quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Bento XVI nomeia 24 novos Cardeais

Bento XVI anunciou esta Quarta-feira a convocação de um consistório para a criação de 24 novos Cardeais, 20 dos quais com direito a voto num eventual conclave para eleição de um Papa.

Entre os escolhidos estão 15 europeus, dez dos quais são italianos. Quatro africanos, dois norte-americanos, dois sul-americanos e um asiático completam a lista.

O terceiro consistório do actual pontificado (o último aconteceu em Novembro de 2007) vai ter lugar a 20 de Novembro e acontece num momento em que o número de Cardeais eleitores tinha descido para 102 - até final do próximo ano, esse número cairia para os 92.

O anúncio foi feito no final da audiência pública desta semana, na praça de São Pedro, Vaticano, perante mais de 20 mil pessoas.

Metade dos novos 20 Cardeais eleitores vem da Cúria Romana e vários outros chegam de sedes diocesanas habitualmente cardinalícias, como Varsóvia, Washington ou Munique.

Neste último caso, o futuro Cardeal Marx vai também tornar-se o mais novo dos Cardeais, com 57 anos de idade.

“A lista dos novos purpurados reflecte a universalidade da Igreja.Com efeito, eles vêm de várias partes do mundo e realizam diferentes tarefas ao serviço da Santa Sé ou no contacto directo com o povo de Deus, como padres e pastores. Convido-vos a rezar pelos novos Cardeais", afirmou o Papa.

Paulo VI fixou como número máximo de Cardeais eleitores os 120 - uma prática que foi mantida por João Paulo II -, mas esse valor já foi superado por Bento XVI anteriormente, o que volta a acontecer agora: no dia 20 de Novembro, os Cardeais eleitores serão 121 (num total de 203).

Nessa altura, a distribuição geográfica dos eleitores será a seguinte: 62 Cardeais da Europa (51% do total); 21 da América Latina e 15 da América do Norte; 12 de África, 10 asiáticos e um da Oceânia.

Portugal está representado nesta lista por D. José Saraiva Martins, prefeito emérito da Congregação para as Causas dos Santos, e D. José Policarpo, Patriarca de Lisboa.

O actual Papa criara já 38 Cardeais (36 ainda vivos, 30 com direito a voto), desde o início do seu pontificado. Qualquer Cardeal é, acima de tudo, um conselheiro específico que pode ser consultado em determinados assuntos quando o Papa o desejar, pessoal ou colegialmente.

Os consistórios podem ser ordinários ou extraordinários. No Consistório ordinário reúnem-se os Cardeais presentes em Roma, outros Bispos, sacerdotes e convidados especiais.

Ao consistório extraordinário são chamados todos os Cardeais e celebra-se quando o requerem algumas necessidades especiais da Igreja ou assuntos de maior gravidade.

Durante o período de "Sede vacante", após a morte do Papa, o Colégio Cardinalício desempenha uma importante função no governo geral da Igreja e também no governo do Estado da Cidade do Vaticano.

Os requisitos para ser criado Cardeal são, basicamente, os mesmos que estabeleceu o Concílio de Trento na sua sessão XXIV de 11 de Novembro de 1563: homens que receberam a ordenação sacerdotal e se distinguem pela sua doutrina, piedade e prudência no desempenho dos seus deveres.

Lista dos novos Cardeais

(Cúria Romana)

Angelo Amato (Itália) - Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos

Fortunato Baldelli (Itália) - Penitenciário-mor

Raymond Leo Burke (EUA) - Prefeito do Tribunal da Assinatura Apostólica

Velasio De Paolis (Itália) - Prefeito para os Assuntos Económicos e Comissário dos Legionários de Cristo

Francesco Monterisi (Itália) - Arcipreste da Basílica papal de São Paulo fora de muros, em Roma

Kurt Koch (Suíça) - Presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos

Gianfranco Ravasi (Itália) - Presidente do Conselho Pontifício para a Cultura

Paolo Sardi (Itália) - Pro-patrono da Ordem de Malta

Robert Sarah (Guiné-Conakry) - Presidente do Conselho Pontifício Cor Unum

Mauro Piacenza (Itália) - Prefeito da Congregação para o Clero.

(Dioceses)

Antonio Naguib - Patriarca de Alexandria dos Coptas (Egipto), relator geral do Sínodo para o Médio Oriente

Paolo Romeo - Arcebispo de Palermo (Itália)

Reinhrad Marx - Arcebispo de Munique (Alemanha)

Kazimierz Nycz - Arcebispo de Varsóvia (Polónia)

Donald William Wuerl - Arcebispo de Washington (EUA)

Laurent Monsengwo Pasinya - Arcebispo de Kinshasa (R. D. Congo)

Medardo Joseph Mazombwe - Arcebispo emérito de Lusaka (Zâmbia)

Albert Malcom Ranjith Patanbendige Don - Arcebispo de Colombo (Sri Lanka)

Raul Eduardo Vela Chiriboga - Arcebispo emérito de Quito (Equador)

Raymundo Damasceno Assis - Arcebispo de Aparecida (Brasil)

(Não-eleitores)

Elio Sgreccia (Itália) - Ex-presidente da Academia Pontifícia para a Vida

José Manuel Estepa Llaurens (Espanha) - Ex-arcebispo militar na Espanha e colaborador na redacção do Catecismo da Igreja Católica

Walter Brandmueller (Alemanha) - Ex-presidente da Comissão Pontifícia de Estudos Históricos

Domenico Bartolucci (Itália) - Ex-director musical da Capela Sixtina

In ecclesia

Veja aqui também o post "Colégio Cardinalício: notas históricas".

Sem comentários:

Enviar um comentário