sexta-feira, 11 de agosto de 2017

O Evangelho não tem medo do Mediterâneo

Sei bem, caros leitores, que sou altamente inconveniente, neste tempo quente de agosto, acordar-vos assim do sono ou do sonho, aos gritos e com alertas vermelhos… Mas o caso não é para menos: há tempestades de verão, no monte ou no mar. “Vemos, ouvimos e lemos. Não podemos ignorar” (Sophia Mello Breyner).


Então comparemos o Evangelho do próximo domingo com a situação de tantos migrantes que batem à porta da Europa.
E deixemos que Deus nos abra o coração.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

13 Agosto 2017 – 19º Domingo do Tempo Comum – Ano A

video
Leituras:aqui

Capela de Santo António - Arguedeira - tem novo crucifixo


Dia 9 de agosto. Na Eucaristia das 19.30h em Arguedeira, é benzido o novo crucifixo há muito desejado pelos cristão deste povo.
Graças ao empenho e trabalho da recém-nomeada Comissão de Culto - Laida, Carlos e Marco - a capela de Santo António, Arguedeira, tem novo crucifixo, que agradou a todos os presentes.
Também as escadas de acesso ao templo foram dotadas de uma rampa que beneficia, sobretudo, as pessoas com deficiência e as que têm dificuldade de locomoção. Tal rampa deixou contentes as gentes. Tal rampa foi oferecida pela Câmara Municipal.
Assinale-se igualmente a cedência de uma pequena sala com wc ao lado da capela. Esta estrutura beneficia as pessoas que, ou nas celebrações ou nos velórios, precisem de utilizar instalações sanitárias.  Refira-se ainda que a referidas instalações  possuem uma salinha que pode usada pelos familiares e amigos do falecido para tomar um cafezinho durante o velório. A chave encontra-se na capela, oferecida pelo Presidente da Junta.
Destes melhoramentos não existem quaisquer dívidas, graças à colaboração do povo de Arguedeira (residentes e emigrantes), dos Presidentes da Câmara e da Junta, da Comissão de Culto e da zeladora da Capela, D. Carlina Melo . Daí uma palavra de parabéns, que é também de gratidão, a todos eles.
A nova rampa de acesso à capela,
vendo-se em frente a porta de acesso às instalações cedidas à Capela

Arguedeira tem em mãos o restauro da bela talha da capela de São Tiago cujas obras decorrem. Como sempre, contamos com o apoio da população e das entidades autárquicas. Aquela capela é uma boa pérola que os antepassados nos deixaram e cabe-nos a nós conservá-la para a legarmos aos nossos vindouros.

domingo, 6 de agosto de 2017

Oração pelos Emigrantes

Senhor, meu Deus
orientai e conduzi
os nossos emigrantes tão amados
para uma terra que os alimente,
sem lhes tirar a identidade e o coração.
Que o Vosso Espírito os fortaleça
para que prossigam rumo à verdadeira
Terra Prometida, vivendo com justiça,
solidariedade e paz.
Amen.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Semana Nacional de Migrações decorre a partir de domingo

Igreja Católica dedica iniciativa a «novas gerações migrantes»

A 45.ª Semana Nacional de Migrações realiza-se sob o tema ‘Acolher o futuro - Novas gerações migrantes são o amanhã da humanidade’, e decorre até dia 13 de agosto.
Como vem sido hábito, a Peregrinação a Fátima, em 12 e 13 de agosto, é dedicada aos emigrantes. 

Ajudai, ó Mãe, a nossa fé


Maria, Mãe da Igreja,
Mãe da nossa fé
Ajudai, ó Mãe, a nossa fé.
Abri o nosso ouvido à Palavra, para reconhecermos a voz de Deus e a sua chamada.
Despertai em nós o desejo de seguir os seus passos,
saindo da nossa terra e acolhendo a sua promessa.
Ajudai-nos a deixar-nos tocar pelo seu amor,
para podermos tocá-Lo com a fé.
Ajudai-nos a confiar-nos plenamente a Ele,
a crer no seu amor, sobretudo nos momentos
de tribulação e cruz, quando a nossa fé é chamada
a amadurecer.
Semeai, na nossa fé, a alegria do Ressuscitado.
Recordai-nos que quem crê nunca está sozinho.
Ensinai-nos a ver com os olhos de Jesus,
para que Ele seja luz no nosso caminho.
E que esta luz da fé cresça sempre em nós
até chegar àquele dia sem ocaso que é o próprio Cristo,
Vosso Filho, Nosso Senhor.
(Encíclica Lumen fidei, 29 de junho de 2013)
In Conversas com Maria, de Helena Sacadura Cabral

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Pedir perdão


A Igreja Católica foi a grande instituição que teve a coragem de pedir perdão ao mundo pelas pecados cometidos contra a dignidade da pessoa humana. Fê-lo através do grande Papa João Paulo II.
Fê-lo o Nazismo? Não.
Fê-lo o comunismo? Não.
Quem o fez foi a Igreja Católica pela voz do seu líder, João Paulo II.
Esta é a grande diferença.
Cada época histórica tem o seu texto e o seu contexto.
Só nos situamos honestamente no texto se estivermos atentos ao contexto.
É preciso ter um espírito superior para, apesar do contexto, se reconhecer falhas, pecados, excessos, lacunas. Foi o que fez a Igreja Católica.
Os católicos, honestamente, só se podem sentir felizes por este gesto de enorme transcendência humana.
A grandeza está na humildade de reconhecer as falhas graves.