domingo, 23 de junho de 2013

O ANO CATEQUÉTICO EM ANÁLISE



Na tarde deste dia 23 de Junho, os catequistas da Paróquia de S. Pedro de Tarouca reuniram-se em Santa Helena para momentos de oração, partilha e convívio.
A refeição, totalmente a expensas dos catequistas, foi confecionada por estes na Serra, mas a sobremesa foi levada pelos mesmos de casa. Decorreu em franco clima de amizade e alegria.
Após uma passagem pelo bar para o cafezito da praxe, começou a reunião que visou a análise do ano catequético que findou e a projeção do próximo.

ASPETOS POSITIVOS
- O projeto catequético foi cumprido com qualidade.
- As festas da catequese ( Pai Nosso, Crisma, 1ª Comunhão e Profissão de Fé...) correram muito bem. Foi relevado o empenho dos catequistas, a adesão dos catequizandos e a contribuição dos pais.
- A festa anual da catequese, que teve lugar no Auditório Municipal, esteve à altura do habitual e foi uma forma eloquente da levar a Igreja para fora das igrejas. O tema desta festa - a FÉ BÍBLICA -, inserido no Ano da Fé, teve unidade e sequência.
- Os catequistas desta comunidade estiveram muito bem no Encontro Diocesano de Catequistas, assumindo com humildade e verdade a realidade catequética que somos.
- Foi realçado o contributo que os catequizandos deram para a vivência da caminhada quaresmal (dinamização das Eucaristias e presença em povos da paróquia durante o Lausperene).
- Igualmente foi realçada a importância para crianças e idosos da participação dos primeiros numa Missa mensal no Lar.
- Salientou-se que a comunidade deu conta da presença do Adriano entre nós. E isso diz tudo. Também o Diácono frisou que se sentiu plenamente acolhido pelos grupos da catequese.
- Sublinhou-se a importância da Escola da Fé para a atualização e aprofundamento da fé dos catequistas.
- A Fé - estamos no Ano da Fé - foi uma vertente sempre presente nas sessões de catequese.
- A participação do 6º ano na Peregrinação das Crianças a Fátima foi um êxito, ao ponto de os que foram estarem agora a pedir que os deixem participar na próxima.
- Frisou-se o amor a Cristo e à Igreja com que os catequistas se dedicam à sua missão.
- Foi muito importante a solicitação feita aos crismandos para estes se inseriram em grupos paroquiais durante o ano. Resultou. É para continuar.
- Há mais pais na Eucaristia desde que se instituiu a Missa com Crianças.

DESAFIOS
- O Grupo de Catequistas deve acolher com alegria quem chega ao grupo, independentemente de quem vem.
- É preciso alargar o grupo de catequistas. O convite pessoal é hoje muito mais convincente. É preciso estra-se atento, sabendo discernir.
- A Eucaristia é o centro de toda a catequese. Precisamos de convicção para ajudar os catequizandos a descobrir o grande mistério que é a Missa.
- A Escola da Fé é um meio indispensável para aprofundarmos a fé.
- É preciso trazer os pais para os envolver mais na dinâmica da catequese paroquial. Os encontros pessoais catequistas/pais e pais/catequistas são hoje de enorme alcance. Além disto, cada catequista pode e deve marcar reuniões com os pais dos seus catequizandos sempre que o ache oportuno.
- Houve dois temas mais polémicos porque mais complexos: os testes finais e as faltas.
Os testes, porque são novidade na dinâmica da catequese paroquial, geram naturais desconfianças e algumas resistências.
A partir do próximo ano, os testes serão um dos elementos a ter em conta na progressão dos alunos. Sublinha-se: um dos elementos, não o elemento decisivo. Durante o ano catequético, os catequistas devem elaborar para os seus catequizandos testes sobre os conteúdos lecionados, ficando para o fim do ano catequético o teste final. Não podemos correr com a exigência das sessões de catequese. A catequese não é um passatempo! Além disto, a preparação, execução e correção dos testes são momentos privilegiados de aprendizagem.
Quanto às faltas, no princípio do ano, o grupo de catequistas estabelecerá orientações claras  sobre este assunto. Também aqui é preciso conjugar rigor com bom senso. O acolhimento a todos tem que ser conjugado com a justiça e a necessidade de caminhar. Que caminhada na fé faz um catequizando que aparece 3 ou 4 vezes na catequese? Será que deve transitar de ano???
- Refletiu-se sobre a importância de integrar mais os pais na Eucaristia com Crianças: leituras, coral, etc. Além do bem que daí adviria para os pais, o testemunho para os filhos seria marcante. Vamos repensar bem este projeto.
- Foi pedido ao pároco que, tal como no ano passado, elaborasse o guião para ser levado à cena na próxima festa anual da catequese.

Após a reunião, os catequistas reuniram-se na capela para um momento de oração e reflexão. Seguiu-se o lanche e o regresso a casa. Foi uma tarde em cheio. Alegria, convívio, trabalho e oração.
Sublinhe-se o gesto bonito dos catequistas para com o Adriano. Na prenda que lhe ofereceram, está a estima, o carinho e a confiança que depositam nele como amigo e futuro padre (será ordenado sacerdote em 30 de junho, pelas 15.3o horas, na Sé de Lamego).
Também a Coordenadora da Catequese (D. Alda) quis oferecer uma lembrança a cada catequista, manifestando assim o seu contentamento pelo trabalho desenvolvido.
Parabéns, catequistas! Sois fantásticos!
Convosco é possível mais e melhor. Cristo conta com cada um de vós.

Sem comentários:

Enviar um comentário