sexta-feira, 11 de agosto de 2017

O Evangelho não tem medo do Mediterâneo

Sei bem, caros leitores, que sou altamente inconveniente, neste tempo quente de agosto, acordar-vos assim do sono ou do sonho, aos gritos e com alertas vermelhos… Mas o caso não é para menos: há tempestades de verão, no monte ou no mar. “Vemos, ouvimos e lemos. Não podemos ignorar” (Sophia Mello Breyner).


Então comparemos o Evangelho do próximo domingo com a situação de tantos migrantes que batem à porta da Europa.
E deixemos que Deus nos abra o coração.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

13 Agosto 2017 – 19º Domingo do Tempo Comum – Ano A

video
Leituras:aqui

Capela de Santo António - Arguedeira - tem novo crucifixo


Dia 9 de agosto. Na Eucaristia das 19.30h em Arguedeira, é benzido o novo crucifixo há muito desejado pelos cristão deste povo.
Graças ao empenho e trabalho da recém-nomeada Comissão de Culto - Laida, Carlos e Marco - a capela de Santo António, Arguedeira, tem novo crucifixo, que agradou a todos os presentes.
Também as escadas de acesso ao templo foram dotadas de uma rampa que beneficia, sobretudo, as pessoas com deficiência e as que têm dificuldade de locomoção. Tal rampa deixou contentes as gentes. Tal rampa foi oferecida pela Câmara Municipal.
Assinale-se igualmente a cedência de uma pequena sala com wc ao lado da capela. Esta estrutura beneficia as pessoas que, ou nas celebrações ou nos velórios, precisem de utilizar instalações sanitárias.  Refira-se ainda que a referidas instalações  possuem uma salinha que pode usada pelos familiares e amigos do falecido para tomar um cafezinho durante o velório. A chave encontra-se na capela, oferecida pelo Presidente da Junta.
Destes melhoramentos não existem quaisquer dívidas, graças à colaboração do povo de Arguedeira (residentes e emigrantes), dos Presidentes da Câmara e da Junta, da Comissão de Culto e da zeladora da Capela, D. Carlina Melo . Daí uma palavra de parabéns, que é também de gratidão, a todos eles.
A nova rampa de acesso à capela,
vendo-se em frente a porta de acesso às instalações cedidas à Capela

Arguedeira tem em mãos o restauro da bela talha da capela de São Tiago cujas obras decorrem. Como sempre, contamos com o apoio da população e das entidades autárquicas. Aquela capela é uma boa pérola que os antepassados nos deixaram e cabe-nos a nós conservá-la para a legarmos aos nossos vindouros.

domingo, 6 de agosto de 2017

Oração pelos Emigrantes

Senhor, meu Deus
orientai e conduzi
os nossos emigrantes tão amados
para uma terra que os alimente,
sem lhes tirar a identidade e o coração.
Que o Vosso Espírito os fortaleça
para que prossigam rumo à verdadeira
Terra Prometida, vivendo com justiça,
solidariedade e paz.
Amen.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Semana Nacional de Migrações decorre a partir de domingo

Igreja Católica dedica iniciativa a «novas gerações migrantes»

A 45.ª Semana Nacional de Migrações realiza-se sob o tema ‘Acolher o futuro - Novas gerações migrantes são o amanhã da humanidade’, e decorre até dia 13 de agosto.
Como vem sido hábito, a Peregrinação a Fátima, em 12 e 13 de agosto, é dedicada aos emigrantes. 

Ajudai, ó Mãe, a nossa fé


Maria, Mãe da Igreja,
Mãe da nossa fé
Ajudai, ó Mãe, a nossa fé.
Abri o nosso ouvido à Palavra, para reconhecermos a voz de Deus e a sua chamada.
Despertai em nós o desejo de seguir os seus passos,
saindo da nossa terra e acolhendo a sua promessa.
Ajudai-nos a deixar-nos tocar pelo seu amor,
para podermos tocá-Lo com a fé.
Ajudai-nos a confiar-nos plenamente a Ele,
a crer no seu amor, sobretudo nos momentos
de tribulação e cruz, quando a nossa fé é chamada
a amadurecer.
Semeai, na nossa fé, a alegria do Ressuscitado.
Recordai-nos que quem crê nunca está sozinho.
Ensinai-nos a ver com os olhos de Jesus,
para que Ele seja luz no nosso caminho.
E que esta luz da fé cresça sempre em nós
até chegar àquele dia sem ocaso que é o próprio Cristo,
Vosso Filho, Nosso Senhor.
(Encíclica Lumen fidei, 29 de junho de 2013)
In Conversas com Maria, de Helena Sacadura Cabral

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Pedir perdão


A Igreja Católica foi a grande instituição que teve a coragem de pedir perdão ao mundo pelas pecados cometidos contra a dignidade da pessoa humana. Fê-lo através do grande Papa João Paulo II.
Fê-lo o Nazismo? Não.
Fê-lo o comunismo? Não.
Quem o fez foi a Igreja Católica pela voz do seu líder, João Paulo II.
Esta é a grande diferença.
Cada época histórica tem o seu texto e o seu contexto.
Só nos situamos honestamente no texto se estivermos atentos ao contexto.
É preciso ter um espírito superior para, apesar do contexto, se reconhecer falhas, pecados, excessos, lacunas. Foi o que fez a Igreja Católica.
Os católicos, honestamente, só se podem sentir felizes por este gesto de enorme transcendência humana.
A grandeza está na humildade de reconhecer as falhas graves.



domingo, 30 de julho de 2017

30 de julho - Dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas

Resultado de imagem para Dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas
“Chaga aberrante”
O Papa Francisco associou-se hoje no Vaticano à celebração do Dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas, promovido pela ONU, considerando que o negócio com seres humanos representa uma “chaga aberrante”.
“Desejo apelar ao compromisso de todos para que esta chaga aberrante, uma forma de escravatura moderna, seja adequadamente combatida”, disse, perante milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro para a recitação da oração do ângelus.
Francisco recordou que todos os anos “milhares de homens, mulheres e crianças” são “vítimas inocentes” desta exploração “laboral e sexual”, caindo também nas mãos de redes de “tráfico de órgãos”.
“Parece que nos habituamos a considerar tudo isso como algo normal. Isto é feio, é cruel, é criminoso”, alertou.
O Papa pediu aos presentes para rezarem juntos a Nossa Senhora “para que apoie as vítimas do tráfico e conversa os corações dos traficantes”, antes de recitar com eles uma Avé-Maria.
Acesso “legal e seguro”
A Cáritas Europa também assinalou a celebração do Dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas, que acontece anualmente a 30 de julho, e pediu acesso “legal e seguro” para os migrantes que chegam ao continente.
Segundo a organização católica, esta seria a “chave” para travar o tráfico humano, que considera uma “chaga” a que a Europa precisa de responder.
“Cada criança e adulto apanhados na armadilha desta forma moderna de escravatura, enjaulados no medo, abuso e medo, é uma vítima a mais”, refere o comunicado da Cáritas, divulgado através da página da organização.
Portugal tem também um aumento
no número de pessoas vítimas de tráfico humano
A Cáritas Portuguesa associa-se à celebração, recordando, num comunicado enviado à Agência ECCLESIA, as situações vividas por crianças que viajam não acompanhadas, em situação de grande vulnerabilidade e instabilidade.
"Portugal tem também um aumento no número de pessoas vítimas de tráfico humano e a Cáritas tem sido chamada a intervir", assinala a instituição.
Agência Ecclesia


Parte, neste domingo, a Imagem de Nossa Senhora de Fátima



Domingo, 30 de Junho. Após a Missa das 11h, a Imagem de Nossa Senhora de Fátima  parte para o Agrupamento de Penedono.
Como nos outros dias da semana, também neste sábado os candidatos a escuteiros do 1006 de Tarouca presidiram à oração mariana. 
Postura exemplar, participação ativa dos miúdos,  um grupo de pessoas que marcou presença orante, um pouquinho de catequese em cada dia para todos.
Assim decorreu a semana com Maria, marcada pela  discrição comum a tudo o que é belo e profundo.
Que Nossa Senhora, no início do recomeço do escutismo nesta Paróquia, abençoe, proteja, ajude e acompanhe os seus passos.
A Ti nos confiamos, Santa Mãe!
Rogai por nós a Deus!
Que sintamos como dirigido ao coração de cada pessoa a mensagem que nos deixaste no Evangelho: "Fazei aquilo que meu Filho vos disser."




sábado, 29 de julho de 2017

SOPÉ DA MONTANHA - nº de junho/julho

Chega mais volumoso, pois corresponde aos meses de junho e julho.
Muita e variada leitura.
Boa leitura!
 
Leia, assine e divulgue o jornal Sopé da Montanha.


quinta-feira, 27 de julho de 2017

30 Julho 2017 – 17º Domingo do Tempo Comum – Ano A

Leituras: aqui
A Liturgia deste domingo convida a refletir nos valores sobre os quais fundamentamos a nossa existência.
 As leituras nos ajudam a escolher esses valores...
Na 1ª Leitura, o rei Salomão escolhe o seu tesouro: a SABEDORIA. (1Rs 3,5.7-12)
- No início de seu reinado, o jovem rei vai a Gabaon, onde se achava o Tabernáculo sagrado, construído por Moisés, a fim de oferecer sacrifícios ao Senhor.
- Em sonho, o Senhor manifesta o seu agrado por este gesto e convida-o a pedir o que quisesse.
- O rei não se deixou seduzir e alienar por valores efêmeros (poder, riquezas, prestígio político).
  Pelo contrário, escolhe o mais importante:   um coração "sábio" para governar seu povo com justiça e retidão.
- A ESCOLHA agradou plenamente a Deus que lhe condedeu uma sabedoria inigualável e acrescentou ainda outros três valores não solicitados: riqueza, glória e vida longa. 
Salomão soube escolher o melhor: SABEDORIA 
* O texto queria também apresentar Salomão como o escolhido do Senhor  e justificar a sua proverbial sabedoria.
A 2ª Leitura apresenta etapas do caminho que conduz à Salvação.
Precisamos da Sabedoria de Deus, para discernir o desígnio de Deus, que nos "predestinou" para sermos conformes à imagem do seu Filho. (Rm 8,28-30)
No Evangelho, Jesus apresenta o seu tesouro: o REINO DE DEUS
É a conclusão do 3º Discurso de Jesus, com as últimas três "Parábolas": o Tesouro, a Pérola e a Rede. (Mt 13,44-52) 
+ O Reino de Deus é um TESOURO escondido... uma PÉROLA que se procura...
A DESCOBERTA desse tesouro e dessa pérola provoca, em quem os encontrou, três atitudes: Renúncia, Urgência e Alegria.
1. RENÚNCIA a tudo para adquiri-los...
    O Reino proposto por Jesus é um "tesouro" precioso  pelo qual se renuncia a tudo e pelo qual os seguidores de Cristo  devem estar dispostos a pagar qualquer preço. 
* Desde que descobrimos Cristo, o que mudou na nossa vida?  A que já renunciamos por esse tesouro?
Onde gastamos mais tempo em nossa vida diária?
   A serviço da comunidade, em leituras sérias, na Oração, ou no futebol, na TV, no dinheiro, no bate-papo com os amigos?
2. URGÊNCIA na decisão a ser tomada.
A escolha do Reino de Deus não pode ser prorrogada.
Quando Deus convoca é preciso responder imediatamente.
Não podemos ficar a negociar com Deus o preço da pérola.
Há oportunidades que não se repetem nunca mais...
- Há pessoas conscientes desse tesouro,  mas não estão dispostas a renunciar certos "tesouros".
2. ALEGRIA muito grande pelo bem encontrado...
Todo comerciante que realizou um bom negócio sente-se feliz...mesmo tendo de se desfazer de muitos bens...
O Reino de Deus é um tesouro que compensa a renúncia a todos os bens deste mundo.
* Demonstramos alegria e felicidade por termos achado o nosso tesouro?  
Se temos consciência desse tesouro, como podemos permanecer acabrunhados, tristes e desanimados?
+ Mas ficam ainda umas perguntas inquietantes:
   Se o Reino de Deus é tão precioso,
  - Porque há tantos homens que o ignoram ou até o desprezam?
  - Porque vemos tantos males entre os bons?
  - Será que, no final, todos teremos a mesma sorte? 
+ Na 3a Parábola, Jesus nos dá a resposta: O Reino de Deus é uma REDE:
A Igreja é comparada a uma rede de arrastão, lançada ao lago, que apanha peixes de todos os tipos e qualidades...
O Pescador, depois de ter puxado lentamente a rede à terra, recolhe os peixes, separando os bons e os maus, os aproveitáveis e os inúteis.
Recolhe os bons e joga fora os maus...
Deus não tem pressa em condenar e destruir... sabe esperar...
- Qual a nossa situação: dentro da Igreja, diante do divino Pescador?
Somos um membro vivo, atuante, útil à vida da Igreja, ou um peixe inútil, desprezado pelo próprio Deus?
Tudo depende de nossa escolha, devemos SABER ESCOLHER...
+ E Jesus conclui o Discurso com um breve diálogo com os discípulos, no qual afirma que o verdadeiro discípulo é aquele que descobre o Tesouro do Reino e se compromete com ele.
Só a Sabedoria divina poderá iluminar para compreendê-lo e e assim anunciar a todos com alegria a nossa descoberta.
Como Salomão, peçamos a Deus
- muita SABEDORIA... para saber escolher sempre o verdadeiro Tesouro e
- muito ENTUSIASMO... para nos pôr com alegria á sua conquista...
                                           Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa - 30.07.2017

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Festa de Santa Helena de 1968

Uma relíquia da História!
Pessoas, roupas do tempo, festa...
A mesma fé!
 
Veja  aqui o video.

Os Avós são mãos que amparam, corações que acalentam


O Papa Francisco e a Igreja Católica em Portugal associaram-se à celebração do do Dia dos Avós, que se assinala anualmente a 26 de julho, memória litúrgica de São Joaquim e de Santa Ana.
 
Veja aqui

Arguedeira celebra São Tiago

Comissão de Festas de Santo António, Arguedeira, sempre celebra São Tiago, o que acontece em 25 de julho. Este ano, tal voltou a acontecer.
Pelas 19,30 horas, foi celebrada a Santa Missa. Seguindo-se, mais tarde, a atuação de um conjunto e o convívio popular.
Esta Capela diz-nos bem da inteligência prática dos nossos antecessores. Como o templo é muito pequeno, colocaram o púlpito à entrada da capela para que, assim, todos os participantes pudessem ouvir a Palavra de Deus. Recordamos que, antigamente, não existia instalação sonora, pelo que era necessário que todos pudessem escutar a Palavra de Deus. A maneira prática que os antigos encontraram foi colocar o púlpito à entrada do templo. Assim todos podiam escutar, os que estavam dentro e os que estavam fora.
Bastante gente na celebração que correu com serenidade e participação.
Como a capela se encontra em obras, visando o restauro da bela talha do altar, a Eucaristia foi celebrada sob o alpendre do templo. Na celebração, o pároco falou de São Tiago, o primeiro apóstolo mártir. Recordando tantos que, ao longo dos tempos, tudo fizeram por nos deixar e conservar tão singular templo, apelou ainda à colaboração de todos para a colaboração do restauro do altar.
A festa de São Tiago tem muito de festa familiar, pela alegria, simplicidade, partilha, são convívio.
Parabéns às mordomas e ao povo.

terça-feira, 25 de julho de 2017

Terço rezado pelos mais pequeninos. Que maravilha!

Coube hoje a vez aos mais pequeninos dos candidatos a escuteiros presidir à oração do terço diante da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima que se encontra, durante toda a semana, na Igreja Paroquial.
Acompanhados por alguns dos chefes que os prepararam e orientaram, rezaram lindamente.
Aqueles vozitas infantis a rezar a Ave Maria e a proclamarem os pequenos textos dos mistérios encheram o coração e a fé de quantos participavam naquele momento mariano.
Mesmo quando um ou outro, mais nervosito, engoliu uma ou outra palavra da Ave Maria, a prece teve encanto, beleza, exaltação.
Que saudades tínhamos de ver as crianças a presidir ao terço!
No fim, o pároco falou um bocadinho com eles, falou-lhes da mensagem da Mãe, "Fazei tudo o que Meu Filho vos disser" e pediu-lhes que levassem esta mensagem à família e amigos.
Depois, percorreu com os pequenos a Igreja, mostrou-lhes e falou-lhes das várias imagens de Nossa Senhora no templo (Senhora de Fátima, Senhora da Saúde, Senhora do Rosário e Senhora da Soledade) e os pequenos rapidamente disseram que Nossa Senhora é só uma, seja qual for o título por que a invoquemos. Igualmente lhes pediu que levassem esta informação à família.
Protege-os, Santa Mãe!

domingo, 23 de julho de 2017

FESTA DE CRISTO REI/2017

Realizou-se, no dia 23 de Julho, a festa em honra de Cristo Rei. Naquele local maravilhoso, em que sentimos a presença de Deus de forma especial e onde podemos vislumbrar a esplêndida paisagem envolvente, as pessoas juntaram-se para louvar o Rei do Universo. O dia estava agradável, não muito calor como seria de prever nesta altura do ano, mas a temperatura convidava as pessoas a subirem à serra. E foram muitas aquelas que quiseram marcar presença.
Ao meio-dia, teve início a Eucaristia, presidida pelo P.e Paulo Alves, que decorreu num ambiente de silêncio. As pessoas souberam entender que a Eucaristia é o momento mais importante da festa. No fim da Santa Missa, teve lugar a procissão pelo circuito habitual, também esta envolta num ambiente de respeito e seriedade.
Terminada a parte religiosa, as pessoas espalharam-se pelo recinto para almoçar e conviver, animadas por um grupo de concertinas. A diversão e o convívio fazem igualmente parte da festa. Cada coisa a seu tempo, tudo é importante e agradável.
No final da tarde, teve lugar o sorteio das rifas e a entrega dos respetivos prémios. É com o dinheiro destas rifas e com a contribuição das pessoas que é possível o melhoramento daquele lugar, logicamente também com o apoio da Câmara Municipal e da Junta de freguesia.
Por fim é de louvar o trabalho da Comissão e de todas as pessoas que ajudaram, pois não é fácil organizar uma festa no meio da serra, num lugar longe de tudo, mas com boa vontade e trabalho, tudo é possível. Os melhoramentos continuam, visíveis, este ano, no empedramento de parte do circuito da procissão, por exemplo.
Para o ano voltaremos lá cima para louvar a Deus como nosso Rei.
 Ana Patrícia Teixeira

Já chegou a Imagem de Nossa Senhora de Fátima, em visita ao Agrupamento 1006 de Tarouca

Ainda não eram 13h, quando a Imagem de Nossa Senhora de Fátima entrou na Igreja Paroquial de Tarouca. O andor fora transportado pelos candidatos a escuteiros mais velhinhos.
Colocado no devido lugar, o pároco fez com os jovens uma pequena oração.
Recordámos que os escutas haviam participado na Eucaristia em Cepões em cujo Agrupamento estivera durante alguns dias. Feito o levantamento da Imagem, os nossos escutas transportaram-na até à  Igreja Matriz de Tarouca onde permanecerá até ao fim da Missa das 11h do próximo domingo, seguindo depois para Penedono.
Durante esta semana, em cada dia às 18h, haverá na Igreja um momento de oração mariana aberto à participação de todos.


sábado, 22 de julho de 2017

'Cristo é o meu Salvador’

 Uma coisa é afirmar: ‘Cristo é Salvador’; outra, muito diferente, é confessar: ‘Cristo é o meu Salvador’. O diabo pode fazer a primeira declaração. Só o cristão verdadeiro, todavia, poderá fazer a segunda.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Sobre os Batismos nesta Paróquia

1. Não é obrigatório ter padrinhos. O Código diz, no Cân 872: " Dê-se, quanto possível, ao batizado um padrinho..." . Sublinhe-se o "quanto possível".
Se por uma razão ou outra não é possível apresentar padrinhos que reunam as condições, então batize-se sem padrinhos.
2. Se os pais quiserem os padrinhos, então segundo o Código de Direito Canónico (Cân 872 e seguintes), podem escolher:
- um padrinho e uma madrinha
- ou só um padrinho
- ou só uma madrinha
3. Mas para alguém poder ser padrinho/madrinha tem que:
- ter 16 anos
- estar crismado
- viver de acordo com a lei da Igreja (ou é solteiro ou é casado catolicamente). Os recasados, os que vivem juntos, os que vivem em união de facto NÂO podem ser padrinhos).
Mas se uma pessoa se divorciou e vive como solteira, sem estar junta ou recasada, aí pode ser padrinho/madrinha.
4. Testemunhas:
- Uma criança pode batizar-se sem padrinhos, mas como testemunhas são todos os que participam na celebração, então conclui-se que mesmo as pessoas que NÃO reúnem condições para ser padrinhos, podem ser testemunhas.
- Assim os pais podem batizar o filho sem padrinhos mas com uma ou duas testemunhas. Ou com um padrinho/madrinha e uma testemunha.
5. No momento em que os pais aparecem para se inscrever para o batismo, devem colocar perante o responsável, sempre em verdade e em pormenor,  a questão dos padrinhos. Para evitar confusões e os pais serem informados devidamente.
6. Convém informar que o Papa Francisco nada alterou na lei no tocante ao Batismo e aos padrinhos.
7. Tente-se que os batismos se juntam o mais possível para não sobrecarregarmos a comunidade com batismos sucessivos.
8. Parabéns ao Dr. Tozé pelo ótimo trabalho que está a fazer como responsável pelos batismos. A Paróquia agradece.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

23 Julho 2017 – 16º Domingo do Tempo Comum – Ano A

video

Leituras: aqui

Comunidade cristã tarouquense solidária

Vítimas dos incêndios
Comunidade cristã tarouquense solidária
Às vezes pensamos só nas pessoas que sofreram horrivelmente com os incêndios e esquecemos os animais que igualmente são vítimas destes flagelos. Além disso, os animais são, para muitas pessoas, um factor importante de sobrevivência.
Os incêndios destroem a fonte de alimentação dos animais e, muitas vezes, o alimento armazenado para os mesmos....
Neste sentido, o tarouquense Manuel Gomes rumou até Pedógão Grande com um carregamento de fardos de feno para minorar a precária situação dos animais.

Também os cristãos da comunidade tarouquense mostraram a solidariedade para com as pessoas daquelas terras a quem o incêndio deixou numa situação de grande sofrimento. Através do peditório das Missas, seguiram 877,20€ como partilha.
E como a solidariedade não se apregoa, certamente muitas pessoas/instituições/grupos fizeram chegar a sua ajuda das mais variadas formas.
Foto de Centro Paroquial Santa Helena.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Um santo triste é um triste santo

“O cristão é um homem e uma mulher da alegria, um homem e uma mulher com a alegria no coração. Não existe cristão sem alegria! Mas, Padre, eu já vi tanta coisa! Não são cristãos! Dizem que são, mas não são! Falta-lhes alguma coisa. A carteira de identidade do cristão é a alegria, a alegria do Evangelho, a alegria de ter sido escolhido por Jesus, salvo por Ele, regenerado por Jesus. A alegria daquela esperança que Jesus espera de nós, a alegria que, nas cruzes e nos sofrimentos desta vida, se expressa de outra maneira que é a paz, na certeza de que Jesus nos acompanha. Está connosco”.
“O cristão faz esta alegria crescer com a confiança em Deus. Deus lembra-Se sempre de sua aliança. O cristão sabe que Deus se lembra dele, que Deus o ama, que Deus o acompanha, que Deus o espera. Esta é a alegria.” 
( Papa Francisco)

domingo, 16 de julho de 2017

Novena de Cristo Rei

16 de julho. Em plena novena de Cristo Rei, que diariamente se celebra na capela de S. João Batista (Gondomar), o pároco participou com o povo na referida novena, neste domingo celebrada na Capela de Cristo Rei.
No próximo domingo será a Festa de Cristo Rei, com Eucaristia às 12h, seguida de procissão.
Embora não estivesse muita gente, este momento da Novena foi belamente participado pelos presentes, tanto na contribuição ativa como no silêncio e na disponibilidade para escutar.
No fim da Eucaristia, o pároco salientou o papel da comissão que, em comunhão com o pároco, faz o que pode para dignificar aquele espaço religioso e turístico,
Cristo Rei é um lugar fantástico, digno de uma visita, quer pelo silêncio falante da Serra, quer pelo deslumbrante da paisagem que daí se observa.
Se de Santa Helena se observa uma paisagem ampla, absorvente e envolvente, de Cristo Rei tem-se uma paisagem mais concentrada, digamos, mais personalizada, mas igualmente deslumbrante,
O que falta em Cristo Rei:
- Construir um depósito que, com as sobras da fonte de Cristo Rei, garanta a água necessária para o combate aos incêndios. O depósito do Santuário, porque junto ao mesmo, não favorece a sua utilização pelos helicópteros, já que o movimento destes põe em causa a Estátua de Cristo Rei.
- Alcatroamento da estrada que liga Cristo Rei a Santa Helena. Se queremos um turismo de qualidade, não podemos esquecer este circuito turístico único que apoia e valoriza a nossa "catedral ao ar livre", que é a nossa Serra.
- A eletrificação do espaço de Cristo Rei é uma necessidade sentida há anos e que urge uma resposta.

sexta-feira, 14 de julho de 2017

16 Julho 2017 – 15º Domingo do Tempo Comum – Ano A


Leituras: aqui
 
A Liturgia desse domingo convida-nos  a refletir  sobre a importância da PALAVRA DE DEUS e 
exorta-nos a ser uma "terra boa" que acolha a Palavra e produza frutos abundantes na vida de cada dia.
  
Na 1ª Leitura, o Profeta compara a Palavra de Deus à CHUVA. "Não voltará, sem ter cumprido a sua missão". (Is 55,10-11) 
* Ao Povo no exílio, já cansado e desiludido por não voltar à sua terra, o profeta anuncia que Deus é sempre fiel às suas promessas.
Sua Palavra é como a chuva e a neve: caem do céu e não voltam sem terem produzido o efeito.
Deus não esquece o seu povo, sua Palavra nunca falha.  
 
Na 2ª Leitura, Paulo ensina que o tempo da semeadura sempre é difícil, sofre-se com a dor e a espera, mas não se trata de um grito de morte, e sim do início de uma nova vida que vem chegando. (Rm 8,18-23)
 
No Evangelho, com a Parábola da SEMENTE e do SEMEADOR, vemos que o fruto da Palavra de Deus depende da qualidade da terra. (Mt 13,1-23) 
Com essa parábola, Mateus inicia o 3º Discurso de Cristo, composto de sete Parábolas do REINO, que escutaremos nos próximos 3 domingos.  
"O Semeador saiu a semear... a semente". Parte caiu:  
- no caminho... os pássaros vieram e as comeram...
  - no terreno pedregoso: brotou e logo secou.
  - no meio dos espinhos: os espinhos cresceram e sufocaram-na...
  - na terra boa: produziu 30, 60, 100 por um...
 
Jesus estava a encontrar dificuldade na aceitação de sua Palavra.
- Havia gente que não acreditava...
- Havia gente que embora simpatizasse com Jesus, logo desistia de segui-lo.
- Havia gente que via a mensagem de Jesus como uma ameaça: devia mudar de vida, afastar-se do poder, largar as riquezas...   Por isso, hostilizava e tramava a morte do próprio Jesus.
- No fim ficavam só alguns discípulos.
   Até eles tinham as suas dúvidas...
   Será que a palavra de Jesus estava a tornar-se ineficaz, sem força?
 
JESUS responde com a Parábola:
Apesar dos obstáculos, a semente não perde a sua força. Deus lança a sua semente em todas as direções, não recusa:
- nem aos pecadores endurecidos;
- nem às pessoas superficiais;
- nem às pessoas imersas nas preocupações do mundo (prazeres, negócios)...
  O Homem pode fechar-se à Palavra de Deus, rejeitá-la, mas sempre haverá terreno onde produzirá 30, 60, 100...
* O acolhimento do evangelho não depende nem da Semente, nem do Semeador,
   mas da QUALIDADE DA TERRA.
+ Diante da Palavra de Deus, há 4 TIPOS DE OUVINTES  que existiam naquele tempo e que continuam a existir hoje: 
- Há aqueles que têm um coração duro como a terra pisada de uma estrada: não permitem que a semente da Palavra de Deus penetre em seu coração.
E Satanás encarrega-se  de eliminar os grãos caídos que sobraram no chão. 
- Vem em seguida o coração inconstante, que se entusiasma com facilidade, mas depois desanima rapidamente diante das primeiras dificuldades. A Palavra de Jesus não pode criar aí raízes profundas.   
- Há os que têm um coração materialista. São até "muito religiosos", mas dão prioridade à riqueza e aos bens deste mundo. Essas preocupações são como espinheiros que sufocam a semente da Palavra. 
- Há também os que têm um coração aberto e disponível. Neles, a Palavra de Jesus é acolhida e dá muito fruto.
 
+ A Parábola  propõe-nos TRÊS PERGUNTAS: 
1. Que terreno somos nós ?
Muitas vezes questionamos o PREGADOR ("Semeador") da Palavra de Deus: "Foi comprido, foi repetitivo... foi pesado..."
Qual tal questionar também a nossa atitude de OUVINTES?  
2. Que semeadores somos nós?
- Cuidamos do nosso terreno, retiramos as pedras e espinhos que atrapalham? Procuramos aprimorar a semente que usamos, ou já tem validade vencida, porque não estudamos, não nos informamos, não nos atualizamos? (Na catequese, liturgia, canto, escola, família...) 
3. Vale a Pena semear?
A parábola de Jesus é uma Parábola de ESPERANÇA: Jesus é o Semeador, e nós também o somos, junto com ele...
Ele semeia em todos os terrenos, mesmo nos inférteis.
E algumas sementes acabam germinando...
O importante é semear o grão da esperança.
Semear o sorriso para que resplandeça ao redor de nós.
Semear as nossas energias para enfrentar as batalhas da vida.
Semear nossa coragem para reerguer a coragem do outro.
Semear o nosso entusiasmo, a nossa fé, o nosso amor... 
O Evangelho de hoje  garante-nos, que apesar do aparente fracasso, o sucesso do "Reino" está garantido; e o resultado final será algo  surpreendente e  maravilhoso.
Deus  garante-nos: "A palavra de Deus não voltará sem produzir o seu fruto"
 
            Põe a semente na terra, não será em vão.
 Não te preocupe a colheita, plantas para o irmão..." (Canto)                                            
                                   Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa - 16.07.2017

quarta-feira, 12 de julho de 2017

«Bíblia Jovem YOUCAT»


A Paulus Editora publicou a ‘Bíblia Jovem YOUCAT’, com prefácio assinado pelo Papa Francisco, onde afirma que “a Bíblia não é feita para ser colocada numa prateleira” e “é um livro extremamente perigoso”.
“A Bíblia não é feita para ser colocada numa prateleira, mas para ser levada na mão, para ser lida frequentemente. Têm nas mãos algo de divino: Um livro como fogo, um livro no qual Deus fala”, escreve o Papa.
No prefácio da nova publicação, o pontífice argentino refere que a Bíblia “é um livro extremamente perigoso” e contextualiza que em certos países quem tem uma “é tratado como se escondesse granadas no armário”.
Francisco explica também como lê a sua “velha Bíblia”, observa que “a Palavra de Deus não pode ser lida com “uma vista de olhos”” e dá sugestões aos jovens sobre como usá-la.
“Querem fazer-me feliz? Leiam a Bíblia!”, pede o Papa aos jovens.
Num comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA, a Paulus Editora informa que na Bíblia “para os jovens da Igreja Católica”, da coleção YOUCAT é uma coletânea dos “trechos bíblicos mais significativos” que ajudam os jovens a “inspirarem-se na Palavra de Deus”.
Cada livro bíblico é precedido por uma breve introdução de contextualização, nas margens das páginas há frases de “grandes santos e pensadores da Humanidade”, que atuam como “chaves de leitura do capítulo bíblico correspondente”.
Como é característico da coleção juvenil, a ‘Bíblia Jovem Youcat’ está “totalmente ilustrada”, com um grafismo leve e atual e inclui imagens da Terra Santa, fotografias de algumas das paisagens bíblicas.
A nova publicação que já se encontra nas livrarias da Paulus tem também indicações para o Catecismo da Igreja Católica, o YOUCAT, as perguntas dos jovens e “os famosos bonequinhos stickman”.
Segundo a editora católica a obra foi preparada por uma equipa de biblistas, doutores em Sagradas Escrituras, membros da Comissão Teológica Internacional da Santa Sé e professores do Pontifício Instituto Bíblico de Roma, durante três anos.
Agência Ecclesia