quarta-feira, 24 de julho de 2013

Francisco celebra Missa no Santuário de Aparecida: “cristão não pode ser pessimista! Não pode ter uma cara de quem parece num constante estado de luto”



O Papa Francisco indicou hoje (24) o caminho para se construir um mundo mais justo, solidário e fraterno. Na homilia da missa no Santuário de Aparecida, ele pediu para isso “três simples posturas: conservar a esperança; deixar-se surpreender por Deus; viver na alegria”.
 
O Papa havia chegado a Aparecida às 10h17 desta quarta-feira. Cerca de 200 mil peregrinos o aguardavam. 15 mil dentro da Basílica e o restante no pátio, por onde Francisco circulou em papamóvel e saudou a todos. Antes da missa, o Papa rezou pela JMJ e por seu pontificado junto à imagem de Nossa Senhora Aparecida.
 
Em sua homilia, ele explicou a primeira postura de quem quer construir um mundo melhor: “conservar a esperança”.
 
“Quantas dificuldades na vida de cada um, no nosso povo, nas nossas comunidades, mas, por maiores que possam parecer, Deus nunca deixa que sejamos submergidos.”
 
“Frente ao desânimo que poderia aparecer na vida, em quem trabalha na evangelização ou em quem se esforça por viver a fé como pai e mãe de família, quero dizer com força: Tenham sempre no coração esta certeza! Deus caminha a seu lado, nunca lhes deixa desamparados! Nunca percamos a esperança! Nunca deixemos que ela se apague nos nossos corações!”, afirmou o Papa.
 
Francisco assinalou que hoje, “mais ou menos todas as pessoas, e também os nossos jovens, experimentam o fascínio de tantos ídolos que se colocam no lugar de Deus e parecem dar esperança: o dinheiro, o poder, o sucesso, o prazer”. 
 
Ele disse que os jovens não precisam de “ídolos passageiros”, “não precisam só de coisas”, “precisam sobretudo que lhes sejam propostos aqueles valores imateriais que são o coração espiritual de um povo, a memória de um povo”.
 
“Neste Santuário, que faz parte da memória do Brasil, podemos quase que apalpá-los: espiritualidade, generosidade, solidariedade, perseverança, fraternidade, alegria; trata-se de valores que encontram a sua raiz mais profunda na fé cristã.”
 
A segunda postura indicada pelo Papa é: “deixar-se surpreender por Deus”.
 
“Quem é homem e mulher de esperança – a grande esperança que a fé nos dá – sabe que, mesmo em meio às dificuldades, Deus atua e nos surpreende.”
 
“A história deste Santuário serve de exemplo: três pescadores, depois de um dia sem conseguir apanhar peixes, nas águas do Rio Paraíba, encontram algo inesperado: uma imagem de Nossa Senhora da Conceição. Quem poderia imaginar que o lugar de uma pesca infrutífera, tornar-se-ia o lugar onde todos os brasileiros podem se sentir filhos de uma mesma Mãe?”
 
“Deus sempre surpreende, como o vinho novo, no Evangelho que ouvimos. Deus sempre nos reserva o melhor. Mas pede que nos deixemos surpreender pelo seu amor, que acolhamos as suas surpresas. Confiemos em Deus! Longe d’Ele, o vinho da alegria, o vinho da esperança, se esgota. Se nos aproximamos d’Ele, se permanecemos com Ele, aquilo que parece água fria, aquilo que é dificuldade, aquilo que é pecado, se transforma em vinho novo de amizade com Ele”, disse Francisco.
 
A terceira postura indicada pelo Papa é: “viver na alegria”.
 
“Queridos amigos, se caminhamos na esperança, deixando-nos surpreender pelo vinho novo que Jesus nos oferece, há alegria no nosso coração e não podemos deixar de ser testemunhas dessa alegria.”
 
“O cristão é alegre, nunca está triste. Deus nos acompanha. Temos uma Mãe que sempre intercede pela vida dos seus filhos, por nós”, disse o Papa.
 
Segundo Francisco, “Jesus nos mostrou que a face de Deus é a de um Pai que nos ama. O pecado e a morte foram derrotados. O cristão não pode ser pessimista! Não pode ter uma cara de quem parece num constante estado de luto”. 
 
“Se estivermos verdadeiramente enamorados de Cristo e sentirmos o quanto Ele nos ama, o nosso coração se ‘incendiará’ de tal alegria que contagiará quem estiver ao nosso lado.”
Fonte: aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário