segunda-feira, 24 de junho de 2013

Austero, mas não austeritário



S. João Baptista, cujo nascimento hoje celebramos, era austero, mas não austeritário. Ou seja, vivia a austeridade na sua vida, mas não a impunha aos outros. Era exigente consigo, mas indulgente com os outros. É claro que denunciava os excessos e a ostentação. Pugnava pela sobriedade nas palavras e nos gestos. Eis uma diferença que importa anotar. Hoje em dia, não falta quem imponha a austeridade. Mas para os outros...

Este era um homem de fibra,
um homem autêntico, honesto e bom.
 
Celebramos, hoje, o nascimento de João,
aquele que veio preparar os caminhos do Senhor.
 
Foi sempre corajoso, honesto e íntegro.
Não se deixou vergar. Não se deixou vender.
 
Foi igual a si próprio. Procurou ser fiel a Deus.
Não veio para dizer o que as pessoas gostavam de ouvir.
Veio para dizer o que as pessoas precisavam de escutar.
 
Obrigado, Senhor, pela coragem de João,
aquele que Te baptizou nas água do Jordão.
 
Obrigado, Senhor, por não ter vacilado nas horas difíceis
e por ter olhado sempre em frente, sem hesitar.
 
Obrigado, Senhor, por este homem sem calculismos.
Obrigado pela sua lição de vida:
«É preciso que Ele (Jesus) cresça e eu diminua»!
 
Obrigado também pela sua simplicidade e despojamento.
João não se vestia com grandes roupas nem se banqueteava em refeições opulentas.
 
Obrigado, Senhor, pela frugalidade de João.
Num tempo de tantos desperdícios, dá-nos a ousadia da partilha e da solidariedade.
 
Dá-nos, Senhor, a força para anunciar, com os lábios e com a vida,
que Tu és o Cordeiro que tira o pecado do mundo.
 
Que desapareçam os calculismos e as ambições.
Que em nós arda o vigor de João.
 
Que nós sejamos capazes de viver para Ti
como João viveu para Ti.
 
Que os nossos lábios Te anunciem
como os lábios de João Te anunciaram.
 
Que o nosso coração esteja voltado para Ti
como sempre esteve o coração de João.
 
Que nós sejamos capazes de Te mostrar a todos
como João Te mostrou.
 
Que nunca recuemos nas dificuldades
como João nunca recuou.
 
Que o nosso testemunho perdure até ao fim
como perdurou o testemunho de João.
 
Que nos demos inteiramente
como João se doou.
 
Obrigado, Senhor, pela vida deste grande homem.
Obrigado pela lição da sua vida.
 
Obrigado pela entrega total do seu ser.
Que os nossos lábios e que a nossa vida mostrem quem Tu és,
JESUS!
 
Fonte: aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário