sexta-feira, 14 de julho de 2017

16 Julho 2017 – 15º Domingo do Tempo Comum – Ano A


Leituras: aqui
 
A Liturgia desse domingo convida-nos  a refletir  sobre a importância da PALAVRA DE DEUS e 
exorta-nos a ser uma "terra boa" que acolha a Palavra e produza frutos abundantes na vida de cada dia.
  
Na 1ª Leitura, o Profeta compara a Palavra de Deus à CHUVA. "Não voltará, sem ter cumprido a sua missão". (Is 55,10-11) 
* Ao Povo no exílio, já cansado e desiludido por não voltar à sua terra, o profeta anuncia que Deus é sempre fiel às suas promessas.
Sua Palavra é como a chuva e a neve: caem do céu e não voltam sem terem produzido o efeito.
Deus não esquece o seu povo, sua Palavra nunca falha.  
 
Na 2ª Leitura, Paulo ensina que o tempo da semeadura sempre é difícil, sofre-se com a dor e a espera, mas não se trata de um grito de morte, e sim do início de uma nova vida que vem chegando. (Rm 8,18-23)
 
No Evangelho, com a Parábola da SEMENTE e do SEMEADOR, vemos que o fruto da Palavra de Deus depende da qualidade da terra. (Mt 13,1-23) 
Com essa parábola, Mateus inicia o 3º Discurso de Cristo, composto de sete Parábolas do REINO, que escutaremos nos próximos 3 domingos.  
"O Semeador saiu a semear... a semente". Parte caiu:  
- no caminho... os pássaros vieram e as comeram...
  - no terreno pedregoso: brotou e logo secou.
  - no meio dos espinhos: os espinhos cresceram e sufocaram-na...
  - na terra boa: produziu 30, 60, 100 por um...
 
Jesus estava a encontrar dificuldade na aceitação de sua Palavra.
- Havia gente que não acreditava...
- Havia gente que embora simpatizasse com Jesus, logo desistia de segui-lo.
- Havia gente que via a mensagem de Jesus como uma ameaça: devia mudar de vida, afastar-se do poder, largar as riquezas...   Por isso, hostilizava e tramava a morte do próprio Jesus.
- No fim ficavam só alguns discípulos.
   Até eles tinham as suas dúvidas...
   Será que a palavra de Jesus estava a tornar-se ineficaz, sem força?
 
JESUS responde com a Parábola:
Apesar dos obstáculos, a semente não perde a sua força. Deus lança a sua semente em todas as direções, não recusa:
- nem aos pecadores endurecidos;
- nem às pessoas superficiais;
- nem às pessoas imersas nas preocupações do mundo (prazeres, negócios)...
  O Homem pode fechar-se à Palavra de Deus, rejeitá-la, mas sempre haverá terreno onde produzirá 30, 60, 100...
* O acolhimento do evangelho não depende nem da Semente, nem do Semeador,
   mas da QUALIDADE DA TERRA.
+ Diante da Palavra de Deus, há 4 TIPOS DE OUVINTES  que existiam naquele tempo e que continuam a existir hoje: 
- Há aqueles que têm um coração duro como a terra pisada de uma estrada: não permitem que a semente da Palavra de Deus penetre em seu coração.
E Satanás encarrega-se  de eliminar os grãos caídos que sobraram no chão. 
- Vem em seguida o coração inconstante, que se entusiasma com facilidade, mas depois desanima rapidamente diante das primeiras dificuldades. A Palavra de Jesus não pode criar aí raízes profundas.   
- Há os que têm um coração materialista. São até "muito religiosos", mas dão prioridade à riqueza e aos bens deste mundo. Essas preocupações são como espinheiros que sufocam a semente da Palavra. 
- Há também os que têm um coração aberto e disponível. Neles, a Palavra de Jesus é acolhida e dá muito fruto.
 
+ A Parábola  propõe-nos TRÊS PERGUNTAS: 
1. Que terreno somos nós ?
Muitas vezes questionamos o PREGADOR ("Semeador") da Palavra de Deus: "Foi comprido, foi repetitivo... foi pesado..."
Qual tal questionar também a nossa atitude de OUVINTES?  
2. Que semeadores somos nós?
- Cuidamos do nosso terreno, retiramos as pedras e espinhos que atrapalham? Procuramos aprimorar a semente que usamos, ou já tem validade vencida, porque não estudamos, não nos informamos, não nos atualizamos? (Na catequese, liturgia, canto, escola, família...) 
3. Vale a Pena semear?
A parábola de Jesus é uma Parábola de ESPERANÇA: Jesus é o Semeador, e nós também o somos, junto com ele...
Ele semeia em todos os terrenos, mesmo nos inférteis.
E algumas sementes acabam germinando...
O importante é semear o grão da esperança.
Semear o sorriso para que resplandeça ao redor de nós.
Semear as nossas energias para enfrentar as batalhas da vida.
Semear nossa coragem para reerguer a coragem do outro.
Semear o nosso entusiasmo, a nossa fé, o nosso amor... 
O Evangelho de hoje  garante-nos, que apesar do aparente fracasso, o sucesso do "Reino" está garantido; e o resultado final será algo  surpreendente e  maravilhoso.
Deus  garante-nos: "A palavra de Deus não voltará sem produzir o seu fruto"
 
            Põe a semente na terra, não será em vão.
 Não te preocupe a colheita, plantas para o irmão..." (Canto)                                            
                                   Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa - 16.07.2017

Sem comentários:

Enviar um comentário