terça-feira, 26 de outubro de 2010

Novo Sínodo para 2012

--
"O meu regozijo pelo anúncio feito pelo Papa Bento XVI anunciou na homilia do Dia Mundial das Missões, que foi também de encerramento de um Sínodo para a Igreja do Médio Oriente, uma Igreja minoritária em países islâmicos, onde não há liberdade religiosa: convocar um novo Sínodo para 2012 com o tema da nova evangelização.

Com certeza que não vão surgir grandes novidades de conteúdos para a missão da Igreja. Mas da reflexão preparatória do Sínodo e da revisão dos nossos métodos e linguagem poderá surgir alguma luz e simplificação para a acção da Igreja no mundo contemporâneo.

Igreja em Portugal?

Está com o plano repensar a pastoral da Igreja em Portugal, que está em curso e que nos próximos meses irá envolver todos os colaboradores da missão da Igreja nas dioceses com seus serviços, paróquias e movimentos, tendo por base duas perguntas, para ajudar ao discernimento, uma sobre a leitura de fé dos sinais de Deus na sociedade e outra sobre os sinais e indicadores do Espírito Santo na própria vida da Igreja:
1. Igreja em Portugal, “que vês na noite” da sociedade em que vives (cf. Is 21, 11)? Quais os sinais de Deus e os desafios para a tua missão? O que verdadeiramente precisam as pessoas de hoje, a nível espiritual e humano, e o que podes tu oferecer-lhes?
2. Igreja em Portugal, que indicações ou rumores do Espírito encontras hoje em ti (experiências, carismas, dinamismos existentes...) a apontar te o estilo de vida cristã e a “nova maneira de ser Igreja” adequada aos tempos de hoje? Que caminhos pastorais te assinalam os sinais e os dons do Espírito para viveres e testemunhares o Evangelho de Cristo?

A reflexão na base destas questões poderá trazer à Igreja em Portugal novos dinamismos de missão, acentuar as suas prioridades e até simplificar algumas estruturas pesadas da nossa organização, que sorvem muito do nosso tempo e energias. Na sua homilia no Porto, o Papa Bento XVI alertava para isso mesmo, quando exclamava: Quanto tempo perdido, quanto trabalho adiado, por inadvertência deste ponto! Tudo se define a partir de Cristo, quanto à origem e à eficácia da missão: a missão recebemo-la sempre de Cristo, que nos deu a conhecer o que ouviu a seu Pai, e somos nela investidos por meio do Espírito na Igreja. Como a própria Igreja, obra de Cristo e do seu Espírito, trata-se de renovar a face da terra a partir de Deus, sempre e só de Deus!

D. António Vitalino

Sem comentários:

Enviar um comentário