domingo, 28 de março de 2010

Nós por cá


Sábado, dia 27 de Março. Dia da Comunhão Pascal na comunidade paroquial tarouquense. Muita gente se abeirou do Sacramento da Confissão. Fizeram-no ordenada, serena e convictamente. Todos? Nem pensar. Tanta gente que ainda não descobriu a beleza e a alegria do Sacramento da Reconciliação (Confissão)! E o Pai a todos espera porque a todos quer salvar.
Seguiu-se o Jubileu que a Irmandade das Almas sempre celebra pelos irmãos falecidos. Igreja cheia e boa participação.
Domingo de Ramos. Menos gente na Missa das 8h, porque a mudança da hora deixou moossa... No Teixelo estavam praticamente todos e alguns de fora. Missa da 11 horas: Igreja a transbordar. Foi pena ter faltado a projecção que tinha antecipadamente enviado...
Ao início da tarde, um grupinho de adolescentes, com a presença de alguns catequistas, fez a Via-Sacra da Igreja até Alcácima. Diferente, com tons jovens e muito participada. Os adolescentes participaram nas leituras, foram montando coroa de espinhos e a cruz onde escreveram nome, pecados, amigos e esperanças.
Gostei de ter participado. Houve silêncio, e participação serena dos jovens. Parabéns a quem participou e aos catequistas. Esperamos que na próxima mais adiram...
Dá que pensar...
Qual o motivo pelo qual aparecem mais pessoas nas celebrações sempre que participam activamente através de algum gesto concreto?
- Procissão da Senhora de Fátima. As pessoas levam velas e é uma enchente.
- Missa do Natal. As pessoas beijam a imagem do Menino e é uma enchente.
- Missa dos Ramos. As pessoas levam os ramos e é uma enchente.
- Missa dos defuntos nos cemitérios. As pessoas puseram flores e velas junto das campas dos seus falecidos e é uma enchente.
(...)
É assim em todas as comunidades.
Porque será?
- Os nossos cristãos ainda estão na fase das "operações concretas" e só compreendem aquilo em que tocam? Mas isso não será sinal de infantilismo religioso?
- A linguagem da liturgia é demasiado vaga, abstracta e pouco compreensível?
- Terão as pessoas uma fé demasiado à flor da pele, com muito sentimentalismo, mas ausente de profundidade?
- Alergia à concentração, ao silêncio, ao pensamento, à introspecção?
Enfim, um rol de questões sobre as quais a Igreja se deveria concentrar seriamente para tentar encontra uma resposta capaz...

Sem comentários:

Enviar um comentário