segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

O famoso pintor Leonardo da Vinci e os modelos

  
O famoso pintor Leonardo da Vinci comprometeu-se a pintar a Ceia do Senhor no refeitório do convento de Santa Maria da Graça, em Milão. E ele queria fazer daquele fresco uma obra prima, como afinal sucedeu, e para isso trabalhou com calma e rigor. Apesar da impaciência dos frades do convento, o quadro avançava muito lentamente.
 Para o rosto de Jesus, Leonardo tinha procurado durante meses um modelo que reunisse todos os requisitos necessários: um rosto que expressasse força e doçura ao mesmo tempo, espiritualidade e intensidade luminosa. . .
Por fim encontrou-o e deu a Jesus o rosto de Agnello, um jovem bem disposto, limpo e formoso, que tinha encontrado numa rua.
Anos depois, Leonardo começou a dar voltas pelos bairros de má fama de Milão e pelas tabernas e tugúrios mais corrompidos da cidade. Necessitava de um modelo para o rosto de Judas, o apóstolo traidor. Procurava o rosto que expressasse inquietude e pecado, o semblante de um homem disposto a entregar o melhor dos amigos. Depois de noites e noites entre bêbados e noctívagos de toda a ordem, Leonardo encontrou finalmente o homem que necessitava para pintar o seu Judas.
Levou-o para o convento e começou a copiar a sua cara. E o rapaz estava muito atento ao que saía dos pincéis do pintor. Daí a algum tempo, viu os olhos daquele homem cheios de lágrimas.
– O que se passa?, perguntou-lhe o pintor, cravando os olhos naquele rosto desfigurado.
– É que eu já lhe servi de modelo há uns anos para o rosto de Cristo!..

 

Fonte: aqui

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Via Sacra da Misericórdia pelos povos - Gondomar

Na tarde fria deste dia 28 de fevereiro.
Momento de uma serenidade fantástica! Parabéns ao povo de Gondomar, aos catequistas,  aos catequizandos, jovens presentes e às pessoas de outros povos que marcaram presença, tornando assim visível a unidade paroquial. Estiveram todos muito bem.
Muito bem assinaladas as estações. Feliz a ideia de visualizar a relação de Jesus com a cruz durante o percurso da Via Sacra.
Belo momento de Deus em que acolhemos a sua Misericórdia que é para sempre.

2016: Casais em Bodas de Ouro e em Bodas de Prata

A comunidade celebrou hoje as Bodas de Prata e de Ouro dos casais que as festejam no ano de 2016.
Anteriormente havia sido dirigido um convite pessoal a cada casal. Seis aceitaram o convite, 1 em Bodas de Prata e 5 em Bodas de Ouro.
Num período em que cada vez mais não se dá importância à família e se desvalorizam os valores que só no seio da família se podem aprender, agradecemos a sua presença e, sobretudo, enaltecemos as suas vidas em família.
Que a Sagrada Família de Nazaré continue a ser o seu modelo e lhes continue a mostrar o caminho a seguir e que eles próprios possam servir de modelo a todos os casais mais jovens da nossa Paróquia.

Àqueles que gostariam de ter vindo mas não puderam - esta zona tem uma forte corrente migratória - dizemos que estamos unidos a eles. Aos que não quiseram vir, afirmamos que não perdemos a esperança.

Os casais presentes participaram na Celebração e renovaram os seus votos matrimoniais.
Foi com alegria e emoção que os acolhemos e assistimos à sua Bênção como casais.
Foi encantador aquele momento em que pais e filhos uniram as mãos para um prece de agradecimento e de súplica pela paz, harmonia e encantamento no lar.
No momento de Ação de Graças, uma filha, em nome de todos os filhos, leu uma  mensagem, carregada de humanismo agradecido e repleta de sentido cristão.
Foi com imensa confiança que a comunidade entregou a cada casal um pequena lembrança com a certeza de que vale a pena celebrar um amor sem prazos de duração.
Foi com entusiasmo que revoou pelo templo o "Parabéns a Vocês".

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Festa da Catequese 2016

Para uma paróquia do interior - embora seja a sede do concelho - o número de crianças é interessante. Temos cerca de 350 catequizandos do 1º ao 10º ano. Quando se sente a natalidade - inverno em tantas e tantas freguesias deste interior, tão pouco zelado pelo poder central - não podemos deixar de nos sentir contentes com as crianças que ainda vamos tendo. Graças a Deus!
Hoje gostei da festa da catequese. Pela presença de muitos pais e amigos das crianças. Sobretudo, pelo trabalho realizado pelas crianças e jovens. Um aplauso para eles do tamanho da Serra de Santa Helena! Senti-os a viver profundamente o momento, dentro das várias tarefas que desempenharam.
É justa uma palavra de enorme apreço pelo trabalho, dedicação, persistência dos catequistas. Muitos parabéns! São fantásticos!
Acrescento que os apresentadores estiveram à altura das circunstâncias. Felicito-os por isso.
Um bem-haja à Câmara Municipal pelo espaço gratuitamente cedido e aos seus funcionários pela forma como colaboraram.
A seguir à Eucaristia, foi projetado um pequeno filme em homenagem à catequista D. Guida, recentemente falecida, e que mereceu uma forte ovação de quem estava naquele espaço.

Ficou-me no coração a vivência das representações  em que se salientava a MISERICÓRDIA,  sob o lemaIDE E FAZEI DA CASA DE MEU PAI, CASA DE ORAÇÃO E DE MISERICÓRDIA”
 As 14 obras de Misericórdia, a Misericórdia de Deus,  a vivência fraterna da Misericórdia, a ausência da Misericórdia em tantas situações diárias, a beleza do mútuo acolhimento, o perdão, a abertura aos outros e ao mundo... Tudo passou naquele palco pela bela atuação dos mais novos.
Através de  representações, cânticos, textos, mensagens bíblicas dramatizadas, gravações, power point,  os catequizandos ofereceram ao público a beleza e o encanto da Misericórdia, com o apelo "Misericordiosos como o Pai".
Gostei de ver o público concentrado durante as atuações. É mesmo bom ver as pessoas contentes! E olhem que há gente nova com muito jeito mesmo para a representação! 5 estrelas.
 
 
 
 
 
 

 
 
 

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Bispos: Cartaz do BE é "uma afronta aos crentes"



Bloco de Esquerda faz cartaz a favor da adopção de crianças por casais homossexuais. Nele lê-se: "Jesus também tinha dois pais".

O porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), Manuel Barbosa, classifica como "uma afronta aos crentes" o uso de uma imagem de Jesus Cristo numa campanha do Bloco de Esquerda em defesa da adopção por casais homossexuais.
De acordo com o "Público", o BE vai colocar nas ruas um cartaz com a imagem de Jesus Cristo no qual se lê "Jesus também tinha dois pais" e que pretende assinalar a data de 10 de Fevereiro de 2016, dia em que o Parlamento confirmou as leis vetadas no final de Janeiro pelo Presidente da República, Cavaco Silva, sobre a adopção por casais homossexuais e as alterações à lei da Interrupção Voluntária da Gravidez.
Em declarações, esta sexta-feira, à agência Lusa, o porta-voz da CEP disse que o cartaz "afronta os crentes que seguem Jesus Cristo e os que são da Igreja, naturalmente".
"Deve haver respeito pela liberdade de expressão. Sabemos que esse respeito deve ser sempre um respeito mútuo. A liberdade implica sempre relação e co-responsabilidade e, este respeito mútuo, não sei se estará presente no anúncio deste cartaz", sublinhou Manuel Barbosa, para quem o cartaz do BE é "uma analogia sem sentido".
"É de lamentar que não se tenha em atenção as convicções de quem segue Jesus Cristo, mesmo que este cartaz já tenha sido feito noutros países. É uma cópia de muito mau gosto", sustentou.
O responsável pela comunicação da CEP disse ainda esperar que o cartaz "não seja motivo para desviar a atenção em relação aos problemas da vida das pessoas".
O porta-voz dos bispos disse ainda que o cartaz "vale o que vale", realçando que "há coisas mais importantes".
Cartaz não é peça única da campanha
De acordo com o "Público", o cartaz é apenas uma das peças de uma campanha do BE que inclui ainda um "outdoor", no qual se lê a palavra "Igualdade", acompanhada de desenhos que representam diferentes tipos de famílias". Haverá ainda autocolantes e uma sessão pública para discutir o tema.
A deputada do BE Sandra Cunha disse ao "Público" que a ideia do cartaz com a imagem de Jesus Cristo não pretende ofender nem a Igreja, nem a religião, tratando-se apenas de "mostrar às pessoas que sempre existiram famílias diferentes e que essa não é uma realidade nova, nem recente".
Os dois pais a que se refere o cartaz são, segundo a deputada, "o pai espiritual e o pai terreno de Jesus Cristo".
Manuel Barbosa critica: "Essa dos pais espirituais é abusiva. Penso que há um certo aproveitamento, num período em que na Igreja se está a viver um tempo forte de Quaresma, depois a Páscoa e o Ano da Misericórdia. Não sei se é coincidência ou se é propositado.
Fonte: aqui

BODAS DE PRATA E BODAS DE OURO


Paróquia de S. Pedro de Tarouca
BODAS DE PRATA E BODAS DE OURO
Domingo, 28 de fevereiro, às 11 horas, na Igreja paroquial
...
Como já foi feito pessoalmente, voltamos a convidar os casais que, durante 2016, celebram as suas Bodas de Prata e de Ouro para estarem presentes nesta celebração.
A alegria da família é a alegria da Igreja.
Celebramos a boa notícia de um amor fiel, sem prazos de duração.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

DIRECTA com DEUS

Noite de 4 para 5 de Março.
Santuário de Nossa Senhora dos Remédios
Começa com a via-sacra no Escadório (ao pé da cidade) dia 4, às 23h, e continuaríamos pela noite no Santuário: adoração, reconciliação, terminando com Eucaristia às 06h da manhã do dia 5.
Vamos nesta "DIRECTA com DEUS"?
Vamos attender ao pedido do Papa?
Afinal Lamego é tão perto...
Jovens, adultos, todos... Convite para todos.

Soneto do Tempo

Michal Karcz
Deus pede hoje estrita conta do meu tempo
E eu vou, do meu tempo, dar-lhe conta.
Mas como dar, sem tempo, tanta conta
Eu que gastei sem conta tanto tempo?

 
Para ter minha conta feita a tempo,
O tempo me foi dado e não fiz conta.
Não quis, tendo tempo, fazer conta.
Hoje quero fazer conta e não há tempo.

 
Oh! Vós, que tendes tempo sem ter conta,
Não gasteis vosso tempo em passatempo.
Cuidai, enquanto é tempo em fazer conta.

 
Pois aqueles que sem conta gastam tempo,
Quando o tempo chegar de prestar conta,
Chorarão, como eu, se não der tempo.

António das Chagas, aqui

28/02/2016 - 3º Domingo da Quaresma - Ano C

Leituras:aqui

video

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Educa tu os teus filhos

«Educa tu os teus filhos! Não deixes tal missão na mão do Estado, da escola, nem mesmo da Igreja. Não te sentes capaz? Aconteça o que acontecer, não desanimes. Deus está contigo. Tu podes e deves educar os teus filhos porque os amas como ninguém. Basta um pouco de boa vontade. E a capacidade de aprender com os inevitáveis “fracassos”». São palavras de um pai de família.
Aos pais ― primeiros, principais e insubstituíveis educadores ― pede-se-lhes duas atitudes fundamentais: boa vontade e saber aprender com os próprios erros. Para fomentar estas disposições devem manter sempre o coração jovem.
Um cristão, se vive de fé, sabe que tem diante de si uma eternidade. Não lhe será difícil manter o coração jovem, desde que não perca de vista o destino de para onde caminha.
Porque é que muitos pais desanimam na tarefa educativa?
Talvez porque olham para esta missão com uma visão excessivamente humana, esquecendo a sua dimensão eterna. Assim, perdem a perspectiva fundamental da educação: ajudar os filhos a serem boas pessoas ― a chegarem ao Céu ― e não simplesmente bons alunos, bons desportistas e bons profissionais.
Quantas pessoas “triunfam” na profissão, no desporto, nos negócios e fracassam rotundamente como pessoas!
Que educação pretendes dar aos teus filhos? Que valores pensas transmitir?
Atenção: há estilos de vida que facilitam o encontro dos filhos com Deus e com o sentido da sua vida. E outros que o dificultam e muito! Não escolhas os segundos, por muito na moda que eles estejam!
Não deixes que a internet eduque os teus filhos. Não deixes que o faça a televisão. Nem deixes que sejam os professores lá na escola a fazê-lo!
Educar, no sentido mais profundo da palavra, só tu ― pai e mãe de família ― o podes fazer.
Fonte:  aqui
 

15 simples atos de caridade para a Quaresma

Este Papa Francisco é mesmo um homem iluminado!

Para a Quaresma, ele propõe 15 simples atos de caridade que mencionou como manifestações concretas de amor:
1. Sorrir, um cristão é sempre alegre!
2. Agradecer (embora não “precise” fazê-lo)....
3. Lembrar ao outro o quanto você o ama.
4. Cumprimentar com alegria as pessoas que você vê todos os dias.
5. Ouvir a história do outro, sem julgamento, com amor.
6. Parar para ajudar. Estar atento a quem precisa de você.
7. Animar a alguém.
8. Reconhecer os sucessos e qualidades do outro.
9. Separar o que você não usa e dar a quem precisa.
10. Ajudar a alguém para que êle possa descansar.
11. Corrigir com amor; não calar por medo.
12. Ter delicadezas com os que estão perto de você.
13. Limpar o que sujou, em casa.
14. Ajudar os outros a superar os obstáculos.
15. Telefonar para seus pais.
O MELHOR JEJUM
• Jejum de palavras negativas e dizer palavras bondosas.
• Jejum de descontentamento e encher-se de gratidão.
• Jejum de raiva e encher-se com mansidão e paciência.
• Jejum de pessimismo e encher-se de esperança e otimismo.
•Jejum de preocupações e encher-se de confiança em Deus.
• Jejum de queixas e encher-se com as coisas simples da vida.
• Jejum de tensões e encher-se com orações.
• Jejum de amargura e tristeza e encher o coração de alegria.
• Jejum de egoísmo e encher-se com compaixão pelos outros.
• Jejum de falta de perdão e encher-se de reconciliação.
• Jejum de palavras e encher-se de silêncio para ouvir os outros.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

A solidão da Quaresma

22103lpr_27d6fd3abef8c4a
De todas as dores que Jesus sofreu em sua paixão, qual lhe doeu mais? Eu suspeito que foi a dor no seu coração e na sua alma. Há limites para a dor física. Pode-se desmaiar e assim distanciar-se um pouco da dor. Mas a dor psíquica (isto é, dor de coração e alma) pode ser sem socorro e imensurável. Pode demorar, e a raiva, permanecer por muito tempo após o doloroso acontecimento. A dor psíquica pode infiltrar-se na profundidade da alma e encontrar lugares ocultos para atormentar, alimentar-se e crescer. A dor do coração e da alma pode fazer nascer o isolamento e o desespero.
Revendo os relatos bíblicos da noite de Quinta-feira Santa até Sexta-feira Santa, vejo que a dor psíquica que causou maior sofrimento em Jesus foi a solidão. Em Mateus 26, vemos que seus amigos mais próximos, após prometerem que permaneceriam fiéis até a morte, não ficaram acordados com ele no Jardim das Oliveiras, apesar de Jesus ter suplicado várias vezes. Judas o traiu com um beijo, e os outros apóstolos fugiram quando as autoridades chegaram. Certamente Jesus sofreu terrível solidão, permanentemente abandonado por seus amigos e rodeado por aqueles que o odiavam.
Após sua prisão, Jesus se apresentou sem advogado, nenhum aliado, nem mesmo um amigo para assumir a sua causa perante o Sinédrio (a mais alta Corte de Justiça na antiga Jerusalém). Mais uma vez, Jesus está sozinho, separado de qualquer um que possa ter reivindicado a amá-lo. Certamente o coração de Jesus, o coração do amor perfeito, sofreu terrível solidão naquele momento.
Em Lucas 22, lemos que Jesus olhou para Pedro justamente na hora em que Pedro o negou, mesmo Jesus sabendo que ele faria isso – assim como Jesus havia previsto. Certamente não era nenhum consolo para Jesus, apenas que ele estava certo sobre a negação de Pedro.
Em João 19, lemos que Jesus lamenta na cruz, “tenho sede”. Não é difícil imaginar que sua sede não seja somente de água, mas de amor, de compaixão e de almas.
Mais pungente de tudo, talvez, encontra-se quando lemos em Marcos 15 Jesus clamando na cruz, seu coração trespassado pela dor do abandono, uma dor tão grande que ele se sente abandonado até mesmo por Deus. Certamente uma dor que não é exclusivamente uma dor física, mas uma dor verdadeira e penetrante de coração e alma.
Por que eu menciono tudo isso? Eu poderia partir das palavras acima e fazer um pedido urgente a caminhar com Jesus nesta Quaresma em sua solidão, sua sede de amor e almas, como rezamos nas estações da cruz ou diante do Santíssimo Sacramento. Tais práticas são sempre louváveis, especialmente durante a Quaresma, mas eu falo da solidão de Jesus com um objetivo diferente.
Sabemos que Jesus sofredor pode ser encontrado em nosso vizinho (Mt. 25, 40). Os santos sempre nos pediram para executar as obras corporais e espirituais de misericórdia para com o próximo por amor a Cristo sofredor. Tais obras são sempre importantes – especialmente durante a Quaresma.
Minha preocupação aqui é alertar para o fato doloroso que facilmente negligenciamos o vizinho mais próximo no qual podemos encontrar Jesus, e que é nós mesmos. A solidão que é inevitável neste mundo caído aflige Jesus em seu coração e alma quando ele habita em nós.
Cada um de nós sente a ferida da solidão de vez em quando; alguns sofrem de solidão por uma temporada; e parece que algumas pobres almas são afligidas pela solidão como uma ferida que se recusa a curar. O que uma agraciada e frutuosa Quaresma seria se vivêssemos a liberdade e generosidade necessárias para encontrar e amar Jesus compassivamente sofrendo dentro de nós, como nós passamos por nossa própria paixão da solidão.
Por que estamos sós? Porque nós somos incompletos – feitos para amizade, amor e plenitude. Mesmo a nossa melhor forma humana seria solitária, pois há um buraco na forma de Deus em nossos corações que não pode ser preenchido nesta vida.
Estamos sós porque a nossa cultura está doente, ensina-nos a amar as coisas e usar as pessoas, nos tornando ídolos de criaturas e objetos na esperança de seduzir nossa solidão. Nossa cultura nos exorta a ser canibais sexuais, alimentando-se de carne humana, enquanto nega-se à alma humana que tem sido feita divinamente para o verdadeiro amor.
Estamos sós porque podemos ter afastado o amor ou bloqueado fora de nós o amor. E nós podemos ser solitários apenas por circunstâncias – vivendo em separação ou alienação, não por nossa escolha.
E dentro dessa vida solitária que todos nós enfrentamos, podemos encontrar o Jesus compassivo, o Homem das Dores, esperando por nós. A Quaresma é um tempo privilegiado para promover a liberdade e bondade necessárias para ir ao encontro de Jesus, que se partiu para atender às nossas necessidades. Vamos olhar para Ele e ter com Ele, começando com a dor da solidão dos nossos próprios corações. Vamos agradecer-Lhe por enfrentar sem reservas ou lamentar as nossas necessidades, dores e incompletudes. Através da nossa oração podemos lembrá-Lo que Ele não está sozinho em nós; ao fazer isso, podemos enxergar que nós também não estamos sozinhos. Tal graça surpreendente pode se tornar uma fonte de resistência e esperança, para que fiquemos com Jesus em seu sofrimento, para que possamos regozijar com Ele em sua vitória.
Fonte: aqui

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Via Sacra da Misericórdia pelos povos - Cravaz

Na tarde do dia 21 de fevereiro. Uma tarde serena e bastante agradável trouxe a Cravaz crentes de outros povos da paróquia. É maravilhosa viver a comunhão paroquial!
Momento de uma serenidade fantástica! Parabéns ao povo de Cravaz, aos catequistas e aos catequizandos presentes do 6º ano. Estiveram todos muito bem.
Belo momento de Deus! Saboreámos a sua misericórdia pela palavra do Papa.
A Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus testemunham para nós essa misericórdia visceral do Pai.
 
 
 
 
 

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Semana Nacional Cáritas deste ano, a partir de domingo


O lançamento de um projeto para famílias em situação de vulnerabilidade social ou jornadas de reflexão sobre migrações e tráfico humano são propostas da Semana Nacional Cáritas deste ano, a partir de domingo.
A iniciativa tem como tema ‘Cáritas: Coração da Igreja no Mundo’ e incluiu o tradicional peditório público por todo o país, que pretende contribuir para o trabalho que a organização católica, “renovando diariamente o compromisso que assumiu há 60 anos – estar do lado dos mais pobres”.
O peditório decorre entre os dias 25 e 28 em todas as capitais de distrito, superfícies comerciais de norte a sul do país e em todas as dioceses.
“Este deve ser um compromisso nacional, assumido por todos aqueles que procuram uma sociedade mais justa, mais equitativa, mais fraterna. Um gesto de solidariedade e de corresponsabilidade”, sublinha Eugénio Fonseca, presidente da Cáritas Portuguesa, em nota divulgada pela organização católica.
Em 2015, o Peditório Público da Cáritas angariou mais de 300 mil euros, que se destinaram a apoiar os mais de 160 mil beneficiários da Cáritas em todo o território nacional.
Para assinalar o início desta semana, no domingo, vai ser celebrada uma Eucaristia, presidida por D. José Traquina, bispo auxiliar de Lisboa e vogal da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana, na igreja de Nossa Senhora dos Navegantes [Parque das Nações, Lisboa], às 11h00.
Durante esta semana, as 20 Cáritas Diocesanas têm prevista a dinamização de diferentes iniciativas, como acontece em Lisboa, na quinta-feira, com uma manhã de reflexão sobre “a Europa, as Migrações e o Interculturalismo”, no Centro Cultural de Cascais, entre as 09h45 e as 13h00.
Em Setúbal, a Cáritas promove no domingo o II Torneio de Futsal ‘Semana Cáritas’, a partir das 14h30, no Pavilhão António Velge, entre outras iniciativas.
Na Diocese de Coimbra, o organismo começou a preparar a Semana Nacional e o peditório público com o lançamento da iniciativa “Quanto vale uma moeda para quem precisa?”, que é acompanhada por um vídeo que apela às pessoas para que participem como voluntários nesta e em outras atividades da Cáritas, ao longo do ano.
Na Diocese do Porto, destaque no dia 28 para uma celebração eucarística na igreja da Trindade, pelas 17h00.
A Arquidiocese de Braga destaca a importância da Semana Nacional para “a divulgação do trabalho realizado e a recolha de verbas que permitam o desenvolvimento e o funcionamento de ações e serviços” da Cáritas em todo o território português.
“É a partir do apoio financeiro resultante da colaboração generosa, de pessoas e organizações, que a Cáritas ganha vida e assegura o seu trabalho ao nível da inserção social de todos aqueles que se encontram em situação de desfavorecimento e exclusão social”, recorda o organismo.
In agência ecclesia

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Via Sacra da Misericórdia pelos Povos - Valverde

Ao entardecer gélido deste dia 19  de fevereiro.
Momento de uma serenidade fantástica! Parabéns ao povo de Valverde, aos catequistas e aos jovens presentes que fizeram o Crismo em 2015. Estiveram todos muito bem.
Belo momento de Deus em que a Sua misericórdia aqueceu o nosso Coração!
 
 
 
 



quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

21/02/2016 - 2º Domingo da Quaresma - Ano C

Leituras:aqui
video

Sacrifício agradável a Deus

Sacrifício agradável a Deus 
é o espírito arrependido: 
não desprezareis, Senhor, 
um espírito humilhado e contrito. 
Sl 51(50) 17-19

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Os principais momentos da visita do Papa ao México





(Lusa)

(Lusa)
Enquanto o Papa Francisco se encontra em mais uma visita apostólica, desta vez, no México, o Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, vem acompanhando a trajetória do Santo Padre em terras norte-americanas.
Até o momento, o prelado esteve presente, junto com demais bispos e religiosos, nos principais momentos do Papa no país, como no instante em que o Pontífice percorreu as avenidas centrais da Cidade do México, onde recebeu a ovação por parte de milhares de católicos.
Já no dia seguinte, houve uma celebração eucarística realizada ao ar livre, em um dos subúrbios considerados mais perigosos da Cidade do México. Nesta ocasião, o Primaz do Brasil pode observar quando o Papa clamou que os mexicanos façam de seu país uma terra de oportunidades, onde “não haja necessidade de emigrar para sonhar” e risco de cair nas mãos do que chamou de “traficantes da morte”.
No local onde foi feita a cerimônia, os fiéis e peregrinos passaram a noite, no campus de uma universidade de Ecatepec com capacidade para 300 mil pessoas.
Segundo Dom Murilo, o momento foi emocionante, pois “a celebração da santa Missa em Ecatepec (a uns 50 quilômetros da Cidade do México), reuniu uma multidão. Grande parte dos jovens (havia tantos jovens que parecia que eu estava na JMJ) dormiu no local de sábado para domingo”.
“O Papa tem tocado nos pontos que são uma verdadeira ferida no México: narcotráfico, violência, injustiças, assassinatos em série etc. Ele fala palavras duras, mas com uma doçura que só aos poucos os mexicanos vão entender a mensagem dada”, disse o prelado.
Fonte: aqui

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Via Sacra da Misericórdia - Teixelo



Com o apoio de catequistas e dos jovens do 9º ano da Catequese, teve lugar em Teixelo, na tarde de 14 de fevereiro, a Via Sacra. Teixelo, povo com muito pouca gente, foi assim o 1º a celebrar a Via Sacra.
O mau tempo  não permitiu que a Via Sacra fosse realizada ao ar livre como todos gostariam. Teve lugar na capela.
Correu tudo bem pela postura e contributo de todos os presentes.
Parabéns ao bom povo de Teixelo que esteve presente, aos catequistas e aos jovens!