quinta-feira, 28 de julho de 2016

Jornada Mundial da Juventude (JMJ) na Polónia

De 26 a 31 de julho de 2016

Vá seguindo a Jornada Mundial da Juventude ... AQUI

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Padre Jacques Hamel

Vi debaixo do altar as almas dos que foram mortos
por amor da palavra de Deus
e por amor do testemunho que deram
Ap 6, 9
Pére Jacques Hamel estava ali, servindo o Senhor, quando em nome de um deus que não existe, (porque não há nenhum deus que exija a morte, que fomente o ódio, que enalteça a morte dos outros), é barbaramente morto, decapitado, como se por acaso o Deus de infinito amor não recebesse com superlativo amor, aquele que perde a cabeça, (porque apaixonado se deixa guiar pelo coração), no Seu seio, e não fizesse a festa no Céu por aquele que foi sacrificado pelo “rebanho”.
Decapitado ou morto por leões, numa europa que cada vez mais se aproxima dos circos romanos, onde se matava em nome de nada e os cidadãos se compraziam com o espectáculo, anestesiados por governantes corruptos e débeis na vontade, na força e no carácter.
Não, não pode haver vingança a ser servida, mas tão só a realidade dos factos, a justiça que deve ser exercida e exigida, e a demonstração que a civilização tocada por Cristo, é muito melhor do que o ódio que poderia humanamente ser aceitável contra tais indivíduos, porque é uma civilização tocada pelo amor, em que o mandamento principal depois do amor a Deus, é o amor aos outros, mesmos àqueles que nos fazem mal.
É que se nos deixarmos levar por esse ódio, então damos-lhes a vitória, porque perdemos o que de mais sagrado nos une a Deus, que é amor a Ele e aos outros.
Dizem-nos vários relatos dos martírios dos Santos de Deus no Circo de Roma, que eles cantavam, louvavam a Deus, enquanto morriam.
Sem deixarmos a tristeza tão humana inerente à perca de uma vida humana dedicada a Deus, demos também nós graças a Deus por este Seu filho, Jacques Hamel, e alegremo-nos porque temos um Santo no Céu a interceder por nós.
Rezemos também pelos seus algozes, por muito que nos custe, na certeza de que Jacques Hamel junto de Deus, Lhe diz neste momento: Perdoa-lhes Pai, que não sabem o que fizeram!
Tudo e sempre para a maior glória de Deus, nosso começo e nosso fim, nossa confiança e esperança, nossa vida eterna em plenitude.
Marinha Grande, 26 de Julho de 2016
Joaquim Mexia Alves

31/07/2016 - 18º Domingo do Tempo Comum - Ano C

Leituras: aqui

terça-feira, 26 de julho de 2016

Festa de São Tiago em Arguedeira

A Comissão de Festas de Santo António, Arguedeira, sempre celebra São Tiago, o que acontece em 25 de julho. Este ano, tal voltou a acontecer.
Pelas 19 horas, foi celebrada a Santa Missa. Seguindo-se, mais tarde, a atuação de um conjunto e o convívio popular.
Esta Capela diz-nos bem da inteligência prática dos nossos antecessores. Como o templo é muito pequeno, colocaram o púlpito à entrada da capela para que, assim, todos os participantes pudessem ouvir a Palavra de Deus. Recordamos que, antigamente, não existia instalação sonora, pelo que era necessário que todos pudessem escutar a Palavra de Deus. A maneira prática que os antigos encontraram foi colocar o púlpito à entrada do templo. Assim todos podiam escutar, os que estavam dentro e os que estavam fora.
Bastante gente na celebração que correu com serenidade e participação.
Foi muito belo o que se seguiu à celebração. Alguns vizinhos da Capela convidaram os participantes para uma bebida em suas casas. Ora, atendendo ao calor, tal gesto caiu bem nas pessoas e diz muito do acolhimento tão próprio das nossas gentes.
A festa de São Tiago tem muito de festa familiar, pela alegria, simplicidade, partilha, são convívio.
Parabéns aos mordomos e ao povo.

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Festa de Cristo Rei - 2016


















No passado dia 24 de Julho, realizou-se a festa em honra de Cristo Rei, em Gondomar.
O dia amanheceu com um tempo fantástico, um verdadeiro dia de Verão, e assim muita gente demandou aquele monte para assistir às celebrações. Às 11h30 teve início a eucaristia seguida de procissão. Ambas aconteceram num clima de silêncio e as pessoas presentes souberam respeitar a santidade do momento e participaram de forma entusiasta. Depois de terminada a procissão e ser dada a bênção a todos os presentes, muitos foram aqueles que decidiram almoçar naquele lugar, afinal no monte o apetite aumenta e tudo parece mais puro! Durante a tarde, teve lugar um momento de animação com a atuação do grupo de concertinas “Terras do Demo”, seguindo-se, por fim, o sorteio das rifas. Tudo correu bem, as pessoas foram participativas e houve serenidade durante toda a festa.
A imagem imponente de Cristo Rei ergue-se no lugar mais alto da povoação de Gondomar e, não só no dia da festa, mas durante todo o ano, a subida àquele monte parece fazer-nos estar mais perto de Deus. Aquele sítio paradisíaco dá a quem lá vai uma paz interior enorme e proporciona um encontro com Deus fantástico. A paisagem é lindíssima e tudo o que envolve aquela serra torna-a encantadora. Que Deus ilumine todos aqueles que visitam aquele lugar, lhes dê um coração puro como a serra e os transforme em pessoas de paz.


Ana Patrícia Teixeira


É de justiça salientar o trabalho, a dedicação, o carinho e o empenho demonstrados pela Comissão da Capela de Cristo Rei. É conhecida a sua determinação de tudo fazer para continuar a dar àquele espaço as melhores condições, reforçando sempre o seu carácter de espaço religioso.

Santo do dia: São Tiago Maior, apóstolo


Nascido em Betsaida, este apóstolo do Senhor era filho de Zebedeu e de Salomé e irmão do apóstolo João, o Evangelista.
Pescador juntamente com seu irmão João, foi chamado por Jesus a ser discípulo d’Ele. Aceitou o chamado do Mestre e, deixando tudo, seguiu os passos do Senhor.
Dentre os doze apóstolos, São Tiago foi um grande amigo de Nosso Senhor fazendo parte daquele grupo mais íntimo de Jesus (formado por Pedro, Tiago e João) testemunhando, assim, milagres e acontecimentos como a cura da sogra de Pedro, a Transfiguração de Jesus, entre outros.
Procurou viver com fidelidade o seu discipulado. No entanto, foi somente após a vinda do Espírito Santo em Pentecostes que São Tiago correspondeu concretamente aos desígnios de Deus. No livro dos Atos dos Apóstolos, vemos o belo testemunho de São Tiago, o primeiro dentre os doze apóstolos a derramar o próprio sangue pela causa do Evangelho:
“Por aquele tempo, o rei Herodes tomou medidas visando maltratar alguns membros da Igreja. Mandou matar à espada Tiago, irmão de João” (At 12,1-2).
Segundo uma tradição, antes de ser martirizado, São Tiago abraçou um carcereiro desejando-lhe “a Paz de Cristo”. Este gesto converteu o carcereiro que, assumindo a fé em Jesus, foi martirizado juntamente com o apóstolo.
Existe ainda outra tradição sobre os lugares em que São Tiago passou, levando a Boa Nova do Reino. Dentre estes lugares, a Espanha onde, a partir do Século IX, teve início a devoção a São Tiago de Compostela.
São Tiago Maior, rogai por nós!
Fonte: aqui

Férias são um direito, uma necessidade

Não faça férias de Deus.
Faça férias com Deus!

quinta-feira, 21 de julho de 2016

24/07/2016 - 17º DOMINGO DO TEMPO

Leituras: aqui



«A Igreja não satisfaz expectativas, celebra mistérios»

O cardeal Carlo Maria Martini, sempre acutilante na sua magna sapiência, notou que «a Igreja não satisfaz expectativas, celebra mistérios».
Os mistérios não devem variar conforme as nossas expectativas, as nossas expectativas é que se devem conformar ao mistério.
É por isso que Chesterton sonhava com uma Igreja que não mudasse com o mundo, mas que contribuísse para mudar o mundo.
A Igreja não existe para que façamos a nossa vontade.
A Igreja existe para que a nossa vontade coincida com a vontade de Deus!
João António Teixeira, in Facebook

quarta-feira, 20 de julho de 2016

O astronauta

Soube há pouco que um astronauta, que era ateu e se havia convertido ao catolicismo, para fazer uma viagem, já não recordo onde, pusera como condição que lhe deixassem levar o Santíssimo Sacramento da Eucaristia para comungar ao menos uma vez por semana, por sua própria mão, enquanto estivesse ausente nos dois meses da viagem. O bispo da sua diocese concedera-lhe a autorização.
Foi-me contado, como o escrevo. Ou quase. Quem mo contou pretendia louvar a atitude deste cristão, em contraste com a de muitos que não têm qualquer tipo de amor à Eucaristia. Porém, a mim soube-me a estranho. A confusão. 
Em primeiro lugar, parece-me esquisito, para não dizer despropositado, pôr condições a Deus. Vou ali se vieres comigo. Vou ali se te puder comungar. Claro que o astronauta foi um testemunho exemplar do amor a Deus. Mas o amor é tão livre que até na comunhão deveria ser sem condições. 
Em segundo lugar fez-me pensar em tantas outras pessoas sem nome que não têm a possibilidade de comungar por não terem sacerdote, ministro extraordinário da Comunhão ou Eucaristia à mão. Ou aqueles que a hierarquia afasta da comunhão porque as condições assim o não permitem. Não vou explicar de quem me estou a lembrar. 
Nem escrúpulos nem facilidades. O amor é geralmente o termómetro das nossas opções!
Fonte: aqui

terça-feira, 19 de julho de 2016

Decorrerá de 26 a 31 de julho, em Cracóvia, na Polónia, a XXXI Jornada Mundial da Juventude


Estarão presentes jovens desta comunidade.
Aos nossos jovens e a todos os participantes desejamos uma feliz Jornada Mundial da Juventude.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Francisco solidário com vítimas da «violência cega»

 
O Papa Francisco enviou uma mensagem de condolências às vítimas do atentado que esta quinta-feira à noite fez pelo menos 84 mortos na cidade de Nice (sudeste), condenando a “violência cega” que atingiu as vítimas.
“Quando a França celebrava a sua festa nacional, a violência cega atingiu mais uma vez o país em Nice, fazendo numerosas vítimas, incluindo crianças”, refere o texto, divulgado pela sala de imprensa da Santa Sé.
A mensagem foi transmitida ao bispo de Nice, D. André Marceau, através do secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin.
“Condenando mais uma vez estes atos, sua Santidade o Papa Francisco manifesta a sua profunda tristeza e a sua proximidade espiritual ao povo francês”, pode ler-se.
O atentado em Nice fez pelo menos 84 mortos e mais de 100 feridos, dos quais 18 em estado considerado crítico, segundo o mais recente balanço do Governo francês.
Um homem, identificado como Mohamed Lahouaiej Bouhlel, lançou um camião sobre a multidão reunida na avenida marginal da cidade de Nice para assistir a um espetáculo de fogo-de-artifício, durante as celebrações do Dia Nacional de França (Tomada da Bastilha).
Rezo pelas vítimas do atentado em Nice e seus familiares. Peço a Deus que converta o coração dos violentos, obcecados pelo ódio

O Papa mostra-se solidário com os feridos e com os que estiveram envolvidos nas operações de socorro, rezando por eles “nesta provação”.
Francisco “confia à misericórdia de Deus” as pessoas que perderam a vida e associa-se também ao “luto” das famílias das vítimas.
“Implorando a Deus o dom da paz e da concórdia, ele invoca sobre as famílias provadas e sobre todos os franceses a graça das bênçãos divinas”, conclui a mensagem.
O Papa recorreu depois ao Twitter para deixar uma mensagem a todos os que o seguem nesta rede social: "Rezo pelas vítimas do atentado em Nice e seus familiares. Peço a Deus que converta o coração dos violentos, obcecados pelo ódio".
O presidente francês, François Hollande, decretou três dias de luto nacional, de sábado a segunda-feira, na sequência do atentado.
In agência ecclesia

terça-feira, 12 de julho de 2016

Euro 2016: Uma vitória portuguesa com olhar para o Céu

Selecionador nacional deixou mensagem de fé após conquista inédita de Portugal
(Lusa)
Fernando Santos, treinador da seleção portuguesa de futebol que este domingo se sagrou campeã da Europa, evocou a sua fé católica no discurso de agradecimento que leu em Paris.
"Em primeiro lugar e acima de tudo, quero agradecer a Deus Pai por este momento e tudo aquilo da minha vida", disse, numa declaração que, segundo confessou, tinha escrito semanas atrás.
A carta que Fernando Santos escreveu no seu quarto, agradecendo a Deus, foi lida antes das perguntas dos jornalistas, na conferência de imprensa após a final, num tom muito emocionado.
"Por último, mas em primeiro, quero ir falar com o meu maior amigo e sua mãe [Jesus Cristo e a Virgem Maria], dedicar-lhe esta conquista e agradecer por me ter convocado e agradecer por me ter concedido o dom da sabedoria, da perseverança e humildade para guiar esta equipa, com Ele a ter-me iluminado e guiado. Por tudo o que espero e desejo seja para glória de seu nome", declarou o selecionador português.
Portugal sagrou-se campeão da Europa de futebol, pela primeira vez na sua história, ao bater na final a anfitriã França por 1-0, após prolongamento, com golo de Éder, num encontro disputado na capital francesa.
O percurso de vida e de fé de Fernando tinha estado em destaque na emissão de domingo do Programa ECCLESIA, na Antena 1 da rádio pública.
No dia da final do Campeonato da Europa de Futebol, o programa recordou uma conversa em que o treinador desvenda também como começou a sua relação mais próxima com a fé e a Igreja Católica.
“Não vale a pena projetar, porque só Deus sabe o que vai acontecer na nossa vida”, confessava.
A relação com “Cristo vivo” e a vivência dos seus valores marcaram o percurso de Fernando Santos no mundo do futebol profissional.
“Sempre antes do jogo entrego a minha equipa, ofereço-a a ele, que nos dê a força, a concentração, que leve os meus jogadores a estarem motivados”, realça o selecionador nacional.
Já no sábado, o cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, disse à Agência ECCLESIA que esperava a vitória de Portugal na final do Euro 2016, para que fossem “coroados de êxito os esforços da equipa, do treinador e todos aqueles que colaboram na seleção”.
In agência ecclesia

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Santa Helena - Missa de "Ação de Graças"

Na segunda-feira a seguir à Festa de Santa Helena, é costume celebrar-se a chamada "Missa de Ação de Graças".
Bem sabemos que é uma redundância, já que Eucaristia quer dizer ação de graças ao Pai por Cristo, em Cristo e com Cristo.
Mas compreendemos o significado. Dar graças a Deus, origem e fonte de todo o dom perfeito, pela ajuda divina para que a Novena e a Festa tenham corrido bem.
Presidiu o P. Bráulio, que a propósito do dia de São Bento, Padroeiro da Europa,  que hoje ocorre,
nos apresentou o exemplo e o ensinamento deste santo. "Reza e trabalha", lema da sua vida e dos seus ensinamentos.
Seguidamente teve lugar uma refeição fraterna numa das tendas. Cada família presente colaborou com alguma coisa. Assim podemos todos partilhar o pão, a alegria, a mútua ajuda, a simplicidade. Um bocado à maneira da primeira comunidade cristã.


domingo, 10 de julho de 2016

Festa de Santa Helena 2016 - Impressões



CORREU BEM A FESTA
10 de junho. Festa de Santa Helena da Cruz. Bom tempo na Serra. Bastante gente demandou aquele lugar. Ambiente de romaria, envolvido pela paz, sedimentado pela fé de tantos, condimentado pela alegria, vivido em serenidade, partilhado na amizade.



A VIVÊNCIA DA FÉ
 Dentro das condições físicas e climatéricas existentes, podemos dizer que as muitas pessoas que participaram nas Eucaristia das 9.30h e das 11.30 horas, souberam estar, participaram e criaram um clima propício à oração.
À tarde, a Bênção dos Campos e a Profissão do Adeus foram momentos marcantes na vivência da piedade popular. São momentos em que o coração agradece, se solta e em que a nostalgia da separação aviva o desejo de regressar.
Tal como durante a novena, também no dia da festa muita gente se abeirou do Sacramento da Reconciliação, levando da Serra a alma lavado, agradecido pelo perdão de Deus, reconfortada.
 


A PROCISSÃO
A seguir à Missa das 11.30h, teve lugar a procissão pelo circuito habitual.  As pessoas que pegaram nas alfaias sagradas tiveram um espaço reservado sob o teto da cobertura da Missa Campall. É justo e digno. Os irmaõs que prestaram este serviço ao culto mereceram-no.

Quem fica a ver passar a procissão deve ter atitudes a condizer. Estar de pé, sem fumar, nada de conversas, e sem estar a comer ou a beber. Mesmo quem não acredita, deve ter um comportamento digno, tendo em conta o respeito que a fé dos outros sempre merece. O que, felizmente, se verificou quase sempre.




A FEIRA 

Por trás do Calhau de Pendilhe, estende-se o espaço da feira. Roupas, calçado, comes e bebes, doceiras e outros... Muitos feirantes e gente e mais gente que demanda aqueles espaços, sobretudo o das tendas onde que come e bebe.
Há gente que só conhece Santa Helena até ao Calhau de Pendilhe. Isto é, que vai à festa para ficar na feira. A feira é o seu santuário e o seu deus.
Claro que há pessoas que já não estão para levar a merenda. É mais fácil e cómodo ir até à feira e alimentar-se. Tudo a respeitar neste aspeto. Mas só isso? Só feira? Onde fica Deus na vida de tanta gente?
Não estou a dizer que todos procedem desta maneira. Nada disso. Há quem vá a Santa Helena como peregrino e aproveite para feirar.  Muitos, felizmente.
Pelos resíduos deixados no local ao fim do dia, conclui-se que o negócio esteve em alta.
A feira é sempre a maior dor de cabeça para a Comissão. O domingo correu muito bem, com muita paz, com geral acatamento das orientações.
Todo o feirante de bem, disposto a cumprir as orientações, é bem-vindo. Quem não o quiser fazer, agradece-se que não apareça, porque não faz falta.




 A NOVENA
Correu muito bem a novena. As pessoas gostaram muito da orientação do P.e Bráulio.
Arautos da Alegria, Jovens de Almacave, Jovens Sem Fronteiras, Irmãs Servas de Maria do Coração de Jesus, Grupo Dabar e P. Marcos Alvim deram às noites da novena pluralidade de vivências e deixaram marcas nas pessoas.
Esteve bastante gente, mormente na novena das 18.30 horas. Mas tambvém a novena da manhã teve mais gente.As pessoas foram participativas e serenas.


GRATIDÃO

Agradecemos ao nosso Bispo, D. António,  a sua presença, a palavra sábia de Pastor, a amizade demonstrada.   Aos senhores padres que estiveram presentes, dizemos obrigado pela comunhão sacerdotal demonstrada e pelo serviço no Sacramento da Reconciliação. Um bem-haja muito sentido ao Senhor P.e  Bráulio, pregador da novena, pela maneira bela como nos comunicou a Palavra de Deus, pela forma multo humana e cativante como soube estar entre nós, pelos grupos e pessoas que trouxe até nós e, sobretudo, pela generosidade. Dizemos obrigado ao coral da novena e da festa, aos leitores, aos acólitos,  aos que recolheram as esmolas e atenderam os peregrinos, ao senhor Amândio que conduziu a carrinha no transporte de novenistas, aos dadores de flores e aos que as colocaram nos andores, aos que ofereceram  comestíveis para a casa,  ofertas para a capela, a quem ofereceu trabalho, sempre precioso, a quem teve uma palavra de apoio e de incentivo. Um bem-haja às zeladoras da Irmandade de Santa Helena pela maneira disponível como atenderam e acolheram os irmãos; ao sacristão pela competência revelada;  à cozinheira pela maneira alegre e disponível como preparou as refeição, bem como ao grupo de senhoras que ajudaram nas refeições; às pessoas que estacionaram na Serra, pois foram fantásticas, amigas, alegres e colaborantes; a todas as pessoas que participaram nas novenas, pela sua fé vivida, partilhada, edificante; a todos os peregrinos e romeiros que demandaram Santa Helena pela ocasião da Festa.
Uma saudação muito especial ao Jovens "Arautos da Alegria" pela dinamização de algumas celebrações, por terem acampado na Serra durante a novena, pela presença no coral. Igual saudação merecem os outros grupos  que nos visitaram e nos ajudaram na vivência multifacetada da fé:  Jovens Sem Fronteiras, Irmãs Servas de Maria do Coração de Jesus, Jovens de AlmacaveGrupo Dabar e P. Marcos Alvim.
Aos senhores Presidentes da Câmara e da Junta dizemos também obrigado pela disponibilidade em apoiar sempre. Ambos, cada um a seu modo, mostraram total disponibilidade para ajudar, cada um no seu âmbito de acção. Um obrigado sentido e profundo a todos os elementos do Conselho Económico, suas esposas e filhos. 
O Conselho Económico é fantástico, não só pelo empenho que demonstra por este lugar, como pelo trabalho, dedicação e competência que oferece a Santa Helena, ao longo do ano, pois na maior parte dos domingos a capela e o bar estão abertos e vários outros trabalhos são realizados. Na Festa, então, dão o litro para que tudo corra bem. Muito obrigado.
Obrigado a todos pela generosidade. 


 DIFICULDADES ECONÓMICAS

Uma festa destas, num lugar isolado, exige sempre muito de muita gente. Na serra, não há nada. E é quando tudo falta, que se aprecia a grandeza de um gesto, a beleza da solidariedade.
Precisamos de rever os espaços celebrativos. A capela é pequena para muitas ocasiões, especialmente durante a novena . Por exemplo, na Festa da Senhora das Dores ( 5 de julho) foram mais as pessoas que não couberam no templo do que aquelas que couberam.
Por outro lado, as imagens de Santa Helena e da Senhora das Dores precisam de restauro.
Mas... o Centro Paroquial que exatamente se chama Centro Paroquial Santa Helena da Cruz? Na mesma paróquia não podemos ter sol na eira e chuva no naval...
Ao contrário do que muita gente pensa,  os rendimentos  económicos de Santa Helena são poucos e as despesas são mais do que muitas. Aliás, em cada ano, são prestadas contas à comunidade pelo mês de abril.
Só com os dinheiros de Santa Helena não vamos a lado nenhum. Tem valido a ajuda da Câmara e da Junta. Mas não podemos pedir para tudo ao mesmo tempo.
Com a conclusão das obras do Centro, vamo-nos preocupar mais com algumas obras necessárias em Santa Helena. Delas falaremos oportunamente.