sábado, 25 de março de 2017

REUNIU O CONSELHO PASTORAL PAROQUIAL

Foto de Centro Paroquial Santa Helena.
Em 24 de março reuniu o Conselho Pastoral Paroquial no Centro Paroquial.
O representante de cada grupo apresentou à comunidade o contributo do seu grupo para a pastoral comunitária e elencou as dificuldades sentidas.
1. Foi referido o dia 27 de novembro - Inauguração do Centro Paroquial - como um grande dia. Desde a cerimónia do Crisma em que sobressaiu a bondade de D. Jacinto, que falou pouco mas bem, tendo os jovens estado à altura, passando pelo almoço e a merenda e terminando na atuação dos grupos da catequese e grupos musicais. Foi uma comunidade em festa.
2. Falou-se da presença de catequistas no Dia Diocesano do Catequista de onde os que foram vieram satisfeitos, pois ouviram falar de Jesus com entusiasmo e clareza. Três palavras marcaram a repercussão que a palestra teve no seu coração: ingratidão, procura e acolhimento.
3. A catequese tem melhorado um bocadinho, há menos faltas este ano, as atividades catequéticas decorrem normalmente e a presença dos catequizandos nas Eucaristias quaresmais tem estado à altura, tendo alguns pais manifestado gratidão junto dos catequistas pelo trabalho realizado  nas referidas Eucaristias.
4. Mereceu especial ênfase o Encontro de Pais realizado em fevereiro no Centro Paroquial. Elementos designados pelo Conselho Pastoral para a dinamização deste Encontro apresentaram ao Conselho uma síntese dos assuntos tratados  e abordaram a metodologia seguida. (Neste blog, aqui, desenvolvemos o assunto).
Os dinamizadores disseram que foi gratificante o trabalho realizado, que as pessoas se sentiram bem nessa tarde de domingo, que a reunião foi proveitosa.
5. Sobre o Encontro de Pais, os conselheiros manifestaram-se:
- É bom pensar em mais encontros deste género para anunciarmos Deus, a Sua Palavra,  O conhecermos melhor, pois nem sempre conhecemos bem aquilo em que acreditamos.
- Muitas vezes os pais dão muitas ideias, fazem muitas propostas, mas depois não aparecem e não põem em prática o que foi sugerido nos encontros.
- Nestas coisas, as pessoas devem sugerir coisas com que estejam dispostas a comprometer-se e não coisas para os outros fazerem.
- Na vida pastoral há que insistir e persistir. Nada de desistir diante dos contratempos ou da menor adesão das pessoas. Nunca poderemos impor, mas teremos sempre que propor.
6. Falou-se da revitalização do escutismo na Paróquia. A Chefe Arlete, indicada pelo Assistente para o cargo como é da lei, falou das dificuldades do arranque, mas também do enorme entusiasmo que envolve  toda a equipa dirigente. Disse que o Agrupamento 1006 de Tarouca pautaria a sua conduta pelas normas do CNE (Corpo Nacional de Escutas), numa conjugação de esforços com os pais, a Paróquia e seus grupos. Referiu a importância do escutismo para a formação integral dos jovens, indicou o prazo de inscrição dos candidatos a escutas.
Os presentes saudaram a revitalização do escutismo, agradeceram aos que se disponibilizaram para o dirigir e mostraram vivo interesse em acolher bem, pois o escutismo ajuda a mudar o modo de vida. Houve quem se disponibilizasse para ficar no grupo de apoio ao escutismo.
7. Em relação ao Grupo Coral, quem dele faz parte aprecia o ambiente de carinho, alegria  e acolhimento existentes. Foi referida a disponibilidade para colaborar na vida da comunidade e com outros grupos. Disse-se  ainda que a persistência, o testemunho, o respeito são meios para ajudar os grupos a crescer. Tanto neste como em todos os outros grupos.
Alguns dos presentes disseram que o Coral torna a vivência cristã mais agradável e encantadora.
8. Sobre as Procissões da Quaresma/Semana Santa, os responsáveis presentes disseram que está tudo encaminhado,  que a semana que vem (2-9 de abril) vai ser de enorme luta, que se espera a participação ativa da comunidade. Estas procissões envolvem muita gente - andores, alfaias, figurantes... muita gente! Espera-se ainda das pessoas uma postura condigna, tanto dos que participam como dos que estarão a observar.
8. Em relação ao Apostolado da Oração, disse-se que há cada vez menos gente, menos interesse e adesão.
9. Sobre o Centro Paroquial, um elemento do Conselho Económico presente disse que a obra está quase terminada (faltam as grades e o som), falou de natural satisfação e referiu que  não foi preciso recorrer ao financiamento externo, graças as pessoas e entidades que ajudaram. Adiantou outras intervenção que é preciso fazer: restauro interior da Igreja Matriz, Santa Helena, Casa Paroquial, capela do Castanheiro...
10. Os representantes dos povos sublinharam:
- Em  Quintela, Vila Pouca e Ponte das Tábuas há cada vez menos gente e estão sem jovens.
- Em Teixelo, as recentes obras da capela contaram com a intervenção da representante deste povo no Conselho Pastoral no sentido da mobilização e adesão das pessoas cuja recetividade merece ser assinalada.
- Em Esporões o peditório para as Procissões correu dentro da normalidade e falou-se da simpatia daquele povo.
- Também em Arguedeira as coisas correm normalmente e já foi feito o peditório para as Procissões.
- No Castanheiro do Ouro, onde o número dos praticantes é baixo, há muitas casas mas bastantes estão vazias, normalmente devido à emigração. Dada a multifacetada origem das pessoas que aí vivem, há diversas maneiras de encarar e estar na Visita Pascal, o que não deixa de ser interessante.
11. Ficou decidida a organização dos gírios pascais.
12. De 15 a 30 de abril, as pessoas que pretendam participar na Peregrinação Diocesana a Fátima, em 17 de junho, devem escrever-se e pagar a passagem junto do seu representante no Conselho Pastoral.
13. Foi aprovado o tema para a mensagem a levar às famílias non próximo dia de Páscoa. Ficou uma equipa responsável pela redação da citada mensagem.
14. Em relação à utilização do Centro Paroquial, foi dito que era muito mais importante que fosse requisitado o palco do que a cozinha. Isto é,  mais do que jantares, precisamos de cultura, formação, atividades lúdico-formativas. Cabe à criatividade da sociedade pensar e realizar tais ações em vez de esperar que sejam sempre os outros a fazê-lo. O Pároco informou ainda que não se podia criar a ideia de que ele tinha que estar sempre presente fosse qual fosse a ação a realizar, pois isso é impossível. Quando houver qualquer ação para que a Paróquia seja convidada, alguém do Conselho Económico ou Pastoral pode representá-la.
15. Para problemas novos, respostas novas. Hoje os "avisos" na Missa já não têm impacto que tinham noutro tempo. Também o Facebook não dá garantias. Logo o melhor processo de criar adesão é o contacto pessoal, pessoa a pessoa.
16. Na próxima reunião o Conselho Económico pronunciar-se-á sobre uma ideia surgida neste encontro: a realização de uma passagem-de-ano no Centro Paroquial. É um assunto complexo, pelo que merecerá a melhor auscultação e reflexão dos conselheiros.
17. Por iniciativa de um grupinho de pessoas, as ruas onde vai passar a Procissão do Corpo de Deus vão ser embelezadas, esperando-se a colaboração da população.
18. Foi referido o Sábado de Ramos como um dia da maior importância na vida da comunidade. É o JUBILEU! Oportunidade de saborear, acolher e agradecer a misericórdia de Deus que perdoa sempre. Então, apóstolos do perdão de Deus!

Sem comentários:

Enviar um comentário