quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Adorar a Cristo na Eucaristia, servir a Cristo nos doentes

"Quando vier na sua glória, acompanhado de todos os anjos, o filho do homem sentar-se-á sobre o trono da sua glória e todos os povos se reunirão diante dele para separar uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. Colocará as ovelhas à direita e os cabritos à esquerda.
Dirá então o Pai àqueles que estiveram à sua direita: 'vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do reino que vos está preparado desde a criação do mundo.
Tive fome e vós deste-me de comer; tive sede e vós deste-me de beber; estive desabrigado e recolheste-me; nu e vestistes-me; doente e visitastes-me; estive no cárcere e fostes ver-me.'
E os justos perguntar-lhe-ão: 'Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer; com sede e te demos de beber? Quando foi que te vimos sem abrigo e te recolhemos ou nu e te vestimos? Ou quando foi que te vimos enfermo ou no cárcere e te fomos visitar?'
E o Rei responder-lhes-á: 'em verdade vos digo que todas as vezes que fizestes isto a um dos meus irmãos mais pequeninos, foi a mim que o fizestes."
Capítulo 25 do Evangelho de S. Mateus

**********************************
Desde segunda-feira que visitei mais de trinta doentes em Gondomar, Quintela, Arguedeira, Esporões, Cravaz, Valverde e Tarouca. Ainda falta uma parte de Tarouca e o Castanheiro do Ouro.
Além da presença amiga e solidária de elementos do GASPTA, também a chuva tem apostado em complicar. Louvado seja Deus com tudo e em tudo!
Então hoje! Temporal mesmo! Além dos doentes, um funeral antes da adoração à Santíssima Eucaristia nos Esporões. Complicado e cansativo. Mas Cristo tudo merece. Adorá-lo na Eucaristia e servi-lo nos irmãos mais fracos e carentes é um motivo de alegria. Sempre.
O mesmo desabafo sofrido. A mesma constante. Solidão. Eu sei que muitas vezes não é por mal. As pessoas sentem que deviam visitar mais os doentes. Só que depois aparecem as desculpas. "Não tenho tempo... Vou amanhã... Está a chover... Está calor... Hoje não posso... Há gente que tem pouco que fazer e que podia visitar os doentes... Eu também sou doente... Não sei o que hei-de dizer aos doentes... "
Visitar os doentes não é só para os outros, é para cada um de nós. Os doentes não precisarão de muitas palavras, precisam é de muito coração para se sentirem acarinhados, escutados, gente.
Pense nisto, amigo visitante! Se amanhã estiver doente, também gostará de sentir esta mesma solidão e abandono???

1 comentário:

  1. Padre Carlos,
    gostei daquela sua brincadeira no dia em que houve aqui no meu povo a adoração ao Santíssimo Sacramento.
    Lembra-se quando ao fim da Missa, perguntou quem não tinha ainda recebido a Oração da Quaresma? Depois, com toda a calma madou distribuí-la . Em seguida acrescentou em jeito de brincadeira:
    - Agora já sei quem não foi à Missa no domingo passado!...
    E toda a assembleia riu a bom rir.
    Gostei do que disse a seguir. "Cristão sem Missa do Domingo é como corpo sem coração". Também me tocou. Encaixei e aprendi a lição.
    Também por isto, muito obrigado.
    A.T.

    ResponderEliminar