quinta-feira, 10 de abril de 2014

Papa diz «basta» ao tráfico de pessoas, um «crime contra a humanidade»

Francisco encontrou-se com participantes em congresso internacional promovido pela Santa Sé

O Papa defendeu hoje ser necessário dizer “basta” ao tráfico de pessoas, que considerou um “crime contra a humanidade”.
“O tráfico de seres humanos é uma chaga, uma chaga no corpo da humanidade contemporânea, uma chaga na carne de Cristo. É um crime contra a humanidade”, declarou, perante os participantes na segunda conferência internacional ‘Combating Human Trafficking: Church and Law Enforcement in partnership’, que decorre desde quarta-feira no Vaticano.
Segundo Francisco, este é “um encontro importante, mas também é um gesto da Igreja, das pessoas de boa vontade, que quer gritar ‘basta’!”.
A iniciativa tem lugar na Aula Magna da Academia Pontifícia das Ciências, com organização da Conferência Episcopal de Inglaterra e Gales, um ano após o primeiro encontro do género.
O Papa destacou a importância de reunir diversos especialistas para acompanhar as “estratégias e competências” de cada um com a “compaixão evangélica, a proximidade aos homens e mulheres que são vítimas deste crime”.
“Estão aqui reunidas autoridades policiais, empenhadas sobretudo em combater este triste fenómeno com os instrumentos e o rigor da lei, e operadores humanitários, cuja missão principal é oferecer acolhimento, calor humano e possibilidade de resgate das vítimas”, acrescentou.
Para Francisco, estas duas abordagens “podem e devem andar juntas”, por serem “complementares”.
“Encontros como estes são de grande utilidade, diria mesmo necessários”, concluiu, elogiando a presença de participantes de “tantas partes do mundo, para levar por diante um trabalho comum”.
O cardeal Vincent Gerard Nichols, arcebispo de Westminster, que preside aos trabalhos da conferência, disse à Rádio Vaticano que a colaboração entre religiosos e a Polícia Metropolitana de Londres no combate ao tráfico humano ganhou muita importância nos últimos anos, esperando que a experiência possa ser colocada em prática noutros países.
“Aquilo que a Igreja tem a oferecer é a melhor rede a nível mundial, que envolve em particular as religiosas”, precisou.
As estimativas mais recentes da Organização Internacional do Trabalho referem que o tráfico humano envolve 2,4 milhões de pessoas e montantes na ordem dos 32 mil milhões de dólares por ano.
Os promotores da conferência 'Combate ao Tráfico Humano: Igreja e forças da lei em parceria' pretendem “unir esforços para que a lei seja aplicada” de forma a ajudar à “construção de uma rede efetiva" que seja capaz de combater este crime.
A rede passa por uma “cooperação mais estreita” entre Igreja e polícia de forma a “facilitar as investigações conjuntas" e promover uma ação internacional mais coordenada que ajude a “livrar o mundo do flagelo do tráfico de seres humanos, a segunda fonte de riqueza criminosa mais rentável do planeta”.
No final dos trabalhos foi publicado um 'compromisso', com palavras do Papa Francisco, no qual se pede que "a comunidade internacional adopte uma estratégia ainda mais concertada e efetiva contra o tráfico de pessoas", para que os seres humanos "deixem de ser usados como meios para um fim" e se respeite "sempre a sua dignidade inviolável".
In agência ecclesia

Sem comentários:

Enviar um comentário