quinta-feira, 18 de novembro de 2010

MÃES MÁRTIRES DA PARÓQUIA

Neste mês de Novembro, uma homenagem sentida às mães mártires desta comumidade paroquial. Sim, a estas mães vivas que viram partir filhos seus novos.
D. Carolina, D. Cândida, D. Eva, D. Milocas, D. Maria Emília, D. Maria, D. Hermínia Teixeira, D. Hermínia Pereira, D Antoninha, D Gracinda, D. Aldina, D. Dores, D. Olívia, D. Fernanda, D. Leonor, D. Olinda, D. Dina, D. Maria Costa, D. Aurora, D. Piedade, D. Otília, D. Maria José, D. Lurdes...

Estas senhoras de ao-pé-da-cruz de seus filhos, mães das dores a quem o sofrimento atingiu a alma com a violência de um raio e fazem da dor, que só elas percebem, companheira silenciosa de seus dias.
Estas mães cujo coração é o mais quente túmulo de seus filhos.
Estas mães que visitam frequentemente o cemitério e junto do túmulo agasalham seus filhos adormecidos, soltando o coração que embrulham em silêncio para que nenhum ruído afaste esses momentos de comunhão.
Estas mães que procuram estancar a dor da perda com a recordação de tudo o que de bom viveram com os filhos que partiram e cujas fotos guardam como sacrário de amor.

É simplesmente fantástico o testemunho de fé que tantas destas mães nos oferecem!
Uma entrega sem limites ao amor de Deus que sentem mesmo quando o não compreendem.
Uma janela aberta à luz da esperança por onde vislumbram seus filhos ressuscitados pelo poder do Ressuscitado.
Uma abertura aos outros, fazendo da caridade o bálsamo mais eficaz para a dor.
Merecem a nossa admiração e gratidão.
Mães com a Mãe e Irmã Maria, a Mãe de Jesus.
Mães como a Mãe, sufocadas pela dor.
Mães como a Mãe, abertas ao Projecto de Deus que gera esperança.

Sem comentários:

Enviar um comentário