domingo, 28 de julho de 2013

Nesta noite, 3 milhões de pessoas na praia do Rio de Janeiro para a vigília de oração com o Papa



Papa dirigiu-se esta noite aos jovens num discurso cheio de boa disposição e com vários pedidos de resposta ao público. Mais de três milhões de pessoas encheram a praia de Copacabana, no Rio de Janeiro.
Foi com várias alusões ao mundo do futebol que o Papa Francisco se dirigiu aos mais de três milhões de pessoas que se juntaram na praia de Copacabana para o ouvir, durante a cerimónia de vigília desta Jornada Mundial da Juventude. Francisco apelou à intervenção activa dos jovens na construção da Igreja e da mudança para um mundo melhor.

“Querem construir a Igreja? Animem-se!”, afirmou, pedindo ao público que respondesse mais alto. “Somos parte da Igreja”, disse depois.

"Não sejam cristãos de fachada, sejam cristãos autênticos. Eu sei que vocês não querem ser cristãos de fachada", afirmou, prosseguindo: Jesus "pede-nos que joguemos na equipa dele".

"Eu sei que aqui no Brasil o futebol é a paixão nacional. O que faz o jogador quando é chamado para fazer parte de uma equipa? Treina muito. Assim é também na nossa vida, na dos discípulos do Senhor. Os atletas se privam de tudo. Jesus nos oferece algo muito maior que a Copa do Mundo", defendeu.

“Rapazes e raparigas, não se colem à vitória, participem na construção de um mundo melhor, de fraternidade. Vão sempre na dianteira”, apelou.

“A Igreja de Jesus é de pedras vivas, que somos todos nós. Cada pedacito vivo tem de cuidar da segurança da Igreja e não construir uma pequena capela, onde só cabe um pequeno número de pessoas”, sublinhou também.

Durante o seu discurso, feito em castelhano durante a maior parte do tempo, Francisco lançou várias questões ao público e pediu força na resposta. “Não estou a ouvir bem”, chegou a dizer.

Afirmando-se seguidor das notícias, lembrou os muitos jovens que, por todo o mundo – “e também aqui no Brasil” – lutam pelo desejo de uma civilização mais justa e fraterna.

“Não deixem que sejam os outros os protagonistas da mudança. Sejam-no vocês. Continuem a ultrapassar a apatia e oferecendo uma resposta cristã”, pediu.

“Não fiquem a ver a vida passar. Metam-se nela”, acrescentou ainda, recordando depois a resposta de Madre Teresa de Calcutá, quando lhe perguntaram por onde começar: “Por ti e por mim”.

“Tinha garra esta mulher!”, comentou o Papa. Depois, pediu um momento de silêncio. “Cada um, abra o seu coração para que Jesus lhe diga por onde começar.”

O final do discurso foi em português: “Queridos amigos, não se esqueçam: vocês são o campo da fé. Vocês são os atletas de Cristo. Vocês são os construtores de uma Igreja mais bela e de um mundo melhor. Elevemos o olhar para Nossa Senhora. Ela nos ajuda a seguir Jesus, nos dá o exemplo com o seu “sim” a Deus: ‘Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua Palavra’.”

“Também nós o dizemos a Deus, juntos com Maria: faça-se em mim segundo a Tua palavra. Assim seja!”, terminou Francisco, ouvindo-se logo de seguida a multidão a mostrar a sua felicidade por este momento.

Seguiu-se uma festa no palco, com jovens a cantar e a dançar, enquanto outros davam continuidade à construção da pequena igreja.

O Papa retirou-se, mas voltou pouco depois para o momento da Adoração na vigília.
Fonte: aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário