domingo, 7 de março de 2010

As ideias que temos acerca de Deus pouco (ou nada) correspondem a Ele.

"Vieram contar a Jesus que Pilatos mandara derramar o sangue de certos galileus, juntamente com o das vítimas que imolavam. Jesus respondeu-lhes:
«Julgais que, por terem sofrido tal castigo, esses galileus eram mais pecadores do que todos os outros galileus? Eu digo-vos que não. E se não vos arrependerdes, morrereis todos do mesmo modo.
E aqueles dezoito homens, que a torre de Siloé, ao cair, atingiu e matou? Julgais que eram mais culpados do que todos os outros habitantes de Jerusalém? Eu digo-vos que não. E se não vos arrependerdes, morrereis todos de modo semelhante." (Evangelho deste Domingo)

"Muitas vezes, pensamos num Deus castigador, num Deus vingativo, num Deus cruel. Era o que corria no tempo de Jesus. O Evangelho deste Domingo dá-nos conta disso.

Os que são perseguidos e mortos estão a receber castigo? Por amor de Deus!

Deus não está com os que oprimem, mas com os oprimidos.

A adversidade não é castigo; é oportunidade.

Deus, aquele que é e aquele que está, é a chama de que nos fala o livro do Êxodo: arde, mas não queima; ilumina, mas não extingue.

É Deus que toma a iniciativa. É Ele que nos chama. É Ele que nos ama.

Já reparamos no mal que, em nome de Deus, podemos fazer a Deus?

Deixemos que Deus seja Deus. E Deus é amor. Só. E sempre!" - In NO FUNDO DO POÇO

Sem comentários:

Enviar um comentário