terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Encontro de Janeiras Vale Varosa - 2017

Saudamos a presença do Grupo de Jovens da Paróquia de Tarouca, "Arautos da Alegria",  
neste Encontro de Janeiras, que se realizou em 28 de janeiro no Auditório Municipal.

domingo, 29 de janeiro de 2017

O DIA DA BÍBLIA NA PARÓQUIA



No Plano Pastoral, janeiro e fevereiro são dedicados à Bíblia, com o slogan A BIBLIA É LUZ, É CAMINHO PARA JESUS”.
A Bíblia ajuda as pessoas a conhecer melhor Jesus e a relacionar a vida com a sua mensagem.
Aliás Jesus proclamou bem-aventurados os que ouvem a Palavra de Deus e a guardam, porque a Palavra de Deus é a Luz dos nossos passos.
Somos convidados a descobrir a beleza da Palavra de Deus, a deixarmo-nos atrair por ela, a fazer o propósito de ler e meditar a Bíblia na vida do dia-a-dia.
Que atenção tem dado cada um de nós e as nossas famílias à Bíblia? Costumamos ler a Bíblia em nossa casa?
A Bíblia é Deus na Sua Palavra!
 
Em todas as Eucaristias celebradas neste fim-de-semana na Paróquia de S. Pedro de Tarouca, foi dado um destaque especial à Bíblia, envolvendo bastante gente e a comunidade como tal.
Nas Eucaristias celebradas na Igreja Paroquial, o 10º ano de catequese, com seus catequistas, desempenhou - e muito bem - um papel fundamental. Nas Missas celebradas em capelas, foram várias as pessoas que deram a sua colaboração serena e empenhada.
- Monições viradas para a Palavra de Deus
- Leitura dialogada do Evangelho em que a comunidade também participou com a ajuda do projetor (Igreja)
- Na homilia, além da intervenção do celebrante, foram recitadas  pelos leitores frases (quase todas bíblicas) sobre a Bíblia, Palavra de Deus. Em cada frase a assembleia repetia o slogan "A Palavra de Deus é luz, á caminho para Jesus". Entretanto, íamos entoando, de 5 em 5 frases, um canto de louvar a Deus- Palavra.  Enquanto isso, jovens iam levando devagarinho pela Igreja abaixo a Bíblia, acompanha com uma vela e um cartaz (Igreja) ou então pessoas ergueram a Bíblia para o povo, segurando igualmente uma vela (capelas).
- Na Oração da Paz, recordando e interiorizando a Palavra de Jesus "deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz", a assembleia deu as mãos e rezou com o sacerdote. Paz que se implora ao Deus da paz, paz que se recebe e se transmite.
- No momento da Ação de Graças, rezamos:
 TUA PALAVRA, SENHOR:
Quero agradecer
Quero louvar e bendizer
Quero celebrar
Quero acolher
Quero partilhar com meus irmãos
Quero anunciar
- No fim de cada Eucaristia, houve um momento de diálogo entre sacerdote e comunidade sobre a Bíblia. Boa participação das pessoas.
 
DESAFIOS:
- Deus continua a falar. HOJE. Nas trevas, nevoeiros, tempestades, ELE está lá, a responder-nos. Basta abrir a Bíblia e acolher.
- Partilhar a Palavra Bíblica em família. É a melhor oração. Isto foi sublinhado através de um testemunho.
- Como o Evangelista do ano é S. Mateus, ler cada dia um trecho deste Evangelho.
- A bíblia é o único livro que você lê cujo autor está presente na hora da leitura. A Bíblia é Deus na Sua Palavra!
- Temos um catolicismo que se preocupa muito com imagens, procissões e tradições, mas é bastante indiferente à Palavra de Deus. Um catolicismo órfão da Palavra de Deus!
É urgente alterar a situação, recentrando-nos na Bíblia. É fundamental.
- A bíblia é uma grande carta de amor que Deus nos envia. Vamos deixá-la fechada???

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

29 de janeiro - 4º Domingo do Tempo Comum - A

Leituras: aqui
Saudação inicial
No Plano Pastoral, janeiro é fevereiro são dedicados à Bíblia, com o slogan “A BIBLIA É LUZ, É CAMINHO PARA JESUS”.
A Bíblia ajuda as pessoas a conhecer melhor Jesus e a relacionar a vida com a sua mensagem.
Aliás Jesus proclamou bem-aventurados os que ouvem a Palavra de Deus e a guardam, porque a Palavra de Deus é a Luz dos nossos passos.
Nesta celebração, somos convidados a descobrir a beleza da Palavra de Deus, a deixarmo-nos atrair por ela, a fazer o propósito de ler e meditar a Bíblia na vida do dia-a-dia.
Que atenção tem dado cada um de nós e as nossas famílias à Bíblia? Costumamos ler a Bíblia em nossa casa?
A Bíblia é Deus na Sua Palavra!
 Kyrie
P. Senhor Jesus, Palavra do Pai para nós, que proclamais bem-aventurados os pobres de espírito, os que choram, os humildes, os puros de coração e os misericordiosos, Senhor, tende piedade de nós! R.
P. Cristo Jesus, Palavra de vida eterna, acolhei os que têm fome e sede de justiça, os que sofrem perseguição por amor da justiça e os que promovem a paz, Cristo tende piedade de nós! R. 
P. Senhor Jesus, Caminho, Verdade e Vida, lembrai-vos daqueles que, por vossa causa, são insultados, perseguidos e caluniados na mentira, Senhor, tende piedade de nós! R.

Cântico 
1. A BIBLIA É LUZ, É CAMINHO PARA JESUS

3. A BIBLIA É LUZ, É CAMINHO PARA JESUS
4. Felizes são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a guardam!  (Lucas, 11, 28)

5. A BIBLIA É LUZ, É CAMINHO PARA JESUS
6. A Tua palavra é lâmpada para guiar os meus passos, é luz que ilumina o meu caminho. (Salmo 119, 105)
7. A BIBLIA É LUZ, É CAMINHO PARA JESUS
8. Precisamos de tirar tempo para ler a Bíblia. Quando recebemos uma carta de alguém que amamos muito, nós lemos várias vezes essa carta. Ela é muito importante para nós. Devemos sentir o mesmo  em relação à Bíblia, porque ela é uma carta Daquele que nos ama mais do que qualquer outra pessoa. É uma carta de um Deus amoroso.
9. A BIBLIA É LUZ, É CAMINHO PARA JESUS
10. A Bíblia divide-se em 2 partes: Antigo Testamento (46 livros) e Novo Testamento (27 livros)
11. A BIBLIA É LUZ, É CAMINHO PARA JESUS
Cântico
12. Antigo Testamento:
São todos os livros escritos até o nascimento de Cristo. Contém a Lei de Deus dada a Moisés, a história do povo de Israel e suas reflexões, bem como a previsão da vinda do Messias, que se deu com a vinda de Jesus Cristo.
Novo Testamento:
São todos os livros escritos após a vinda de Jesus até o final do séc. I. Traz a vida e as obras de Jesus, a criação e a expansão da Igreja, além de documentos de formação do povo cristão.
13. A BIBLIA É LUZ, É CAMINHO PARA JESUS
14. Toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa para ministrar a verdade, para repreender o mal, para corrigir os erros e para ensinar a maneira certa de viver. (2Tim, 2, 16)
15. A BIBLIA É LUZ, É CAMINHO PARA JESUS
16. Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras jamais passarão. (Mc  13,31 )
17. A BIBLIA É LUZ, É CAMINHO PARA JESUS
18. O SENHOR é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O SENHOR é a força da minha vida; de quem hei-de ter medo? (Salmo 27, 1)
19. A BIBLIA É LUZ, É CAMINHO PARA JESUS
20. A palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e as intenções do coração. (Hebreus 4, 12)
Cântico
21. A BIBLIA É LUZ, É CAMINHO PARA JESUS
22. A Palavra de Deus é um tesouro precioso que podemos encontrar nas nossas vidas. Quando nós baseamos a nossa existência na Bíblia, somos verdadeiramente felizes.Deus se revela a nós através da Sua Palavra. Com a ajuda da Bíblia, podemos diferenciar o certo do errado, e aprender a viver de maneira que agrada a Deus.
23. A BIBLIA É LUZ, É CAMINHO PARA JESUS
24. Jesus respondeu: "Está escrito: 'Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus'".(LUCAS 4,4 )
25. A BIBLIA É LUZ, É CAMINHO PARA JESUS
26. Quando as tuas palavras foram encontradas, eu as comi; elas são a minha alegria e o meu júbilo, pois pertenço a ti, Senhor Deus dos Exércitos.
Jeremias 15:16
27. A BIBLIA É LUZ, É CAMINHO PARA JESUS
28.Sede praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-vos a vós mesmos.
(
Tiago 1:22 )
29. A BIBLIA É LUZ, É CAMINHO PARA JESUS
30. A Bíblia é o único livro que você lê cujo autor está presente na hora da leitura.
Cântico

Oração dos Fiéis
  1. Para que todos os batizados, que são a Igreja de Cristo, façam das bem-aventuranças a luz do seu caminhar neste mundo, oremos ao Senhor
  2. Para que todos os povos procurem o Senhor na justiça, na paz, na humildade e na verdade, oremos ao Senhor
  3. Para que o povo cristão, à semelhança da Virgem Maria, saiba acolher, meditar e praticar a Palavra de Deus, oremos ao Senhor
  4. Para que todos nós e nossas famílias tenhamos grande amor à Bíblia, a leiamos e possamos encontrar nela a voz de Deus que responde às nossas necessidades, oremos ao Senhor
  5. Para que todos os batizados sejam apóstolos da Palavra de Deus, que é Palavra de vida eterna, oremos ao Senhor
Apresentação das Oferendas
Leitor: Trazemos, Senhor, as nossas alegrias e tristezas, as nossas dores e esperanças, o nosso pecado e a vontade de conversão, os nossos fracassos e os nossos êxitos.
E Tu, Senhor, respondes-nos.
Encontramos a Tua resposta na Bíblia, Palavra de Deus para nós. Hoje.

Pai Nosso
Pai,
Como é bom, Deus, poder tratar-Te por Pai!
Em Cristo e com Cristo, também nós somos teus filhos bem amados!
A Bíblia é uma bela carta que Tu, Pai misericordioso e bom, envias a cada um de nós.
Ensina-nos, Senhor Deus, a adorar-Te na Tua Palavra!
Pós-Comunhão 
A TUA PALAVRA, SENHOR:

Quero agradecer


Quero louvar e bendizer
Quero celebrar
Quero acolher
Quero partilhar com meus irmãos 
Quero anunciar

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Nada te turbe

25 de janeiro - Conversão de São Paulo


O perseguidor transformado em pregador
Do alto do céu a voz de Cristo fez com que Saulo caísse por terra: recebeu a ordem de não continuar com as suas perseguições, e caiu por terra. Era preciso que tombasse e em seguida se erguesse; primeiro caído e depois curado. Porque Cristo não teria nunca vivido nele se Saulo não tivesse abandonado a sua antiga vida de pecado. Caído por terra, que ouve ele? «Saulo, Saulo, por que Me persegues? É duro para ti recalcitrar contra o aguilhão» (Act 26, 14). Ao que ele respondeu: «Quem és tu, Senhor?» E a voz do alto continuou: «Sou Jesus de Nazaré, que tu persegues». Os membros ainda estão na terra, é a cabeça que grita do alto do céu; e não diz: «Por que persegues os Meus servos?» mas «Por que Me persegues?»
E Paulo, que empregava todo o seu ardor nas perseguições, dispõe-se desde logo a obedecer: «Que queres que eu faça?» Já o perseguidor se transformou em pregador, o lobo em ovelha, o inimigo em defensor. Paulo aprende o que deve fazer: se ficou cego, se a luz do mundo lhe foi subtraída durante um certo tempo, foi para que no seu coração brilhasse a luz interior. A luz é retirada ao perseguidor para ser dada ao pregador; no próprio momento em que não via nada deste mundo, viu Jesus. É um símbolo para os crentes: aqueles que crêem em Deus devem fixar n’Ele o olhar da sua alma sem ter em consideração coisas exteriores. […]
Saulo é conduzido a Ananias; o lobo destruidor é levado à ovelha. Mas o Pastor que tudo conduz do alto dos céus, tranquiliza-o […]: «Não te preocupes. Eu lhe revelarei tudo o que ele tem de sofrer pelo Meu nome.» (Act 9,16). Que maravilha! O lobo é trazido à ovelha […]. O Cordeiro, que foi morto pelas ovelhas, ensina-as a não temerem.
Santo Agostinho, Sermão 279

25 de janeiro - Conversão de São Paulo

O amor de Cristo impele-nos


segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Um Domingo sem Missa é uma semana sem Deus!

Foto de Joaquim Correia Duarte.
DEUS ESTÁ MUITO OFENDIDO COM TANTOS CRISTÃOS CATÓLICOS AGORA AFASTADOS DA IGREJA.
JESUS ESTA MUITO TRISTE COM O DESINTERESSE E O DESLEIXO DE TANTOS CATÓLICOS E COM A SUA AUSÊNCIA NA SANTA MISSA DE CADA DOMINGO, SEM OUTRA RAZÃO SENÃO O SEU DESINTERESSE, DESLEIXO, FALTA DE SERIEDADE E COMPROMISSO NA VIDA CRISTÃ.

Da Constituição Sacrosanctum Concilium, do Concílio Vaticano II, sobre a Sagrada Lit
urgia
(sec. XX)

Cristo está sempre presente na sua Igreja
Cristo está sempre presente na sua Igreja, especialmente nas acções litúrgicas. Está presente no sacrifício da Missa, tanto na pessoa do ministro – «Ele que Se oferece agora pelo ministério sacerdotal é o mesmo que Se ofereceu cruz» – como e sobretudo sob as espécies eucarísticas. Está presente pela sua virtude nos sacramentos, de modo que quando alguém baptiza é o próprio Cristo que baptiza. Está presente na sua palavra, pois é Ele que fala quando se lê na Igreja a Sagrada Escritura. Está presente, enfim, quando a Igreja reza e canta, Ele que prometeu: Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, Eu estou no meio deles.

Por tradição apostólica, que tem a sua origem no próprio dia da ressurreição de Cristo, a Igreja celebra o mistério pascal todos os oito dias, no dia que justamente se chama dia do Senhor ou domingo. Neste dia devem os fiéis reunir-se para ouvir a palavra de Deus e participar na Eucaristia, e assim recordar a paixão, ressurreição e glória do Senhor Jesus e dar graças a Deus, que os fez renascer para uma esperança viva pela ressurreição de Jesus Cristo de entre os mortos. Por isso o domingo é o principal dia de festa que se deve propor e inculcar à piedade dos fiéis, de modo que seja também o dia da alegria e do repouso. Não se lhe devem sobrepor outras celebrações que não sejam de máxima importância, porque o domingo é o fundamento e o núcleo de todo o ano litúrgico.
Joaquim Correia Duarte

Quem vai orientar orientar a Novena de Santa Helena 2017?

Foto de Centro Paroquial Santa Helena.
Foto de Centro Paroquial Santa Helena.
O P.e Sousa Lara orientará a Novena de Santa Helena 2017.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

22 Janeiro 2017 - 3º Domingo do Tempo Comum – Ano A

Leituras: aqui

1. É surpreendente e escandalosa a estratégia pastoral de Jesus! A primeira surpresa escandalosa é que Jesus não inicia a Sua vida pública em Jerusalém, o centro religioso, social e político de Israel. A Sua missão começa numa zona periférica, numa região desprezada pelos judeus piedosos, devido à presença de diversas populações estrangeiras; por isso o profeta Isaías a indica como «Galileia dos povos» (Is 8,23), terra de pagãos. Jesus enfrenta corajosamente este ambiente urbano, esta mistura de raças, culturas e religiões. Sai ao seu encontro, na certeza de que Deus habita na cidade, a começar pelos pobres. Sai para Se encontrar, para ouvir, para abençoar, para caminhar com as pessoas…
2. Também nós estamos hoje imersos numa «Galileia dos povos». Dominados pelo medo, somos tentados a construir recintos fechados, condomínios privados, para aí nos sentarmos e sentirmos mais seguros, mais protegidos, fazendo, por exemplo, da paróquia, “um grupo de eleitos que olham, para si mesmos, e não um centro de constante envio missionário” (EG, 28). Partindo da Galileia, Jesus ensina-nos o contrário: partir da periferia, dos últimos, dos pobres, dos resíduos, dos não crentes, dos distantes, dos que procuram, para alcançar a todos! É, pois, urgente «sair do próprio conforto e ter a coragem de chegar a todas as periferias que precisam da luz do Evangelho» (EG, 20).
3. E há uma segunda surpresa escandalosa! Jesus começa a Sua missão por pessoas, que se diriam hoje «de perfil baixo». Para escolher os Seus primeiros discípulos e futuros apóstolos, não Se dirige às escolas dos escribas e dos doutores da Lei, mas às pessoas humildes e simples, que se preparam com empenho para a vinda do Reino de Deus. Jesus vai chamá-los lá onde eles trabalham, nas margens do lago: são pescadores. Chama-os e eles seguem-n’O imediatamente: a sua vida tornar-se-á, com Jesus, uma aventura fascinante.
4. Queridos irmãos e irmãs: o Senhor chama também hoje! O Senhor passa pelas estradas da nossa vida diária. O Senhor passa pela nossa praça. E chama-nos a segui-l’O, para andar com Ele, para trabalhar com Ele pelo Reino de Deus, nas «Galileias» dos nossos tempos. Deixemo-nos alcançar pelo Seu olhar, pela Sua voz, e sigamo-l’O, para que a alegria do Evangelho chegue a todos «e nenhuma periferia fique privada da sua luz» (EG, 288).
5. Seguindo o exemplo de Cristo, é preciso mudar toda a nossa estratégia pastoral. Sugeria apenas duas pistas muito simples, mas revolucionárias:
Primeira: não fiquemos sentados nos bancos da igreja à espera de quem chega, mas saiamos ao encontro de quem não vem. Irmão, irmã: sai pelas ruas da cidade, ao encontro dos mais pobres, dos sós e frágeis, mas também atento aos que vagueiam e procuram, sem sossego, uma luz para a sua vida. Sai ao encontro das pessoas, para caminhar com elas, para as ouvir e conversar, e assim lhes facilitares e provocares o encontro com o teu Senhor!
Segunda: não façamos proselitismo, como quem procura angariar sócios para um clube. Evangeliza por atração (EG 14), por contágio, pelo testemunho feliz da tua vida e pela beleza da tua comunidade. Sem propaganda, irradia e contagia com a alegria do Evangelho! Usa de ternura e de misericórdia! Atrai, pelo brilho da tua fé, para a Luz, que é Jesus Cristo. Levanta essa luz, como a de um farol, que projeta ao longe horizontes novos de esperança! Leva essa luz, como a de uma candeia, que ilumina, de perto e no concreto, a escuridão do teu irmão.
E dir-se-á: o povo de Tarouca, a Galileia dos gentios, viu uma grande luz!
Amaro Gonçalo

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

O Mártir São Sebastião

PADROEIRO PRINCIPAL DA DIOCESE DE LAMEGO
Venerado também em Tarouca onde tem a sua Capela
Resultado de imagem para capela do mártir tarouca
Celebrámos, neste dia 20 de janeiro, na nossa Diocese de Lamego, a solenidade do Padroeiro principal, mártir São Sebastião, o bom soldado de Cristo. O patrono escolhido deverá ser uma referência que inspire a viver o Evangelho na identificação com Jesus Cristo, morto e ressuscitado.
Quando uma terra e/ou uma comunidade escolhe um patrono isso deve-se ao seu carisma e à vontade de seguir a sua determinação e o exemplo da sua vida. Os santos mártires ganharam uma enorme projeção nas comunidades cristãs dos primeiros séculos e pelos séculos seguintes.
É nesta perspetiva que São Sebastião, Santa Eufémia, Santa Inês, Santa Luzia, São Vicente, diácono, Santa Bárbara, se impõem por todo o mundo cristão, pelo testemunho de fidelidade ao Evangelho, a Jesus Cristo, arriscando a própria vida. Foi também uma forma de catequizar as comunidades, pregar através de exemplos concretos.
A vida de São Sebastião, naquilo que a tradição assimilou e transmitiu, é um exemplo como a fé ajuda a ultrapassar os obstáculos da vida e como o cristão se pode santificar nas mais diversas profissões e/ou ocupações. Mais forte que tudo é o amor a Deus.
Descendente de uma família nobre, terá nascido em Narbona, sul de França, em meados do século III. Segundo a maioria dos estudiosos, os seus pais eram de Milão, onde cresceu até se mudar para Roma. Mas também há quem defenda que o pai era natural de Narbona e Sebastião tenha nascido em Milão.
Em nome da religião enveredou por uma carreira militar, para desse modo defender os cristãos que sofriam uma terrível perseguição. As suas qualidades são amplamente elogiadas: figura imponente, prudência, bondade, bravura, era estimado pela nobreza e respeitado por todos.
De Milão, o jovem soldado deslocou-se para Roma, onde a perseguição era mais intensa e feroz, para testemunhar a fé e defender os cristãos.
O imperador Diocleciano, reconhecendo nele a valentia e desconhecendo a sua religião, nomeou-o capitão general da Guarda Pretoriana. Animava os condenados para que se mantivessem firmes e fiéis a Jesus Cristo.
Primeiro cai nas graças do imperador, logo a defesa da fé cristã e a intercessão pelos cristãos perseguidos desencadeiam a sua morte. Cada novo mártir que surgia tornava-se um alento e um desafio para Sebastião. Foi denunciado por Fabiano, então Governador Romano. Diocleciano acusou-o de ingratidão. Foi cravado por flechas, até o julgarem morto.
A iconografia é muito plástica a seu respeito, inconfundível. São Sebastião é representado com o corpo pejado com várias setas, e surge preso a um tronco de árvore.
Entretanto uma jovem, de nome Irene (santa Irene?) passou e verificou que ainda estava vivo. Levou-o para casa e curou-lhe as feridas. Ainda não completamente restabelecido, mas já com algumas forças e persistência voltou junto do imperador para defender os cristãos, condenando-lhe a impiedade e injustiça.
Diocleciano mandou que fosse chicoteado até à morte e depois deitado à Cloaca Máxima, o lugar mais imundo de Roma. O corpo foi recuperado e sepultado nas catacumbas da Via Ápia. Faleceu a 20 de janeiro de 288, ou 300.
Logo após o seu martírio começou a ser venerado como santo.
Testemunhou a fé, com coragem e alegria, a partir da sua vida, como jovem soldado, cristão. Daqui se conclui que a santidade é possível em qualquer trabalho, em qualquer vocação, em qualquer compromisso humano.
O tempo e o ambiente em que vivemos não é de perseguição declarada aos cristãos, mas a nossa tarefa não é mais fácil que a de São Sebastião. A sua fé confrontou-se com a perseguição, ajudando aqueles que estavam próximos de desanimar.
Quantas vezes nos deixamos contagiar por um contexto, por valores e leis contrários à fé que professamos? Quantas oportunidades para nos afirmarmos cristãos? Quantas formas de perseguição aos valores que defendemos? Quantos cristãos precisam que os animemos na sua fé, na sua caminhada espiritual?!
In Voz de Lamego

Os 10 países onde os cristãos sofrem mais perseguição pela sua fé


Os 10 países onde os cristãos sofrem perseguição extrema são: Coreia do Norte, Somália, Afeganistão, Paquistão, Sudão, Síria, Iraque, Irão, o Iêmen e Eritreia. Em 41º lugar está o México e em 50º a Colômbia.
Ver aqui

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos de 2017


Papa Francisco com o presidente da Federação Luterana Mundial
Papa Francisco com o presidente da Federação Luterana Mundial

A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos de 2017, que no hemisfério norte se celebra de 18 a 25 de janeiro, vai evocar os 500 anos da reforma protestante, iniciada por Martinho Lutero.
O documento de reflexão preparado e publicado em conjunto pelo Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos (Santa Sé) e a Comissão Fé e Constituição (Conselho Mundial de Igrejas) tem como tema central a “reconciliação”.
Que pessoas e Igrejas possam ser impelidas pelo amor de Cristo a viver vidas reconciliadas e a derrubar as paredes da divisão”, pode ler-se.
A proposta deste ano surgiu pela mão do Conselho de Igrejas na Alemanha (ACK), a convite do Conselho Mundial de Igrejas, o qual assinala que a reforma de Lutero “tem sido tema de controvérsia na história das relações intereclesiais”.
Em 1517 Martinho Lutero publicou as suas “95 teses”, provocando uma rutura entre várias comunidades cristãs, até então ligadas à Igreja Católica, apresentada no documento como “dolorosa divisão”.
As Igrejas cristãs na Alemanha propõem que, 500 anos depois, se reflita sobre a “reconciliação como centro da fé”.
O tema da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos de 2017 inspira-se numa passagem da segunda carta de São Paulo aos Coríntios: ‘Reconciliação: é o amor de Cristo que nos impele’.
“Como embaixadoras de reconciliação, as Igrejas ativamente prestaram assistência aos refugiados na busca de novos lares, enquanto, ao mesmo tempo, tentavam melhorar as condições de vida nos países que eles tinham deixado para trás”, refere o documento de reflexão.
A 31 de outubro de 2016, o Papa e o presidente da Federação Luterana Mundial (LWF, siga em inglês), assinaram na Suécia uma declaração comum, por ocasião da comemoração conjunta católico-luterana dos 500 anos da reforma protestante.
Pedimos a Deus inspiração, ânimo e força para podermos continuar juntos no serviço, defendendo a dignidade e os direitos humanos, especialmente dos pobres, trabalhando pela justiça e rejeitando todas as formas de violência”, refere o texto, firmado por Francisco e por Munib Yunan na catedral luterana de Lund, após uma oração ecuménica.
A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos está em destaque nas emissões do Programa ECCLESIA na Antena 1 da rádio pública, até sexta-feira, pelas 22h45.
Fonte: aqui

18 de janeiro - Dia Internacional do Riso

UM SANTO TRISTE É UM TRISTE SANTO.

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

sábado, 14 de janeiro de 2017

Vêm aí as Procissões da Quaresma e Semana Santa


*Passos do Senhor – Domingo de Lázaro, 18h

*Procissão do Encontro - 5ªfeira Santa, 18h

*Enterro do Senhor – Sexta-feira Santa, 21h

Comissão Organizadora

José Oliveira, Jaime Vitorino, Joaquim Maurício, Manuel Domingos Costa;

Isabel Vingadas, Ana Maria Carvalho, Alda Fernandes, Almerinda Matias, Cândida Assunção

Alice Costa

Comissão para o peditório

Valverde:

Virgínia Teixeira, Ilda Vieira, Rosa Carvalho

Castanheiro do Ouro

Irene do Carmo Venâncio, Edgar Osório Lima, Aurélio Carneiro Sarmento

Esporões

Ana Maria Aires, Mirtes Neves Assunção, R. Rui Manuel Costa Pereira

Tarouca

Emília da Silva, Leonor Cardoso, Ernesto Silva

Teixelo

Ida Ribeiro Rodrigues da Silva e Fernanda Conceição Morais...

Quintela, Vila Pouca e Ponte das Tábuas

Joaquim Silva e António Botelho

Cravaz

Miguel Ângelo e Gravelina Vieira

Arguedeira

Manuel Lourenço e Mário Dias

Gondomar
Jorge Camilo e Ana Paula Alves

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

TEM INTERESSE EM APROFUNDAR A SUA FÉ?

O cristão, discípulo de Jesus Cristo, é convidado a seguir o Mestre. Mas nin­guém segue um desconhecido ou confia num estranho. E é na medida em que conhece que é capaz de amar e de testemunhar, tornando-se missioná­rio, dando “razões da sua esperança” e sendo fermento e luz num tempo em que Jesus Cristo vai perdendo visibilidade.
"Já sabemos que a cultura de hoje não transmite a fé, mas a liberdade reli­giosa... É por isso que voltamos às coordenadas de São Paulo, e precisamos urgentemente de passar de uma fé de mera convenção para uma de entra­nhada convicção” (D. António Couto, Carta Pastoral, 2016, n.° 10).
“Para isso, é preciso dar um colorido novo a tudo o que já existe. E é preciso que todos os que se dizem discípulos de Jesus Cristo, e que já frequentam as nossas paróquias, sejam transformados em verdadeiros Evangelizadores” (D. António Couto, Carta Pastoral, 2016, n.° 13).
O objectivo é concretizarmos a existência de uma estrutura que organize e promova:
-  encontros de formação pela diocese (sessões temáticas)
- e garanta um curso básico de formação religiosa.
A proposta é dirigida a todos os diocesanos, independentemente da sua es­colarização, missão, pertença ou participação eclesial
No sentido de proporcionar os momentos de formação esperada e desejada, pedimos a colaboração no preenchimento deste questionário.
Também pode preencher online, AQUI
Agradecíamos que, após o preenchimento, o entregasse ao seu Pároco ou o fizesse chegar até nós (até ao fim de fevereiro). Obrigado!  


Lugar da Rina, 5100-196 Lamego
 

A Diocese oferece-lhe dois tipos de formação:
-  encontros de formação pela diocese (sessões temáticas)
- e garante um curso básico de formação religiosa.
  
ESTAS PROPOSTAS DE FORMAÇÂO  são dirigidas a todos os diocesanos, independentemente da sua es­colarização, missão, pertença ou participação eclesial.
 
Os encontros de formação pela diocese podem decorrer em qualquer paróquia ou arciprestado desde que haja um número suficiente de inscritos.
 
O Curso Básico de Formação Religiosa decorrerá no Seminário de Lamego durante 2 anos.
 
Claro que as pessoas podem participar em ambos: Encontros de Formação e Curso Básico.

Comece já a participar, preenchendo o inquérito. Pode indicar dias, horas e temas que lhe sejam mais oportunos e importantes.
Se usa a internet, pode preencher o inquérito no site acima referido.
Caso prefira preenche-lo à mão, faça-o desse modo. Depois pode envie-o para o contacto indicado acima.
CADA CRISTÃO PRECISA DE MAIS FORMAÇÃO, MAIS FORMAÇÃO, MAIS FORMAÇÃO!!!