o Espírito mediante a unção com o óleo (consagrado pelo bispo) termo que remete a Cristo, o Ungido pelo Espírito”.
 
“Sem a força do Espírito Santo não podemos fazer nada. Assim como toda a vida de Jesus foi animada pelo Espírito, assim também a vida da Igreja e de cada seu membro está sob a guia do mesmo Espírito”. 

“Seja a carência, seja o excesso de sal comprometem o alimento, assim como a falta ou excesso de luz impedem de ver”, contextualizou, realçando que apenas o Espírito de Cristo “dá o sabor e a luz que clareia o mundo”.
Fonte: aqui

Que bela a oração das crianças!


terça-feira, 22 de maio de 2018

«Ser crismado significa não estacionar, não se acomodar»

Resultado de imagem para sacramento da confirmação
No último domingo, ao crismar na Sé de Faro algumas pessoas, o Bispo do Algarve disse:
 
- “Ser cristão, ser batizado, ser crismado significa não estacionar, não se acomodar, não parar na própria vida porque isso seria uma contradição à ação do Espírito.”
 
- O crisma “é como se fosse o Pentecostes daqueles que estão a ser crismados”.
 
- “Ser batizado e, sobretudo, ser crismado é deixar-se movimentar por este dinamismo do Espírito.”
 
- O crisma ou confirmação é o “sacramento do Espírito Santo” que “põe todos em movimento, em dinamismo missionário, em tensão missionária, ou seja, constantemente abertos, dispostos e disponíveis para serem hoje sinais vivos de Cristo ressuscitado”.
 
- “É uma missão urgente para os dias de hoje”.  Os crismados são ungidos com o óleo do crisma para que “difundam por toda a parte o bom odor de Cristo”, pelo testemunho que é “o que mais contagia, interpela e modifica o ambiente”.
 
- “Queremos invocar o Espírito Santo com os seus dons sobre cada um de nós, sobre toda a Igreja, mas de maneira particular, sobre os jovens que hoje vão ser crismados”.

domingo, 20 de maio de 2018

Festa da 1ª Comunhão



Estiveram muito bem as crianças que no dia 20 de maio - Solenidade do Pentecostes - fizeram a 1ª Comunhão.
Este ano foram 28.
Os pequenos portaram-se lindamente. Já se haviam confessado pela primeira vez. E como estiveram bem! Que delicadeza de coração!
Na Eucaristia, tiveram uma postura irrepreensível. Cantaram bem, proclamaram as leituras com clarividência, participaram com dignidade no cortejo de oferendas, souberam estar na celebração e edificaram com a maneira como comungaram. Que elevação! Que magia naqueles corações pequeninos!
Parabéns aos pais destes meninos. Souberam acompanhá-los,  marcar presença, sentir a alegria dos seus rebentos.
Um abraço do tamanho do mundo para os catequistas destas crianças e de todos os catequizandos. São fantásticos os nossos catequistas! Muito obrigado. Os responsáveis pelos ensaios fizeram um óptimo serviço. Como sempre. Obrigado.
Mas quem me marcou mais profundamente foram os  queridos "saltariquentos." Que maravilha! Obrigado, irmãos mais pequeninos!
Então os cinco meninos que foram batizados, exatamente no dia da sua 1ª Comunhão!? Que elevação, que encanto! Também se portou muito bem a criança que igualmente foi batizada.

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Na Bíblia, a obra do Espírito Santo é descrita através de símbolos. É por meio deles que se percebe sua presença.


Abri os corações ao sopro do Senhor

espc3adrito-santo
Abri os corações ao sopro do Senhor,
Que infunde vida nova às almas que visita:
Um povo novo
Saia das águas,
Das águas em que paira o Espírito da Luz.
Abri os corações ao sopro do Senhor.
Lançai o vosso corpo entre as línguas de fogo,
Que queima e purifica o coração da terra.
Tendes na fronte
Marcas sagradas:
O Verbo de Jesus é o Verbo da vitória.
Abri os corações ao sopro do Senhor.
Dai todo o vosso ser às sementes do Céu,
Que vem juntar-se em vós a todo o sofrimento.
O Corpo do Senhor
É feito das angústias
De quantos neste mundo a injustiça esmaga.
Abri os corações ao sopro do Senhor.
Olhai dentro de vós o Hóspede divino,
Sem nada mais querer senão esta presença.
Vivei do Espírito
E para o Espírito
Nas vossas orações e nos vossos silêncios.
Abri os corações ao sopro do Senhor.
(Liturgia das Horas)

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Bispo enfermeiro sabe o que diz

Resultado de imagem para novo bispo de viseu
D. António Luciano dos Santos Costa, de 66 anos, é o novo Bispo de Viseu. Frequentou a Escola de Enfermagem Dr. Ângelo da Fonseca, em Coimbra, e trabalhou como enfermeiro nos Hospitais da Universidade de Coimbra. Só mais tarde enve­redou pelo sacerdócio, tendo sido ordenado sacerdote aos 34 anos.
Face ao debate sobre a eutanásia, em curso na sociedade portu­guesa, o novo bispo, em decla­rações à Agência Ecclesia, aler­tou para o perigo de se caminhar para uma "sociedade descar­tável" e apontou que cabe pri­meiramente aos "serviços de saúde" dar "outras respostas", entre as quais sublinhou os cuidados paliativos.
D. António contrapôs duas concepções diferentes de hu­manidade: por um lado, aqueles que acham que "estar junto dos doentes, dos pobres, dos idosos" é algo que "rouba tempo" e, por isso, pretendem "outro estilo de vida"; por outro lado, a posição da Igreja, que defende "o respeito pela vida humana em toda a sua dignidade, com todo o seu valor, desde o momento da concepção até à morte natural".
O novo bispo foi um dos ora­dores do ciclo de debates 'Decidir sobre o final da Vida', promovido ao longo dos últimos meses pelo Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida, onde de­fendeu os cuidados paliativos, ressaltando que "a morte deve acontecer no momento certo". "É aqui que surge a medicina palia­tiva, que tem o seu lugar para ajudar a maior parte daqueles que carecem destes serviços", de­clarou, ao acrescentar que "estes cuidados deveriam estar mais próximos de todos os que pre­cisam". "O caminho é fazermos tudo para promover e defender a vida humana, seja em que circuns­tâncias for", completou.
Fonte: Notícias de Beja

20 Maio 2018 – Solenidade do Pentecostes – Ano B

Leituras: aqui

Plano Pastoral
maio/junho
Resultado de imagem para coração de Maria e de jesus
 LIVRES PARA AMAR
COM O CORAÇÃO DE DEUS


segunda-feira, 14 de maio de 2018

Perguntas e respostas sobre a eutanásia


1. O que são a eutanásia e o suicídio assistido?
2. Será a eutanásia verdadeiramente uma “morte assistida”?
3. O que é a obstinação terapêutica?
4. O que é a distanásia?
5. A eutanásia é sempre voluntária?
6. A questão da legalização da eutanásia e do suicídio assistido envolve opções religiosas?
7. Quais são os principais argumentos dos defensores da legalização da eutanásia e do suicídio assistido?
8. A legalização da eutanásia é uma exigência do respeito pela autonomia da pessoa?
9. Todos os direitos são disponíveis?
10. Pode falar-se em “direito a morrer” e em “direito a morrer com dignidade”?
11. Pode dizer-se que é autêntica a manifestação de vontade de doentes terminais que pedem a eutanásia?
12. O valor da vida tem relevo apenas individual?
13. Faz sentido falar em vidas que perdem dignidade, ou vidas “indignas de ser vividas”?
14. Será o sofrimento físico e psíquico uma justificação para a eutanásia ou o suicídio assistido?
15. A legalização da eutanásia e do suicídio assistido são uma exigência do respeito pela liberdade de convicção e consciência e da liberdade religiosa, assim como da neutralidade ideológica do Estado?
16. Mas não será preferível regular uma situação que já existe como prática clandestina, evitando abusos e reduzindo os seus danos?
17. Pode considerar-se a legalização da eutanásia um progresso civilizacional?
18. Quais serão as consequências sociais da legalização da eutanásia?
19. Será possível restringir a legalização da eutanásia e do suicídio assistido a situações raras e excecionais?
20. Tem aumentado no número de casos de eutanásia e suicídio assistido nos países em que estas práticas foram legalizadas?
21. Quais serão as consequências da legalização da eutanásia na medicina e na relação médico-doente?
22. A eutanásia está a ser praticada em doentes psiquiátricos? Que consequências daí podem advir?
23. Quais são os direitos do doente em estado terminal?
24. O que são os cuidados paliativos?
25. O que é sedação paliativa?
26. Quais são as principais necessidades dos doentes em fim de vida?


Veja AQUI a resposta a cada pergunta.

domingo, 13 de maio de 2018

Encontro de Pais, visando as próximas festas da Catequese Paroquial


Na tarde de 13 de maio, reuniram no Centro Paroquial os pais dos catequizandos que vão fazer a 1ª Comunhão, a Prof de Fé e o Crisma.
Na primeira parte da reunião, orientada pelo Pároco, rezou-se, falou-se dos Sacramentos como ações divinas que nos salvam em cada etapa da  vida, frisou-se a centralidade da catequese familiar e paroquial sem a quais as festas perdem sentido. Adiantaram-se algumas alterações que terão lugar no próximo ano no tocante à dinâmica catequética.
Depois o Pároco e a Coordenadora da Catequese explicaram a calendarização das ações, dinâmicas, intervenções e preparação próxima.
Por fim, cada ano de Catequese reuniu com os respetivos catequistas para concretizar pormenores que estas festas sempre exigem.
Houve ainda um tempo para  os pais que o entenderam colocarem as suas questões aos responsáveis catequéticos.
Sem ser demorado, foi  um encontro esclarecedor, que constou com a recetividade ativa dos pais.

Procissão de Velas 2018


Capela de Nossa Senhora da Ajuda, Teixelo. Vinte horas e trinta minutos. Inicia-se a Eucaristia.   Houve  participação e o coral animou. O andor da Senhora de Fátima estava muito bem ornado. O tema da homilia foi  " LIVRES PARA AMAR  COM O CORAÇÃO DE DEUS A EXEMPLO DE MARIA QUE É MODELO DE CAQRIDADE, DE VERDADE E DE VIDA".
Inicia-se a procissão. bastante gente atrás da imagem. Cada pessoa traz também na mão um flor que lhe foi entregue pelos organizadores da festa. Reza-se o terço, canta-se, consagra-se a Nossa Senhora cada povo da paróquia e a paróquia inteira. 
Na Igreja Paroquial inicia-se a Bênção das criancinhas (até aos 3 anos). Um pai lê um textozinho do Evangelho e uma mãe e um pai, em nome dos pais presentes, fazem a oração dos fiéis. O sacerdote precede à benção das crianças.
Segue-se um momento sempre especial. Cada pessoa vai colocar a rosa junto do andor e ali, ao pé da imagem da Mãe, deixa-Lhe um segredo. Quantos desabafos, quantos pedidos, quantos agradecimentos, quantas confidências Maria Santíssima acolheu hoje no seu coração de Mãe!!!Entretanto, o power point ajuda através da projeção de mensagens e de cânticos marianos.
Parabéns aos povo do Teixelo que, este ano, organizou esta  festinha à Senhora de Fátima. Fizeram-no com esmero, dedicação, organização e generosidade. Parabéns a quem ofereceu a ornamentação, as  flores para as pessoas.
As muitas pessoas que marcaram presença certamente deram por bem utilizada esta parte da noite.
Maria é sempre fonte de misericórdia, paz, aconchego, esperança.

Em 2019, cabe ao povo de Tarouca organizar a Procissão de Velas que se iniciará no Largo do Bairro 5 de Outubro.

sábado, 12 de maio de 2018

Conselho Económico aprova contas da Paróquia referentes a 2017

Em 11 de maio, reuniu o Conselho Económico da Paróquia de S. Pedro de Tarouca.
O tesoureiro apresentou as contas da Igreja referentes ao ano de 2017.
Dadas todas as explicações, analisadas as variadas vertentes, o Conselho aprovou por unanimidade as contas que serão agora apresentadas à comunidade.
Falou-se das obras em cursos em Santa Helena - restauro do altar e de imagens -, de melhoramentos no Centro Paroquial (som, grades,  limpezas, etc), aquisição de opas e restauro do antigo órgão da Igreja.
Abordou-se a festa de Santa Helena, planearam-se contactos e intervenções, marcou-se uma reunião de trabalho em Santa Helena para o dia 3 de junho.
Gente participativa, que gosta de dar e fazer o seu melhor em prol da comunidade. Algumas ideias foram lançadas para análise e pesquisa, seguindo-se no devido tempo tomada de posição.

sexta-feira, 11 de maio de 2018

quinta-feira, 10 de maio de 2018

13 Maio 2018 - Solenidade da Ascensão – Ano B

Leituras: aqui


Entre os dias 13 e 20 de maio
 Semana da Vida
 “Eutanásia… o que está em jogo?”
 
Entre os dias 13 e 20, ligando as solenidades da Ascensão e do Pentecostes, viveremos a Semana da Vida. O tema escolhido, “Eutanásia… o que está em jogo?”, não é alheio ao debate já iniciado por quem anseia aprovar legislação favorável.
Eutanásia poderá traduzir-se por “boa morte” e ser compreendida como um acto médico que provoca intencionalmente a morte de um paciente com a finalidade de lhe aliviar o sofrimento, seja agindo com esse fim (eutanásia activa), seja abstendo-se de agir (eutanásia passiva).
Os seus defensores dirão sempre que a possibilidade legal não obriga a quem pensa de maneira contrária e não deixarão de sublinhar a liberdade individual.
Os que pensam de maneira contrária rejeitarão tais medidas legislativas e condenarão tais práticas, referindo-se-lhe como um homicídio e propondo a existência de cuidados paliativos acessíveis a todos.
Trata-se de evitar o “dever de matar” quando alguém propõe o “direito de morrer”, valorizando todas as vidas, também as que estão marcadas pela doença, pela deficiência ou pela idade. Porque a dignidade do ser humano se assegura com a vida e não com a morte. Por isso, enveredar por esta via pode apenas significar que a sociedade se demite de tratar os seus.
E se o médico se enganar no diagnóstico? A eutanásia poderá ou não fragilizar o doente e abalar a sua confiança nos hospitais? Um doente, um idoso ou limitado físico tenderá a ver-se como um fardo para alguém? Haverá tentações economicistas? Irão os cuidados paliativos ser incrementados ou deixarão de ser a primeira opção? Que consequências para a sociedade?
Há uns anos, “morrer com dignidade” seria ter acesso aos cuidados paliativos; hoje será um pedido de morte. Ao mesmo tempo que se cultiva a beleza, a festa, o corpo ou a eterna juventude, temos dificuldade em aceitar a fraqueza e a fragilidade.
Fonte: aqui

quarta-feira, 9 de maio de 2018

13 de maio de 2018: MENSAGEM DO PAPA FRANCISCOPARA O LII DIA MUNDIAL DAS COMUNICAÇÕES SOCIAIS

Tema: «"A verdade vos tornará livres” (Jo 8, 32). Fake news e jornalismo de paz»
Resultado de imagem para Dia Mundial das Comunicações Sociais
Que há de falso nas «notícias falsas»?
A expressão fake news é objeto de discussão e debate. Geralmente diz respeito à desinformação transmitida on-line ou nos mass-media tradicionais. Assim, a referida expressão alude a informações infundadas, baseadas em dados inexistentes ou distorcidos, tendentes a enganar e até manipular o destinatário. A sua divulgação pode visar objetivos prefixados, influenciar opções políticas e favorecer lucros económicos.
A eficácia das fake news fica-se a dever, em primeiro lugar, à sua natureza mimética, ou seja, à capacidade de se apresentar como plausíveis. Falsas mas verosímeis, tais notícias são capciosas, no sentido que se mostram hábeis a capturar a atenção dos destinatários, apoiando-se sobre estereótipos e preconceitos generalizados no seio dum certo tecido social, explorando emoções imediatas e fáceis de suscitar como a ansiedade, o desprezo, a ira e a frustração. A sua difusão pode contar com um uso manipulador das redes sociais e das lógicas que subjazem ao seu funcionamento: assim os conteúdos, embora desprovidos de fundamento, ganham tal visibilidade que os próprios desmentidos categorizados dificilmente conseguem circunscrever os seus danos.
 
Leia aqui a Mensagem do Papa para o Dia Mundial das Comunicações sociais

terça-feira, 8 de maio de 2018

Iniciativa, criatividade e comunhão

Foto de Ana Patricia Teixeira.
"Imaginação ao poder", gritava-se no Maio/68.
Imaginação e criatividade  pastoral, pede-se hoje.
Na Igreja, comunidade de batizados, ninguém é dono da imaginação e da criatividade. Em comunhão, todos são chamados a dar o seu contributo.
Os leigos têm, também neste aspecto, um papel fundamental.
Há muito que os cristãos de Gondomar valorizam a celebração do Dia da Mãe. Este ano fizeram-no de uma forma original e mais envolvente.
Quem tomou a iniciativa falou atempadamente com o Pároco, expôs as suas ideias e tudo se harmonizou. Este é o espírito de comunhão que nunca pode faltar em ações eclesiais.
Depois convidou pessoas e estas convidaram mais pessoas. Foi pedido o apoio a um casal com prática e experiência de dinamização coral. Formou-se um belo grupo com adultos, jovens e crianças. Os ensaios sucederam-se. No Dia da Mãe, lá estava o belo grupo, fardado a rigor, cantando muito bem.
Outros aspectos não foram esquecidos. Leituras, simbologia, entrega de uma flor a cada mãe...
Tudo feito com uma serenidade e postura irrepreensíveis. Saliente-se ainda a sensibilidade cristã, manifestada no saber estar e no saber dirigir do casal responsável pelo coral.
Foto de Ana Patricia Teixeira.
Foto de Ana Patricia Teixeira.
Foto de Ana Patricia Teixeira.


Quando os leigos querem e caminham, a Igreja tem outro encanto, outro dinamismo, outra sedução.
Precisamos de sair do nosso local de conforto, do ram-ram e ousar, criar, inovar. Em espírito de comunhão.
Caros leigos, em Igreja não há "motor e carroçaria". Em Igreja todos somos motores. Não há atores e assistência. Todos somos atores.


O que aí vem: Procssão de Velas, Reunião de Pais, etc


domingo, 6 de maio de 2018

Festa da Senhora da Ajuda em Teixelo





Dia 6 de maio. Neste VI Domingo da Páscoa, celebramos também o belo Dia da Mãe.
Pois foi neste domingo, 1º do Mês de Maria,  que Teixelo celebrou a sua Padroeira, Nossa Senhora da Ajuda.
Após a Eucaristia na capela, seguiu-se a procissão com o andor da bela Imagem de Nossa Senhora da Ajuda pelas ruas da povoação. De regresso ao templo, fez-se a consagração da povoação a Nossa Senhora.
Teixelo é um dos povos mais pequeninos e despovoados desta comunidade paroquial, mas as pessoas são simples, participativas e acolhedoras. E foi na simplicidade que quiseram louvar, bendizer e proclamar a Virgem Maria.
 Parabéns à comissão, a todos os que colaboraram, ao povo.

Em cada ano, no dia 12 de maio, a procissão de velas parte de uma povoação para a Igreja Paroquial. Em 2018, cabe a Teixelo organizar e preparar tão concorrida celebração. Assim, pelas 20.30h terá lugar a Eucaristia na capela daquela povoação, seguindo a procissão de velas para a Igreja onde terá lugar a bênção das criancinhas com menos de 3 anos e a consagração da Paróquia a Nossa Senhora.

Missa Brevis de Jacob Hann na Igreja de Tarouca


Uma vez mais a Associação Filarmónica de Tarouca deixou bem patente toda a sua graciosidade e beleza, com a realização da Missa Brevis de Jacob de Haan, que decorreu no dia 8 de abril no Mosteiro Cisterciense de S. João de Tarouca e, posteriormente, na Igreja do Mosteiro de Salzedas. Em 5 de maio, foi a vez da Igreja  S. Pedro de Tarouca. Todos monumentos emblemáticos do Concelho de Tarouca, cuja carga religiosa e cultural conferem a estes eventos a nobreza e solenidade devidas. ​

Sob a batuta do maestro Rui Lima, a Associação Filarmónica de Tarouca e o Coro Benedictus MMXVIII, proporcionaram belíssimos espetáculos, pautados pela excelência dos músicos e coro que se prepararam a rigor, garantindo assim a todos os presentes momentos culturais de excelência.

Visivelmente orgulhoso, o Presidente da Câmara Municipal de Tarouca, Valdemar Pereira, congratulou todos os responsáveis pela organização do brilhante espetáculo, reafirmando que "a maior riqueza deste concelho são as suas gentes", frisando o intento da autarquia em continuar a apoiar a cultura musical, grande motor de promoção concelhia.
Apesar do jogo entre o Sporting e o Benfica, havia muita gente na Igreja de Tarouca neste sábado. O espetáculo merecia e o público gostou como o demonstraram as palmas calorosas com que foram pontuando a atuação.
É aquilo que repetidas vezes refere o Pároco de Tarouca: "Quando Tarouca quer, é invencível!"
Que mais acontecimentos culturais aconteçam, pois talento não falta à nossa gente.
Parabéns aos artistas, fantásticos!
Parabéns ao público, maravilhoso!|

sábado, 5 de maio de 2018

Dia da Mãe

Queridas mães, obrigado por aquilo que nos dais, pelo que sois na família e por aquilo que dais à Igreja e à sociedade!

A beleza do amor de mãe

É bom, belo e justo celebrar o Dia da Mãe: agradecer a todas as mães que dia e noite, todos os dias e todos anos, ao longo da sua vida, se dedicam ao acolhimento amoroso, à educação e ao crescimento integral dos filhos.
Ser mãe não significa somente colocar no mundo um filho, mas é também uma escolha: a de dar a vida. Nada há mais nobre e mais santo!
Na sua terceira exortação apostólica, “Alegrai-vos e exultai”, o Papa Francisco recorda que a santidade é construída na vida de cada dia, com os “pequenos detalhes do amor” (n. 145). Todos sabemos, por experiência própria, que a sacralidade de tantos pequenos gestos das nossas mães deixou um sabor indizível e inesquecível no nosso coração de filhos.
As mães são verdadeiras beneméritas da sociedade, pois sabem cultivar e transmitir, mesmo nos piores momentos, a ternura, a dedicação e a força moral. São também as mães que transmitem o sentido mais profundo da vivência religiosa: nas primeiras orações, nos primeiros gestos de devoção que uma criança aprende, inscrevendo assim, indelevelmente, o valor da fé na vida de um ser humano.
Queridas mães, obrigado por aquilo que nos dais, pelo que sois na família e por aquilo que dais à Igreja e à sociedade. Que a celebração de mais um Dia da Mãe junte, em coro, as nossas vozes à dos decisores políticos e económicos, dos agentes culturais e da comunicação social e todos nos empenhemos a apoiar e a proteger o dom da maternidade que começa na fecundação e nunca deixa de se manifestar.
As mães de todos os tempos têm como modelo Maria, Mãe de Jesus. Que Nossa Senhora abençoe todas as mães! As acolha e proteja sob o seu santo manto.
Como “pequena lembrança” para este dia, aqui deixamos uma singela parábola: Um anjo fugiu do paraíso para dar um passeio pela terra. No findar do dia, decidiu levar algumas lembranças daquela visita. Num jardim, viu algumas rosas: apanhou as mais bonitas e fez um belo ramo para levar para o paraíso.
Mais à frente, viu uma criança sorrir para a mãe. Encantado com a ternura daquela criança, apanhou também o seu sorriso. Estava para partir, quando viu uma mãe olhar com amor para o seu pequenino no carrinho.
O amor jorrava como uma nascente a transbordar. O anjo pensou: «O amor daquela mãe é o que de mais bonito existe na terra, portanto pegarei também nele». Voou para o céu, mas antes de passar pelos portões azuis, decidiu examinar as recordações para ver como se tinham conservado durante a viagem.
As flores estavam murchas, o sorriso da criança tinha-se esmorecido, mas o amor da mãe ainda tinha todo o seu esplendor e beleza. Pôs de lado as flores murchas e o sorriso apagado, chamou à sua volta todos os hóspedes do céu e disse: “Eis a única coisa que encontrei na terra e que manteve toda a sua beleza durante a viagem para o paraíso: o amor de mãe!”.
Mensagem da Comissão Episcopal do Laicado e Família

Festinha do Pai Nosso 2018

As crianças do 1º ano de catequese fizeram em 5 de maio a sua Festinha do Pai Nosso.
Estavam felizes os petizes! Como participaram bem na celebração!
Bom trabalho dos catequistas. Tudo muito preparado e organizado.

Belo testemunho dos pais ao integrarem o coral e participarem nas leituras.
Porque se estava na véspera do  Dia da Mãe, também foi sinalizada a data.

Parabéns as pequenos, seus pais e catequistas.