terça-feira, 31 de maio de 2011

"Imaginar que o espírito pereça ao morrer o corpo, é como imaginar que o pássaro morra ao quebrar-se a gaiola"

video

O que é ser santo?

--
“Sede santos porque Eu, o vosso Deus, sou santo…” (Lev.19,2). Assim repetia muitas vezes o livro do Levítico, tentando criar no povo esta imagem de um Deus que sendo Outro se fez próximo e veio ao encontro deste povo a quem elegeu entre todos os povos, a quem chamou, fazendo, com Ele, uma aliança. É esse Deus que lhe incute este apelo e
obrigação à santidade, a ser como Ele e a elegê-lo constantemente, como o seu Deus. Esse apelo foi-se transformando a pouco e pouco em obrigações que não levavam a mudar de vida mas a cumprir ritualmente os preceitos e a obedecer às normas impostas. E, com o decorrer do tempo ficaram apenas as obrigações… sem a vida: “Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de Mim”. E assim vemos crescer o Templo de Jerusalém como centro de toda a religião e o cumprimento ritual das normas como fonte santidade.
Com o advento do novo Reino anunciado por Jesus, continua o mesmo apelo à santidade, mas não como mero cumprimento de ritos que a lei impunha - deitou por terra as mesas dos cambistas… - mas como mudança do coração que se abre a esta novidade não apenas em Jerusalém mas em qualquer lugar, desde que se adore o Pai “… em espírito e verdade” – dirá Jesus à Samaritana. E o apelo à santidade misturou.-se com a vida de todos os dias e em todos os lugares; ecoou aos ouvidos dos mestres mas também dos discípulos, dos grandes, mas também dos pequenos e fez-se Templo mas no coração de cada um, no silêncio de cada quarto, no mais íntimo das conscências: Sede santos! E o Conc. Vaticano II afirma que, hoje, todos somos chamados a ser santos. (cap.V).
Ser santo, hoje? Parece estranho tal convite. Parece soar a algo de raro para os homens de hoje. Porque uma certa mentalidade contemporânea vê os santos como extra-terrestres, seres estranhos que pairam um pouco acima das nuvens sem se misturarem com os outros e que passam ao lado dos prazeres da vida, ocupados em conquistar o céu mas esquecendo a terra. No entanto, a santidade não é uma anormalidade, mas uma exigência da comunhão com Deus. É o “estado normal” de quem se identifica com Cristo, assume a sua filiação divina e pretende ser nesta terra, com os outros, um Homem Novo…
Fonte: aqui

A fé cristã é comunitária.


--
“A fé cristã é comunitária. Todo pão é pão nosso, todo perdão é perdão nosso, toda vitória é vitória nossa, todo produto é produto nosso e toda bênção é bênção nossa, pois sabemos que a verdadeira identidade de cada um está no relacionamento. Este princípio está nas Escrituras desde sempre.”(Ariovaldo Ramos, em Jardim da Cooperação - Editora Ultimato, 2008)

domingo, 29 de maio de 2011

Se não se faz, nada acontece nesta terra; se se faz as pessoas não aparecem!



Antes de mais, parabéns às pessoas desta paróquia e de  outras que marcaram presença e nos deram a satisfação da sua presença alegre e entusiasta.
Obrigado ao locutor António Veloso, pai desta iniciativa. Esteve muito bem na orientação do espectáculo.
Parabéns aos artistas Tó Pereira, Augusto Monteiro, Delcídia, Ricardo Nascimento, Sandra, Rodrigues Portugal, Paula Soares, Ricardo, Rui Fontelas e Daniel. Foram impecáveis, altruístas e encantaram. Criaram um clima fantástico de alegria e ofereceram óptima música.  Muito obrigado por tudo.
Obrigado a quem ajudou, entidades públicas e privadas. Câmara Municipal de Tarouca, Junta de Freguesia de Tarouca, Bombeiros de Tarouca, Caves da Murganheira, Restaurante 'Tio Pedro', Tipografia Exemplo, Conjunto Varosa,  José Américo e Victor Cardoso (espectaculares!), Comissão da Igreja, Catequistas, outras pessoas.

Onde esteve a maioria dos tarouquenses? Uma vergonha!!! Onde deixaram o sentido de comunidade? Onde estiveram os pais dos catequizandos? Já se convenceram que o Centro Paroquial é para os seus filhos e netos?
Será que algumas gentes têm consciência? Ou pensa que alguns  é que têm de trabalhar para outros enquanto ficam   na berma da vida a criticar quem trabalha?
Nesta terra é assim. Alguns, os criticadores de sempre , e por isso inúteis, enchem a boca com isto: "Nesta terra não se faz nada!" Mas quando se faz não aparecem e ainda criticam quem faz.
Assumamo-nos como cidadãos em pleno!| Demos o corpo ao manifesto pela causa comum. Chega de estarmos sempre, como pedintes, à espera que sejam os outros a fazer o que compete a todos nós.

"Bué de fixes, bué de fortes, bué de fiéis" - desafio do Vigário Geral aos crismandos


O senhor Vigário Geral da Diocese de Lamego, Mons. Dr. Joaquim Rebelo, deslocou-se a Tarouca neste domingo para crismar 28 jovens.
Pelo que senti, pelo que ouvi e pelo que referiu o senhor Vigário Geral, tudo correu bem, felizmente.
Os jovens portaram-se à maneira. Estiveram muito bem. Serenos, participativos, felizes.
Na homilia, Mons. Joaquim Rebelo falou-lhes, a partir das leituras,da urgência de aquecer com o amor as nossas acções e atitudes, do Espírito Santo, Dom de Deus, que sustenta o nosso "permanecer" em Cristo, do compromisso dos crismados na vida da comunidade eclesial. Indicou-lhes o caminho da  fidelidade em relação aos compromissos assumidos.
Os jovens animaram com os cânticos a assembleia, com o apoio de um grupo instrumental; introduziram o espírito da celebração; proclamam as leituras; expressaram a sua gratidão a Deus pelo dom da fé que o Espírito provoca e alimenta.
No fim da Eucaristia, o pároco, os seus catequistas e elementos do grupo de jovens felicitaram-nos pelo seu comportamento, empenho e participação. E todos lhes deixaram um desafio: participem! No coral, no grupo de jovens, no acolitado, no grupo sócio-caritativo, no anúncio sem meda da fé através da internet, etc. Sois demasiado importantes para ficardes fora ou ao lado.
Dois compromissos concretos eles assumiram: participar no coral e integrar com o Dr. Tozé o grupo de jovens.
Terminada a celebração, os crismados ofereceram ao senhor Vigário Geral uma pequena oferta como sinal de gratidão pela sua presença.
Seguiu-se a entrega do diploma, antecedido pelos "parabéns a você, crismando".

Um obrigado sincero aos seus catequitas - todos os que com eles trabalharam ao longo dos anos. Parabéns aos pais, pois muito pouco a catequese pode fazer sem o empenho continuado da família.
Obrigado à Laida, João Pedro, pelo contributo indispensável à preparação e realização desta festa jovem.
A todos os que de uma forma ou de outra deram a sua ajuda, os meus parabéns.
Muito obrigado, senhor Vigário Geral. Pela presença tão humana e edificante, pela palavra clara que dirigiu, pelo incentivo, por nos fazer sentir Igreja. Bem-haja pela amizade, pela partilha, pela compreensão.

sábado, 28 de maio de 2011

O que é o Sacramento da Confirmação (Crisma)?

 
Crisma:
"Viram então aparecer umas línguas, à maneira de fogo, que se iam dividindo, e poisou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar outras línguas, conforme o Espírito lhes inspirava que se exprimissem
(Act 2, 3-4)
O Sacramento da Confirnação

Com a presença renovada do Espírito Santo, o sacramento da Confirmação é o sinal de Deus que mergulha o cristão na plenitude do seu mistério. É um auxílio de Deus que permite ao homem novo descobrir o seu lugar na Igreja, a ser mais fortemente testemunha do Evangelho e a entrar plenamente na missão a que o Pai o chama.
A palavra “confirmação” não significa que o baptismo precise ser confirmado, ele é definitivo. (Durante alguns tempos surgiu um equívoco que se prende com o baptismo das crianças. Dado que no baptismo seriam os pais a renunciar ao pecado e a professar a fé cristã, a confirmação seria uma tomada de posição do adolescente/jovem que agora estaria preparado para professar a fé). No latim tardio confirmare tomou o sentido atenuado de completar: este complemento do baptismo pelo rito da imposição das mãos e a unção com o santo Crisma, exprime a acção do Espírito Santo na vida do cristão e da Igreja.

O Espírito de Pentecostes

É a partir do dia em que o Espírito vem sobre Jesus, sob a forma duma pomba, que Jesus começa a sua missão pública. É a partir do dia em que o Espírito vem sobre os Apóstolos, sob a forma de fogo, que eles começam a sua missão no mundo. É a partir do dia em que o “dom do Espírito Santo” nos é dado que nós somos reconhecidos como construtores da Igreja.

Espírito Santo, dom de Deus

Espírito é uma palavra que provém dum termo que significa sopro ou respiração (ruah em hebraico e pneuma em grego). Desde sempre, o homem chamou espírito àquilo que faz viver, àquilo de que ele não se pode tornar dono. Na Bíblia, o Espírito de Deus significa a vida do próprio Deus, a sua presença comunicada e oferecida aos homens. O Espírito de Deus manifesta-se como um Espírito criador e gerador de vida: “O Espírito Santo virá sobre ti e te cobrirá com a sua sombra”, como foi anunciado a Maria.
O Espírito Santo, luz que ilumina o mundo, permite reconhecer o apelo de Jesus e o caminho para O seguir. No coração da Igreja, Ele é a força graças à qual os cristãos podem testemunhar Cristo ressuscitado. É pelo Espírito Santo que estes oram e se tornam membros de um mesmo corpo, o Corpo de Cristo, a Igreja.
Em acção permanente no mundo, o Espírito Santo dispensa os seus dons ou carismas aos membros da Corpo que é a Igreja. Como nos diz o Catecismo da Igreja Católica “os sete dons do Espírito Santo são a Sabedoria, o Entendimento, o Conselho, a Fortaleza, a Ciência, a Piedade, e o Temor de Deus. Pertencem, na sua plenitude, a Cristo, Filho de David, completam e levam à sua perfeição as virtudes dos que os recebem. Tornam os fiéis dóceis a obedecer com prontidão às inspirações divinas” (CIC, 1831).

Porque devo receber este sacramento?
O Sacramento da Confirmação é um sacramento da iniciação cristã, isto é, introduz o cristão no mistério pascal de Jesus Cristo que o introduz na vida nova oferecida pelo Espírito Santo. Não se trata de completar a “caderneta da vida cristã”; trata-se sim de receber o dom de Deus que nos permite viver com plenitude a experiência cristã e, por consequência, a autenticidade da experiência humana. Por isso mesmo, não faz muito sentido receber os outros sacramentos, nomeadamente o Matrimónio e a Ordem, quando ainda não fomos introduzidos plenamente na vida de Deus, quando ainda não participamos plenamente no Mistério Pascal de Jesus Cristo.

Em que consiste o rito da confirmação?

O rito essencial da Confirmação é a unção com o santo crisma (óleo misturado com um bálsamo perfumado, consagrado pelo Bispo na Missa Crismal), feita com a imposição da mão por parte do ministro (ordinariamente é o Bispo) que pronuncia as palavras sacramentais próprias do rito. No Ocidente, tal unção é realizada sobre a fronte do baptizado com as palavras: “Recebe por este sinal, o Espírito Santo, o Dom de Deus”.

Fonte aqui

Vinde, Espírito Santo

sexta-feira, 27 de maio de 2011

SÍMBOLOS DO ESPÍRITO SANTO

VENTO
As qualidades do vento, que traduzem a acção do Espírito: o vento não se vê, apenas se sente a sua passagem, no movimento dos objectos ou na respiração, isto é, sentimos apenas os seus efeitos; conserva a vida, porque não podemos viver sem ar.
Conhecemos apenas os efeitos da sua passagem, umas vezes devastadora, como o ciclone,
noutras leve como a brisa.
O vento forte é sinal da acção poderosa de Deus, o vento-brisa é sinal da paz que deve
reinar na natureza e da sua presença no mundo.
ÓLEO
O óleo é utilizado em quatro sacramentos: unção baptismal, unção dos doentes, unção do crisma e unção sacerdotal. A unção do óleo aparece ainda na consagração dos altares da Eucaristia. Por outro lado, a Bíblia refere a unção de vários tipos de pessoas.
Óleo, símbolo da abundância e felicidade, pois, era fonte de muitas riquezas, bem como: alimento ou como afrodisíaco.
O óleo/azeite, muitas vezes imbuído de essências perfumadas penetrava na pele e dava ao organismo novo vigor e agilidade.

FOGO
Além de ser um elemento importante da vida humana, o fogo representa também uma força purificadora e destruidora implacável. O fogo tudo destroi, atingindo o coração das "coisas".Por isso, o fogo vai ligado à intimidade, ao mais profundo da pessoa.
ÁGUA
Água, símbolo da vida e da purificação. Apartir desta realidade diária, o povo de Deus falou dos modos de agir Deus no mundo.
Enquanto a água normal não apenas lava por fora e vivifica a vida física, como também sinal de purificação espiritual, pois Jesus é baptizado com água, demonstrando assim a riqueza espiritual da água portanto Jesus dá á água um aspecto moral e de vida nova (quem se deixa levar pela água do baptismo terá uma vida nova).
POMBA
Podemos primeiramente falar deste símbolo como; um ser que voa, não apenas no nosso imaginário como no nosso real. A pomba significado da paz também é para nós o símbolo de esperança de vida nova e de uma nova criação. Com ela podemos ter a certeza que a Palavra de Deus será espalhada pelos quatro cantos do mundo, pois, tem capacidade de voar, planar, sobrevoar, durante muito tempo.
IMPOSIÇÃO DAS MÃOS
O fundamento deste gesto reside no facto de se comunicar algo a outrem: gesto da imposição das mãos sobre os dons em sacrifício. Podendo estar ligado a este símbolo a transmissão de poderes, pois, toda a nossa Igreja está ligada (também) a este acto, quer seja na ordenação sacerdotal, seja na oblação do Pão e do Vinho e no Crisma.
SELO
O selo é uma marca duradoira e está relacionado com a ideia de pertença por parte daquele que o recebe e de posse por parte daquele que o coloca.
No baptismo, a Igreja marca com o selo da Cruz os baptizados. Com isso, a Igreja pretende dizer que não seremos cristãos sem o selo do Espírito de Jesus.
Fonte: aqui

6º Domingo da Páscoa

video

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Espírito Santo, o Defensor

video
Deus é Amor (Jo 4,8-16) e o Amor que é o primeiro Dom, contém todos os demais. Este amor "Deus o derramou em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado".(Rm5,5).

De acordo com o Catecismo da Igreja Católica, o Espírito Santo é a "Terceira Pessoa da Santíssima Trindade".Quer dizer, havendo um só Deus, existe nele três pessoas diferentes: Pai, Filho e Espírito Santo. Esta verdade foi revelada por Jesus em seu Evangelho. Algo que não cabe no nosso entendimento, pois é um mistério de Deus, que coisa maravilhosa, o homem tem que se colocar no seu lugar de dependente de Deus. De inferior a Deus, porque Deus é o criador e o homem a criatura criada por esse Deus. Isto é incontestavel e o homem desconhece esse mistério, pode apenas acreditar ou não. É questão de fé. Maravilha de Deus escondido até do mais sábio entre os homens.
A palavra o Paráclito, do grego "parakletos", o mediador, o defensor, o consolador. Jesus nos apresenta ao espírito Santo dizendo: " O Pai vos dará outro Paráclito" (Jo14,16). O advogado defensor é aquele que, pondo-se de parte dos que são culpáveis devido a seus pecados os defende do castigo merecido, os salva do perigo de perder a vida e a salvação eterna. Isto é o que Cristo realizou, e o Espírito Santo é chamado "outro paráclito" porque continua fazendo operante a redenção com a que Cristo nos livrou do pecado e da morte eterna.

Fonte: aqui

quarta-feira, 25 de maio de 2011

OS FRUTOS DO ESPÍRITO SANTO

O Espírito Santo é a água Viva que rega nosso coração, a cada dia, para que possamos produzir Seus frutos.
O Espírito Santo é a terceira Pessoa da Santíssima Trindade e Ele é o "Senhor que dá a vida e que procede do Pai e do Filho e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado. Foi Ele que falou pelos profetas." O Espírito Santo é o dador de todos os dons e carismas extraordinários; todos os frutos espirituais provêm d'Ele.
O Espírito Santo vem às nossas almas no dia do nosso Baptismo, derramando sobre nós as três virtudes teologais: a Fé, a Esperança e a Caridade. E vem de um modo mais solene no dia em que recebemos o Sacramento do Crisma ou Confirmação, onde recebemos a efusão do Espírito que derrama sobre nós os sete dons: A Sabedoria ou Sapiência, o Entendimento, o Conselho, a Fortaleza, a Ciência, a Piedade e o Temor de Deus.
O Espírito Santo, para além de derramar as sete grandes colunas cristãs, confere ao cristão doze frutos que são: a Caridade, o Gozo, a Paz, a Paciência, a Benignidade, a Bondade, a Longanimidade, a Mansidão, a Fé, a Modéstia, a Continência e a Castidade.
Importa definir em breves palavras, não só os dons mas, fundamentalmente os frutos do Espírito Santo.
- A Caridade é um fruto do Espírito Santo. A caridade é amor e é o maior dos dons, porque ela não desaparece, existe para além da morte. O céu vive no amor: "A fé e a esperança hão-de desaparecer, mas o amor jamais desaparecerá" (1 Cor. 13,8).
- O Gozo ou alegria é caracterizado por aquelas emoções interiores, aquela alegria interior e satisfação espiritual profunda que o Espírito Santo derrama no coração e na alma. A pessoa sente um gozo inexplicável. Não há palavras humanas que possam descrever o gozo que provém do Espírito Santo.
- A Paz de que falamos não tem nada a ver com os motivos ou sensações externas mas é uma paz e suavidade interior, tal como Jesus disse aos Seus apóstolos: "Deixo-vos a paz, dou-vos a Minha paz, não como o mundo a dá mas como Eu a dou" (Jo 14, 27). Jesus é a paz e a suavidade da alma.
- A Paciência suporta as adversidades, as doenças, as contrariedades e perseguições. A paciência é o fruto essencial para que o cristão persevere na sua fé. O cristão paciente dificilmente é demovido da sua fé porque ele suporta tudo com paciência. A alma paciente é mansa e humilde, não se revolta contra o seu Deus mas tudo suporta e aceita.
- A Benignidade é a bondade que vai para além da bondade, isto é, muitas vezes fazemos um bem mas só até certa medida. Porém, a benignidade é a execução desse bem que vai para além do que deveria ser feito.
- A bondade é fazer o bem, desinteressadamente, às pessoas. A pessoa que o faz tem um bom coração, amando verdadeiramente. A resposta de alguém que ama a sério é: "Eu amo porque amo."
- A Longanimidade é a paciência para além da paciência, é quando alguém continua a ser paciente depois de, tantas e tantas vezes, ter sido posto à prova.
- O homem Manso dificilmente se revolta. A mansidão está sempre associada à humildade e à paciência. Jesus diz, quando se refere a Si mesmo: "Vinde a Mim que Sou manso e humilde de coração que Eu vos aliviarei. Vinde a Mim que o meu jugo é suave e a minha carga é leve. Vinde a Mim todos vós que estais sobrecarregados porque Eu vos aliviarei" (Mt 11, 28-30). Este é um grande convite do Sagrado Coração de Jesus a todos nós. A mansidão é contra a ira e contra o ódio. Assim, devemos procurar ser mansos, imitando o Divino Mestre.
- A , para além de ser o fruto do Espírito Santo é uma das virtudes teologais. A fé é um dom muito importante, sem ela desesperamos e desanimamos ao longo da nossa caminhada, feita de altos e baixos, com muitas dificuldades. Sem a fé, o cristão chega a certa altura, depois de muitas dificuldades desiste e começa a levantar interrogações e deixa de praticar o bem, deixa de ir à Missa e diz: "Afinal, os que não vão à Missa, têm uma vida melhor do que a minha. Então, que me adianta ir à Missa e rezar?". A fé leva o cristão a manter-se firme na sua caminhada mas esta fé tem que ser conservada e protegida. Uma das maneiras é a oração que aumenta e protege a fé. A oração mantém-nos no caminho da fé e no caminho da salvação, por isso é indispensável.
- A Modéstia relaciona-se com o ser discreto. A modéstia é contra a ostentação e a exibição. A modéstia é o pudor que deve acompanhar todo o cristão pois nele habita Deus. Como tal, devemos respeitar o nosso próprio corpo, não o expondo como um mostruário. Alertai aquelas pessoas que se vestem com mini-saias, decotes exagerados, blusas transparentes, calças exageradamente apertadas, apresentando os contornos do corpo. Podemos usar roupas bonitas e arranjadas com o devido pudor e respeito pelo corpo.
- A Continência é um fruto do Espírito Santo. O homem continente sabe equilibrar-se, dominando a sua sexualidade. Sabe guardar-se e proteger-se. A continência é uma grande virtude. Se os homens e as mulheres de hoje possuíssem esta grande virtude, não haveria em muitos lares tanta tristeza, tanto aborrecimento porque todos saberiam manter a castidade e a pureza. A continência é o domínio de si mesmo em relação aos instintos sexuais.
- A Castidade é um fruto que leva o homem ou a mulher a manter a pureza do corpo e, consequentemente, a pureza da alma, não se deixando manchar, caindo em pecados contra o 6º e 9º Mandamentos. O sexto mandamento diz: "Guardai castidade nas palavras e nas obras"; e o nono mandamento diz: "Guardai castidade nos pensamentos e nos desejos."
A castidade não é só protegida quando o homem ou a mulher se abstêm de actos sexuais fora do casamento mas deve ser protegida, evitando que os olhos se fixem em programas indecentes ou imorais, ou se fixem na rua em situações impróprias porque isso leva a maus pensamentos e desejos.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Sem o Espírito…


Sem o Espírito Santo, Deus fica longe;
Cristo permanece no passado;
O Evangelho é letra morta;
A Igreja é uma simples organização;
A autoridade é um poder;
A missão é propaganda;
O culto, uma velharia;
E o agir moral, um agir de escravos.

Mas, no Espírito, o cosmos é enobrecido pela geração do Reino;
Cristo ressuscitado torna-se presente;
O Evangelho faz-se poder e vida;
A Igreja realiza a comunhão trinitária;
A autoridade transforma-se em serviço;
A liturgia é memorial e antecipação;
O agir humano é divinizado.

(Atenágoras)

Pela Paróquia de Tarouca

video
Autor: Víctor Cardoso, in Facebook

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Os Dons do Espírito Santo

--
 "Mas o Paráclito, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos recordará tudo o que Eu vos disse." (Jo 14, 26)

domingo, 22 de maio de 2011

Semana da vida

A Semana da Vida é uma ocasião especial para colocar em evidência o valor e a beleza da vida, esse dom precioso que de Deus recebemos.

Quem não se emociona ao ver uma foto, como a que tenho à minha frente, em que meia dúzia de criancinhas abraçam de todos os modos o seu avô?

Já muitas vezes tivemos todos ocasião de ver avós – homens – embevecidos com os seus netos ao colo. Talvez não tivessem dado tantos mimos aos filhos – os tempos eram outros – mas agora mostram toda a sua capacidade de ternura para com os netos.

A vida humana tem em si mesma um valor inestimável. Ela é sempre um bem, mas infelizmente a maioria das pessoas não consegue reconhecê-lo. É imprescindível, para que o homem conduza de forma correcta a sua vida e a daqueles por quem é responsável, conhecer o seu valor. As ameaças a que hoje a vida humana está sujeita acontecem pelo facto de o homem não saber quem é, nem para que foi criado e qual o sentido de sua vida. Existem alguns aspectos importantes que revelam a grandeza e o valor precioso da vida humana. Entre eles está o facto de que a vida humana é um dom de Deus, de que o ser humano foi criado à Sua imagem e semelhança, de que Jesus assumiu uma vida como a nossa e de que a vida humana é o alvo da Sua infinita misericórdia.

A semana que hoje termina quis chamar a atenção de todos para o valor da vida humana. Temos de nos opor a uma cultura que a desvaloriza, de todos os modos e feitios.

Promovamos a vida em todos os seus momentos: os «mais simbólicos da existência como são o nascer e o morrer» (EV 18), mas também a vida de todos os dias, «através da ajuda prestada ao faminto, ao sedento, ao estrangeiro, ao nu, ao doente, ao encarcerado...» (EV 87).
In O Amigo do Povo

Reunião de Pais

Ao início da tarde de hoje, teve lugar na Igreja Paroquial da Paróquia de S. Pedro de Tarouca uma reunião de pais dos catequizandos que vão fazer a 1ª Comunhão, a Profissão de Fé e o Crisma.

Com o auxílio da projecção de um power point elaborado para o efeito, o Pároco orientou uma reflexão sobre os 3 Sacramentos da Iniciação Cristã (Baptismo, Eucaristia e Confirmação ou Crisma). Em seguida falámos sobre a preparação próxima de cada uma destas festas e da sua realização. Depois, tendo em conta o apelo papal para sermos cristãos do essencial, abordámos o essencial e acessória na celebração, vivência e anúncio da fé.
Após algumas comunicações feitas pela coordenadora da catequese, os pais reuniram separadamente com os respectivos catequistas, para acertar os detalhes das celebrações.

Apesar de este domingo ser um dia com inúmeras actividades nesta terra, foi assinalável a quantidade dos pais presentes a quem se felicita.

sábado, 21 de maio de 2011

BAPTISMOS - Alterações

 Os baptismos nesta Paróquia de Tarouca são no 2º e último domingos de cada mês.
No 2º domingo de Julho celebra-se a Festa de Santa Helena, pelo que não poderá haver baptismos.
Julho é tempo de férias para muito gente.
Então para facilitar a vida às pessoas, a partir deste ano, no mês de Julho, os baptismos serão no 3º e último domingos.
Também, em cada ano, o dia da 1ª Comunhão é  dia de baptismos para todos. Porque pode sempre haver crianças que vão fazer a 1ª Comunhão e ainda não estão baptizadas e precisam de estar para a fazer. Atendendo a este facto, essa data é dia de baptismos na paróquia.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

5º Domingo da Páscoa


video

A Mãe dos pobres

Já escrevi aqui há tempos sobre a Irmã Maria Clara do Menino Jesus, que muitos comparam a Teresa de Calcutá, por causa da sua dedicação aos pobres. Mas porque ela vai ser apresentada ao povo português e à Igreja, no próximo sábado, como testemunha de santidade, volto a referir um pouco da sua vida.
Fundadora da Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição, criou há 140 anos uma extensa obra social em Portugal que apoia crianças, idosos e famílias. Uma Obra que se espalhou por 28 comunidades, 14 países, e conta com milhares de religiosas.
Nasceu ela em 1843, recebendo no baptismo o nome de Libânia do Carmo; viveu os seus primeiros anos no aconchego dum lar feliz e nobre em todos os sentidos, mas uma epidemia arrebata-lhe a mãe aos sete anos e o pai aos treze. Conhece a orfandade, sendo recolhida com outros órfãos no Asilo da Ajuda, podendo lá admirar e beneficiar da materna solicitude das Filhas da Caridade de S. Vicente de Paulo que procuravam reatar o crescimento daqueles botões de vida assustados; mas uma perseguição religiosa expulsa as Irmãzinhas de Portugal, e Libânia vê desabar novamente o «tecto familiar» que a resguardava.
Acolhida depois por uma família rica, Libânia podia então gozar as riquezas do mundo mas escolheu a vida simples e dedicada aos mais pobres no convento adjacente das Capuchinhas de Nossa Senhora da Conceição. Acolhida na comunidade, Libânia muda o nome para Irmã Maria Clara do Menino Jesus.
Dado que a perseguição em Portugal impedia a profissão religiosa no país, ela e mais duas foram até França para fazer o noviciado na casa que a Ordem Terceira Regular de S. Francisco de Assis tinha em Calais.
“Tendo conhecido as grandes obras de caridade que lá realizavam as Irmãs, Maria Clara e suas companheiras, ao regressarem a Portugal, adoptaram com a maior perfeição possível a mesma Regra, os mesmos costumes e o mesmo hábito”: lê-se na súplica de aprovação feita pela fundadora à Santa Sé, que a acolheu favoravelmente concedendo às Irmãs Hospitaleiras de Portugal “os mesmos privilégios espirituais de que legitimamente goza a supramencionada Congregação francesa” (Rescrito Pontifício).
E assim nasceu a Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição, que em 1999 tinha 140 obras sociais, sendo 44 hospitais, 41 colégios e escolas, 17 asilos de infância, 18 asilos de inválidos, 4 creches, 6 cozinhas económicas, 9 hospícios e 2 pensionatos e estava presente em 14 países.
Fonte: aqui

Homenagem a Nossa Senhora

video


video



Tenho ao cimo da escada, de maneira
Que logo, entrando, os olhos me dão nela,
Uma Nossa Senhora de madeira,
Arrancada a um Calvário de Capela.

Põe as mãos com fervor e angústia.
O manto cobre-lhe a testa, os ombros, cai composto;
E uma expressão de febre e espanto
Quase lhe afeia o fino rosto.

Mãe de Deus, seus olhos enevoados
Olham, chorosos, fixos, muito além ...
E eu, ao passar, detenho os passos apressados,
Peço-lhe – “A Sua bênção, Mãe !”

Sim, fazemo-nos boa companhia
E não me assusta a Sua dor: quase me apraz
O Filho dessa Mãe nunca mais morre. Aleluia !
Só isto bastaria a me dar paz.

“Porque choras, Mulher ?” – docemente a repreendo.
Mas à minh’alma, então, chega de longe a sua voz
Que eu bem entendo: -“Não é por Ele” ...
“Eu sei ! Teus filhos somos nós”.
José Régio

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Deus

Deus é a Beleza máxima, a Bondade maior e a Verdade suprema.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Como vão as obras do "seu" Centro Paroquial?

--
Vezes sem conta tenho escutado esta pergunta.
Entendo que as pessoas não o façam por mal, mas aquele possessivo "SEU" arranha-me sempre a alma.
Não. Aquela obra não é minha, porque é "NOSSA". De todos e para todos.
Costumo responder a brincar que o Centro é muito mais das pessoas do que meu. E acrescento: "Eu não tenho filhos, você tem filhos ou irmãos ou netos ou afilhados que precisam desta estrutura..."

Então que todos colaboremos. UNIDOS! GENEROSOS! INTERESSADOS! PARTICIPANTES! HUMILDES!

domingo, 15 de maio de 2011

"A quem compete ir à procura da ovelha perdida?"

--
Conheci em tempos uma família que tinha um rebanho. Mas naquela família, não havia um pastor, todos eram pastores, dependendo das circunstâncias e da disponibilidade de cada pessoa. Se era preciso levar as ovelhas para uma serra ampla, ia o pai ou o pai e um dos filhos ou os dois filhos; se os animais pastavam em terrenos mais delimitados e protegidos, pastoreava o avô; outras vezes, era a mãe que acompanhava o rebanho.

É exactamente isto que se passa na Igreja, família de Deus.Todos somos pastores, unidos pelo Baptismo ao único Pastor, Jesus Cristo. Com funções diferentes? Certamente. Mas todos pastores. E, ao mesmo tempo -  maravilha do amor de Deus! - todos ovelhas.

Como ensina a doutrina católica, o Baptismo une-nos a Cristo que é SACERDOTE, PROFETA e REI. Então pelo Baptismo somos sacerdotes com Cristo, profetas com Cristo e reis com Cristo.

SACERDOTES COM CRISTO
É o chamado sacerdócio comum dos fiéis - não confundir com sacerdócio ministerial que é conferido pelo Sacramento da Ordem (padres).
Unidos a Cristo pelo baptismo, somos chamados a ser um hino de louvor ao nosso Deus, louvando-O em nosso nome e sendo voz e vez da criação que glorifica o seu Senhor. Oferecemos a Deus aquilo que recebemos da Sua Misericórdia: a vida, toda a vida, os nossos projectos, o nosso desejo de sermos melhores, as nossas lacunas e infidelidades para que o Senhor nos perdoe.

PROFETAS COM CRISTO
Profeta é o que anuncia. "Ide por todo o mundo e anunciai a Boa Nova" (Jesus Cristo). Na Igreja há uma igualdade fundamental: todos igualmente filhos de Deus e uma diferença funcional: cada um trabalha pelo Reino de Deus conforme os dons recebidos e a graça recebida de Deus por meio da Igreja.
Exemplificando: ninguém pode pedir a um leigo que presida à Eucaristia, porque isso pertence ao ministro ordenado (padre) ou que faça a homilia, porque esse serviço é própria do ministro ordenado (padre ou diácono). Mas também não se pode pedir ao padre ou ao diácono que vão a casa substituir os pais no serviço da educação religiosa dos filhos, porque isso pertence aos pais cristãos. Isto mesmo vale em relação ao emprego, desporto, grupo de amigos, associações onde os leigos desenvolvem a sua actividade. Aí pertence aos mesmos leigos o direito e o dever de, pela palavra e pelo exemplo, anunciar Jesus Cristo.
Há diversos dons e serviços que provêm do único Espírito em ordem à edificação do Corpo Místico de Cristo.

REIS COM CRISTO
Cristo é Rei, mas o seu reino não é deste mundo nem à maneira do mundo. Em Cristo reinar é servir. Reis em Cristo pelo Baptismo, somos chamados a prestar serviço aos outros na fé, na esperança e na caridade. Servir sempre. TODOS. Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, ontem, hoje e sempre.
E é aqui que se põe a questão colocada no título: "A quem compete ir à procura da ovelha perdida?"
Muitos pensam que é só ao padre. Mentira. Quem assim pensa está a 'sacudir a água do capote' e tal posição inferioriza quem a toma. COMPETE A TODOS, sejam padres, religiosos ou leigos.  Em Igreja todos somos pastores e todos somos ovelhas.
Todos baptizados, todos enviados.

Gesto da comunidade em Dia do Bom Pastor

Cristo é o único Bom Pastor.
Neste Dia, muitas comunidades têm um gesto para com aqueles que, ministerialmente, participam de forma especial  no ministério de Cristo, O PASTOR! Acontece em relação ao Pároco, Bispo, Superior de uma comunidade religiosa ...
Também a comunidade paroquial tarouquense, na Eucaristia das 11 horas, quis ter um gesto em relação ao seu Pároco. Agradeço a prenda, as flores e as palavras amigas.
Em Dia Mundial das Vocações, é sempre pedagógico um gesto de amizade e de apreço para com o sacerdote. Pode ser um estímulo em ordem ao despertar vocacional.
Não se trata de endeusar ou de incensar ninguém. É apenas um gesto de encorajamento, de apoio, de apreço pelo ministério sacerdotal, indispensável à comunidade. Independentemente das falhas, fraquezas e limitações da pessoa que exerce esse ministério.
Obrigado, comunidade cristã de São Pedro de Tarouca!

sábado, 14 de maio de 2011

Solidão e falta de fé são causas de suicídio no Alentejo

--
O sociólogo Manuel Villaverde Cabral justificou este sábado a elevada taxa de suicídios no Baixo Alentejo com o facto de se verificarem muitos casos de solidão em pessoas idosas, que não possuem fé católica.

Veja aqui

sexta-feira, 13 de maio de 2011

4º Domingo da Páscoa - Domingo do Bom Pastor

video

12 de Maio - Caminhando com Santa Maria

Capela de Teixelo. Vinte horas e trinta minutos. Inicia-se a Eucaristia. Estava lá uma parte do coral. muita gente. Houve silêncio e participação. O andor da Senhora de Fátima estava muito bem ornado. O tema da homilia foram as palavras do cântico que diz: "Vem connosco, vem caminhar, Santa Maria vem".
Inicia-se a procissão. Um mar de velas segue atrás da imagem. São 4 km a caminhar pela serra abaixo. A Primavera arranca às plantas  que cercam a estrada selvagens perfumes que enchem de satisfação as niossas narinas. Cada pessoa traz também na mão um flor que lhe foi entregue pelos organizadores da festa. Reza-se o terço e canta-se. Já perto da Igreja, iniciámos a oração pelos povos, por cada povo da paróquia e pela família paroquial.
Na Igreja Paroquial, completamente cheia, inicia-se a Bênção das criancinhas (até aos 3 anos). Alguns pais jovens com os filhitos pela mão e ao colo. Uma mãe lê um textozinho do Evangelho, outra, em nome dos pais presentes, proclama a Oração dos Fiéis, o sacerdote precede à benção das crianças, depois todos os presentes fazem m voz alta a oração de consagração da Paróquia a nossa Senhora.
Segue-se um momento sempre especial. Cada pessoa vai colocar a rosa junto do andor e ali, ao pé da imagem da Mãe, deixa-Lhe um segredo. Quantos desabafos, quantos pedidos, quantos agradecimentos, quantas confidências Maria Santíssima não acolheu hoje no seu coração de Mãe!!!Entretanto, uma música de fundo vai ajudando a criar o ambiente propício.
Parabéns ao povo de Teixelo que, este ano, organizou a festinha à Senhora de Fátima. Fê-lo com esmero, dedicação e generosidade. Para o próximo ano, é a vez de Tarouca, cabendo às ruas da Expansão Oeste organizar a Festa.
As muitas pessoas que marcaram presença certamente deram por bem utilizada esta parte da noite. Maria é sempre fonte de paz, aconchego, esperança.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Dia Mundial das Vocações

No IV Domingo da Páscoa, dia do Bom Pastor – este ano no dia 15 de Maio –, celebramos o Dia mundial das Vocações. E temos um pedido do Santo Padre: rezar intensamente pelo ressurgir de novas vocações.
Jesus convidou algumas pessoas a segui-lO, pois, como dizia, queria fazer delas pescadores de homens. E o Senhor, também hoje, continua a chamar, muitass vezes através de membros da Igreja: párocos, catequistas, etc..
«Especialmente neste tempo, em que a voz do Senhor parece sufocada por "outras vozes" e a proposta de O seguir oferecendo a própria vida pode parecer demasiado difícil, cada comunidade cristã, cada fiel, deveria assumir, conscientemente, o compromisso de promover as vocações. É importante encorajar e apoiar aqueles que mostram claros sinais de vocação à vida sacerdotal e à consagração religiosa, de modo que sintam o entusiasmo da comunidade inteira quando dizem o seu "sim" a Deus e à  Igreja» - escreve o Santo Padre na sua Mensagem para este Dia.A capacidade de cultivar as vocações é sinal característico da vitalidade das nossas comunidades. Vitalidade que advém da vivência cristã dos seus grupos e famílias. Por vezes, falta-nos a coragem de propor aos jovens e menos jovens este caminho do seguimento de Cristo. Exigente, sim! Mas rico de sentido e capaz de envolver toda a vida. A diminuição sobretudo do número de sacerdotes é uma das grandes preocupações da Igreja Católica. Para uma população de sete mil milhões de pessoas, no último quarto de século, os padres passaram de 421 mil para 406 mil.
Alguns pensam que a principal causa da falta de vocações sacerdotais está na exigência do celibato. Mas tem de haver outras razões pois esta falta sentem-na também as outras Igrejas separadas de Roma, onde os pastores podem casar. A falta de vivência cristã e a dificuldade em aceitar compromissos para toda a vida, a falta de vitalidade das comunidades cristãs, a atmosfera relativista e permissiva da nossa sociedade, a par dum fraco testemunho cristão de muita gente, serão porventura as causas mais profundas desta escassez de vocações consagradas. È preciso pedir ao Pai que mande operários para a Sua Messe, como Ele nos mandou.
E quem sabe se a crise que todo o mundo ocidental está a viver não poderá ser uma oportunidade para ouvir a voz de Deus que chama?!
In O Amigo de Povo

terça-feira, 10 de maio de 2011

FESTA AO EMIGRANTE

Logo pela manhã, os foguetes anunciaram o prometido. Exactamente há um ano, o Presidente da Câmara havia afirmado: "10 de Maio será sempre neste Concelho, o Dia do Emigrante, seja qual for o dia da semana." E assim aconteceu.
A festa decorreu junto à Rotunda do Emigrante onde se situa o Monumento ao Emigrante junto ao qual teve lugar a Homenagem ao Emigrante. Seguiu-se, pelas doze horas, a Eucaristia para a qual havia sido montado um palco, do outro lado da rotunda, frente ao Monumento.
Na Homenagem ao Emigrante, estiveram presentes, além de emigrantes e de ouras pessoas, o presidente da Câmara que saudou o Secretário de Estado da Administração Local, os deputados presentes, o Governador Civil, o Presidente da Assembleia Municipal, outras autoridades, os presentes e os emigrantes, que foram no acto os mais importantes. Usou também da palavra um emigrante e o Secretário de Estado.
Depois de uma recordação oferecida pela Câmara ao Secretário de Estado, seguiu-se a Eucaristia presidida pelo arcipreste e belamente animada pelo Grupo Coral Português de Engadina - Suiça.
Na homilia, o arcipreste falou de emigrantes e imigrantes. ´"Há anos, já éramos uma região marcada por forte fluxo migratório, mas não havia estrangeiros entre nós. Hoje, continua o forte fluxo migratório, mas já há muitos estrangeiros entre nós." E lembrando o provérbio - "mãos que não dais, o que é que esperais?" - alertou para a necessidade de acolher dignamente os estrangeiros que vivem e trabalham entre nós, para termos autoridade para exigir a outros países que acolham e dignifiquem os portugueses que para aí vão trabalhar e viver.
Abordou ainda a importância dos emigrantes como embaixadores de Portugal na língua, cultura, culinária, costumes, tradição... Alma lusitana.
Depois de assinalar a boa fama de que os portugueses gozam no estrangeiro, graças ao seu profissionalismo e dedicação, frisou a fundamentalidade da emigração para Portugal. As remessas que enviam, fruto do seu trabalho e poupança, são indispensáveis para Portugal. Frisou ainda a a importância da emigração para o desenvolvimento do país: na construção, no comércio, no empreendedorismo, na abertura de horizontes... Sublinhou ainda o contributo dos migrantes para  o associativismo humanista, cultural e recreativo e a generosidade dos mesmos para a edificação de estruturas destinadas ao bem comum. Nesta linha, apelou a todos os emigrantes desta Paróquia de Tarouca ou a ela ligados por laços de amizade, que colaborem com o Centro Paroquial, quer dando a sua generosa oferta, quer motivando outros emigrantes para a dádiva. E acrescentou: "Porque é de todos, o Centro Cultural também é vosso."
Por fim lembrou aos emigrantes a sua condição de cristãos e pediu-lhes para não deixarem a fé no marco das fronteiras. Cristo é de todos e está em todos. Acolhamo-lo e testemunhemo-lo. "Abençodos os litros de gasolina que gastardes para estardes presentes na Eucaristiia dominical, mesmo quando a língua vos é estranha! A fé é linguagem comum que a todos acolhe e une." Pediu-lhes ainda que conservem os grandes valores da família porque esta é indispensável ao pleno desenvolvimento humano de cada pessoa.
Depois do almoço, decorre no mesmo espaço e pela tarde fora, a actuação do Grupo Musical Diatónicos. A festa termina à noite no Auditório Municipal com Teatro de Revista "Vamos à Revista...Carago", pelo Teatro Sá da Bandeira.

A missão dos cristãos leigos:o que é que compete aos leigos?

--
Os Leigos são cristãos que têm uma missão especial na Igreja e na sociedade. Pelo batismo, receberam essa vocação que devem vivê-la intensamente ao serviço do Reino de Deus.Na Igreja existem as diversas vocações: a sacerdotal, a diaconal, a religiosa e a laical. Todas são muito importantes e necessárias, pois brotam do Batismo, fonte de todas as vocações.

Antigamente, a missão do leigo era relegada a segundo plano, valorizando-se só o sacerdócio e a vida religiosa. Mas depois do Concílio Vaticano II, a vocação e missão dos leigos foram revalorizadas, conferindo-lhes a mesma dignidade dos sacerdotes e religiosos.

Dentro da comunidade eclesial, os leigos são chamados a desempenhar diversas tarefas: catequista, Ministro da Eucaristia, agente das diferentes pastorais, serviço aos pobres e aos doentes. São chamados também a colaborar no governo paroquial e diocesano, participando de conselhos pastorais e económicos.

Não como simples colaboradores do bispo e dos padres, mas como membros ativos da comunidade, assumindo ministérios e serviços para o engrandecimento da Igreja de Cristo.

Apesar desses serviços que desempenham na comunidade eclesial, a missão mais importante dos leigos é no mundo. Eles são chamados a realizar sua missão dentro das realidades nas quais se encontra no dia-a-dia. Na família, no trabalho, na escola, no mundo da política e da cultura, nos movimentos populares e sindicais, nos meios de comunicação, é chamado a testemunhar, pela palavra e pela vida, a mensagem de Jesus Cristo. Nessas realidades, é chamado a desempenhar sua missão, necessária e insubstituível.

Por isso o papel do leigo não é ficar o dia todo na igreja, mas ser fermento nesses campos de vida e de atuação, ser "sal da terra e luz do mundo". Nesses ambientes deve  empenhar-se na construção efetiva do Reino de Deus, "um reino eterno e universal, reino da verdade e da vida, reino da santidade e da graça, reino da justiça, do amor e da paz", como rezamos no prefácio da missa da festa de Cristo Rei.

O reino de Cristo cresce onde se manifesta a atitude de serviço, a doação generosa em prol dos irmãos, onde há o respeito pelos outros, onde se luta pela justiça e pela libertação. E tudo isso acontece de modo especial através da atuação dos cristãos leigos.

Quando os leigos assumem de fato sua missão específica, podemos sonhar com uma nova ordem social. O Concílio Vaticano II e os ensinamentos do papa insistem muito na necessidade de os leigos participarem ativamente na construção de uma nova sociedade, aperfeiçoando os bens criados e sanando os males. Felizmente, muitos têm entendido essa missão e têm-se empenhado para bem cumpri-la.

Vemos com muita esperança o crescimento hoje da tomada de consciência por parte de muitos leigos que compreendem essa índole específica de sua missão. Acreditam nela e procuram exercê-la de modo digno e eficiente para que se faça cada vez mais concreta a promessa de Jesus: "O Reino de Deus está presente no meio de vós."

 Os leigos devem assumir seu papel, confiantes nas bênçãos divinas.

Devem participar da vida comunitária, buscando nas celebrações, sobretudo na Eucaristia, as forças de que necessitam para bem desempenhar sua missão na comunidade e no mundo.

Através dos leigos, a Igreja  faz-se presente nos diversos ambientes sociais, impregnando-os da mensagem de Jesus Cristo, semeando os valores evangélicos da solidariedade e da justiça, empenhando-se decisivamente na construção da sociedade justa, fraterna e solidária, sinal do Reino de Deus.
(Dom João Bosco Óliver de Faria, Arcebispo  de Diamantina )


Nota: Não deixa de ser elucidativo este facto. Um dos países do mundo onde se nota maior dinamismo missionário é a Coreia do Sul. Exactamente uma Igreja onde há um dinamismo laical extraordinário.
Por cá umas das grandes pechas da Igreja é o paradismo de muitos e muitos dos seus leigos.
Felizmente alguns - poucos- mostram vontade de arrancar. Mas a maioria continua atávica, presa a velhos hábitos, inconsciente do seu lugar e missão na Igreja.

domingo, 8 de maio de 2011

12 de Maio: Procissão de Nossa Senhora de Fátima na Paróquia de Tarouca

--
Como de costume, em 12 de Maio a Paróquia de Tarouca realiza a procissão de velas, caminhando de um povo para a Igreja Paroquial. Este ano é a vez de Teixelo.
Guiados pela Imagem de Nossa Senhora de Fátima, afirmamo-nos como povo peregrino que caminha com Cristo para viver e anunciar a Sua Mensagem.

Programa:

- Eucaristia em Teixelo às 20.30 horas
- Procissão de velas para a Igreja Paroquial
- Bênção das crianças (até aos 3 anos) que devem estar acompanhadas de seus pais
- Consagração da Paróquia a Nossa Senhora
- Cada pessoa colocará uma flor junto da Imagem de Nossa Senhora.

sábado, 7 de maio de 2011

«Começa por ti».

---
Era bom que este tempo fosse habitado pela esperança. Mas tudo indica que ele será dominado pelo medo.

A situação não está bem. Mas há o receio de que fique pior.

As sondagens, aliás, espelham isso. A maioria acha que a actual governação não tem sido boa. Mas a mesma maioria considera que a oposição não faria melhor. Daí o empate com sabor a impasse.

Pelo olhar das pessoas, este momento parece ter um tom mais crepuscular que auroral.

Há uma grande dificuldade em olhar de frente para a realidade. Há quem prefira não saber o que nela ocorre.

É por isso que se pensa que, com a verdade, quase nunca se ganha. O problema é que, sem a verdade, perde-se sempre. Mesmo que se tenha a ilusão de ganhar.

Em política, como no resto, uma verdade encobre, quase sempre, outra verdade. Só na totalidade se encontra a verdade.

O povo tem tido a boca fechada. Mas tem de manter os olhos abertos e os ouvidos atentos.

Não há saída?

Gregório Nisseno dizia que cada homem é um pequeno mundo. Nenhuma mudança acontece no mundo sem a intervenção das pessoas que nele vivem.

A mudança molda as pessoas. E as pessoas moldam a mudança.

Fiquemos, pois, com a recomendação de Gandhi: «Sê tu mesmo a mudança que queres para o mundo».

No fundo, foi o que propôs Roger Schutz: «Começa por ti».

A mudança tem de começar por dentro. Tanto mais que é a única que depende de nós.
Fonte: este blog

sexta-feira, 6 de maio de 2011

VAMOS REZAR?

--
"Rezar é conversar com DEUS, oferecendo-LHE espaço para ELE agir em nossa vida. Aqui encontrará os meios e sugestões objetivando aperfeiçoar a sua maneira de Rezar, que também servirá para polir as suas boas qualidades pessoais em cada dia e corrigir através da oração, os defeitos e as imperfeições. "

Veja AQUI