sábado, 4 de maio de 2013

Reunião do Conselho Económico

"A Igreja tem uma finalidade salvífíca e escatológica, que só pode ser plenamente alcançada no século futuro. Todavia, já está presente aqui na terra, formada por homens, quer dizer, por membros da cidade terrena, que são chamados a formar, no seio mesmo da história humana, a família dos filhos de Deus, que deve aumentar sempre até à vinda do Senhor. Unida em vista dos bens eternos e enriquecida com eles, esta família foi por Cristo constituída e organizada neste mundo numa sociedade e está dotada de meios capazes de assegurar uma união visível e social. Simultaneamente assembleia visível e comunidade espiritual, a Igreja caminha a par da humanidade, compartilha da sorte terrena do mundo e a sua razão de ser é atuar como fermento e como alma da sociedade que deve renovar-se em Cristo e transformar-se na família de Deus." (GS40).
É neste horizonte que se orienta a atuação do Conselho Económico como órgão de corresponsabilidade paroquial visando a gestão dos bens que hão-de garantir minimamente as ações pastorais da evangelização, tendo sempre bem presente que os fins próprios dos bens temporais da Igreja são, entre outros, "exercer obras de apostolado e de caridade, especialmente em favor dos necessitados".(CDC 1254,2)
"Na administração dos bens da Paróquia, o pároco deve rodear-se de colaboradores, em número ímpar (...), de preferência mas não exclusivamente leigos, homens e mulheres, os quais com ele, e sob a sua presidência, constituem o conselho paroquial de assuntos económicos (CDC 537 e 1280)".
 
Na noite desta sexta-feira, reuniu o Conselho Económico Paroquial.
Depois de analisadas as contas da Paróquia referentes a 2012, as mesmas foram aprovadas por unanimidade. Serão apresentadas á comunidade neste fim-de-semana. É que quem vive com contas, vive com honras. É um direito das comunidades saber das contas.
Falou-se da próxima novena de Santa Helena, do que é necessário fazer, da maneira de proceder, das atividades a realizar, dos apoios a solicitar.
Como não podia deixar de ser, abordou-se a construção da 3ª parte do Centro Paroquial, fez-se o ponta da situação e trocaram-se ideias acerca deste processo.
Foram feitos alguns ajustes no âmbito das tarefas dos conselheiros, com o total apoio dos mesmos. 

Sem comentários:

Enviar um comentário