domingo, 6 de abril de 2014

Reuniu o Conselho Pastoral


Lida e aprovada unanimemente a ata da reunião anterior, foi projetado no ecrã o tema do Plano Pastoral Paroquial - "Ser discípulo para fazer discípulos" - sobre o qual presidente da reunião fez uma pequena explanação. Seguidamente foram apresentadas as atividades desenvolvidas por cada grupo e pela comunidade no âmbito do referido Plano Pastoral. Passou-se então à análise das mesmas pelos presentes.
- O Conselho Pastoral não existe para se imiscuir na orgânica e funcionamento internos de cada grupo paroquial. Interessa-lhe o contributo organizado de cada grupo e de todos os grupos para a dinâmica pastoral paroquial. Coordena, não se imiscui.
- As Avalanches tiveram uma aceitação enorme por parte da população que apreciou a disponibilidade, gratuitidade e alegria dos jovens que realizaram esta tarefa. Uma boa maneira de ser discípulos para se tornarem apóstolos. Foi saboroso o abraço de Cristo que os jovens levaram às pessoas.
- Os jovens que têm colaborado nas Eucaristias quaresmais manifestaram brio, souberam estar e forame edificantes.
- Registou-se a presença de membros desta comunidade no Dia Diocesano. Pelo testemunho que deram sobre a vivência de 14 anos de Conselho Pastoral Paroquial, ofereceram às pessoas de outras paróquias um contributo sobre a importância de tal Conselho na vida das comunidades.
- A Festa da Catequese foi brilhante. Os catequizandos, como sempre, portaram-se lindamente. É sempre gratificante mostrar à paróquia o que se faz pelos e com os miúdos. Só não é positivo o facto de, a partir do meio da festa, muitos pais pegarem nos miúdos e abandonarem a sala, até pela frustração que acarreta para quem vai atuar em seguida.
- O Lausperene correu bem nos povos. Na Igreja Paroquial, Salientam-se os momentos bonitos que crianças e jovens viveram e ajudaram a viver. Mas é preciso despertar os povos de Tarouca e do Castanheiro do Ouro para a absoluta centralidade da Eucaristia... Falharam demais! É certo que o Castanheiro do Ouro é um povo de vários povos, pois muitas das pessoas que aí vivem continuam com uma forte ligação aos lugares de origem, também religiosamente.
- Os jovens desta comunidade têm tido um papel relevante e cativante nos encontros diocesanos em que têm participado. Na Paróquia, eles puderam sentir o carinho das pessoas quando cantaram "os reis". Aliás, este apreço da comunidade pelos seus jovens foi largamente frisado e enaltecido, tanto pelos pelos jovens presentes como pelos adultos. Espera-se que a juventude continue a caminhar, cada vez mais assumidamente, na unidade, na iniciativa, na confiança e na alegria.
- Foi positiva  e interpelante a presença dos jovens universitários "Missão País" que, no próximo ano, estarão de novo na Paróquia.
- Também os "Pequenos Cantores da Maia" cantaram e encantaram. Gostaríamos de os ter connosco durante a novena de Santa Helena, mas, em virtude de compromissos assumidos, não o podem fazer.
- Quanto à ação destinada aos Arautos da Alegria e seus pais: "Pais e Filhos: comunicando aprendem, aprendendo comunicam" foi sublinhada a reflexão que os jovens fizeram entre eles sobre esta temática que os ajudou a descobrir coisas novas.  Por outro lado, houve diálogo e reflexão útil. Como menos positivo, o facto de poucos pais estarem presentes. Talvez porque não estavam habituados a estes encontros... Talvez porque poderia ter havido mais empenho dos jovens em convencer ops pais... Talvez porque a proposta apresentada pudesse ser mais chamativa...Mas os que compareceram estiveram muito bem.  Há que repensar e organizar esta atividade de forma a envolver mais pessoas.
- Os acólitos solicitaram maior acompanhamento em ordem ao crescimento harmonioso do grupo.
- Falou-se da situação dos adolescentes face à catequese. Há-os que faltam muito, argumentando que fazem parte do Grupo de Jovens. Há-os que faltam imenso e depois se apresentam ao Crisma. Lembrou-se que a catequese é obrigarória do 1º ao 10º ano e que só podem integrar o Grupo de Jovens a partir dos 15 anos, sem que tal integração dispense o adolescente da catequese. A representante dos Jovens levará esta situação ao seu Grupo. Claro que situação bem diferente é a dos que têm 18, 19 e mais anos. Quando se inserem na vida da Igreja via Grupo de Jovens, é bom e devem ser acolhidos.
- A catequese da adolescência (12-16 anos) é um problema nacional e que preocupa  os responsáveis. Como tornar a catequese atrativa para esta idade? Como fazer da catequese uma caminhada na fé? Resolução? Estamos todos à procura, todos... E somos chamados a apresentar as nossas propostas.
- Quanto à vivência da Semana Santa, o Pároco apresentou uma proposta que foi aceite pelos presentes. Os representantes dos povos ou já resolveram ou se comprometeram a resolver o assunto relativo aos giros pascais que irão anunciar pelos casas a Ressurreição do Senhor. Os presentes optaram por pedir aos jovens que fossem eles a dirigir este ano a Mensagem à Paróquia que o Boletim Paroquial levará a cada casa no dia de Páscoa.
- Hoje a busca de novidade parece instalar-se em muitas comunidades paroquiais. Só que passa a novidade, passa a adesão. Precisamos de conjugar novidade com persistência. Novidade sem persistência é como um saco sem fundo...
- Como estamos na Quaresma e próximos da Comunhão Pascal da Paróquia, a reunião terminou com a recitação do Salmo 50.


Tríduo Pascal:
1.Quinta-feira Santa, Missa da Ceia do Senhor às 18 horas
2. Sexta-feira Santa, Via-Sacra orientada pelos jovens: 16 horas, partida para Santa Helena pelo caminho das Cruzes (Se chover, às 16h na Igreja).
3. Sábado Santo, Vigília Pascal às 23 horas.
4. Páscoa do Senhor.
-Procissão às 7 horas, seguida da Missa e ogo depois, inicia-se a Visita Pascal.
- Missa pelas 9.30h no Teixelo, seguida da Visita Pascal
- Missa no Lar às 11h
- Missa em Santa Helena às 17h
- Recolha das Cruzes na Casa Paroquial às 18h

Sem comentários:

Enviar um comentário