domingo, 3 de abril de 2016

Reunião de Ministros Extraordinários da Comunhão

 tarde do domingo, 3 de abril, reuniram os Ministros Extraordinários da Comunhão - MEC. Alguns não puderam marcar presença ou por doença ou por motivos pessoais.
Depois da oração inicial, referiu-se, segundo a doutrina da Igreja, os requisitos para o exercício deste serviço.
Em seguida, falou-se das funções dos Ministros Extraordinários da Comunhão:
- Distribuição da comunhão na missa: o MEC pode distribuir a comunhão durante a Missa quando o número de fiéis for de tal ordem que atrase excessivamente a celebração, quando não haja outros sacerdotes e também falte o diácono ou o acólito, ou então quando os mesmos estejam impedidos por causa de outro ministério de carácter pastoral, por doença ou por idade avançada. O ofício deve ser exercido antes de mais pelo ministro Ordinário. É só perante a ausência daquele, Ministros Extraordinários da Comunhão por indisponibilidade ou por falta de quantidade suficiente, é que se recorre ao ministro extraordinário;  
-
Distribuição da comunhão fora da missa, aos doentes ou outras pessoas que com razão o solicitem. A relação da comunhão com o sacrifício eucarístico e com a comunidade transparece em toda a sua evidência se houver a preocupação de levar a eucaristia aos doentes, sobretudo nos dias festivos e em continuidade com a Missa, como prolongamento da celebração que vê reunida a Igreja;  
-
Exposição do Santíssimo Sacramento para adoração dos fiéis (mas não a bênção).

 
Teve lugar então uma frutuosa, franca e sentida troca de impressões e experiências, onde se referiu:
- Cada MEC leva consigo a Igreja. Não atuamos em nosso nome, sentimo-nos enviados...
- Cultivemos o esmero no tratamento de tudo o que lida com a Santa Hóstia...
- Convém variar as leituras para não serem sempre as mesmas e para se poder oferecer ao visitado a riqueza da Palavra de Deus...
- A comunhão é para os doentes e para os impossibilitados de vir à Igreja...
- Se alguém precisar de se confessar, avisar, deve ser contactado o Pároco...
- O acolhimento aos doentes…. Muitos deles só têm os Ministros Extraordinários da Comunhão  para serem ouvidos…
- Procurar criar nas casas um ambiente digno de Nosso Senhor...
- Se algum MEC se aperceber de qualquer urgência, fazer chegá-la a quem de direito...
- Mentalize-se o MEC para ir alegre, bem disposto… porque leva o Corpo do Senhor consigo
- Quando for distribuído na Igreja o Boletim ou qualquer pagela, sejam levados a cada doente
Em 16 de abril, vigília vocacional às 21h. Vamos estar presentes e convidar outros…
 
OPINIÕES
Do testemunhos dos presentes, respigamos algumas frases:
- "Sinto satisfação pelo serviço que desempenho".
- "É um serviço que me dá muita alegria e me faz sentir muito bem."
- "É uma experiência encantadora, comovente e feliz. Mexe comigo."
- "É algo de espetacular, ótimo, levar o Senhor nas nossas frágeis mãos aos irmãos que sofrem."
- "A gente já inclui os doentes nas nossas vidas. Pensa neles, reza por eles, sente com eles."
- "É uma forma belíssima de apostolado. A gente deve ser apóstolo em todo o lado."
- "Os doentes  precisam muito da nossa atenção. E, carinhosamente,  a alguns temos de os fazer entender que há outros que também precisam e que o tempo não estica."
- "A gente já se sente família dos doentes que visitamos."
 
Por fim, na oração final, apresentamos ao Senhor os MECs doentes e seus familiares; nossos doentes e velhinhos visitados; o pedido de Sua ajuda para sermos instrumentos do Seu amor +para com todos.

ORAÇÃO DO MINISTRO EXTRAORDINÁRIO DA COMUNHÃO
  
Senhor Jesus, tu me deste a graça de ser ministro e servo de teu Corpo abençoado. Quantas vezes levo o calor de tua  visita  aos doentes  da  minha  comunidade  e distribuo  teu  Corpo aos homens e mulheres famintos na hora da celebração da missa.
     
Tenho  muita alegria   em  ser  teu  servidor  e poder  encontrar  pessoas  simples  e pobres,  doentes  e idosas esperando a visita reconfortadora  de teu amor.
 
Que eu seja digno servidor,  que  eu  possa  ter sempre  na minha  vida esta atitude de serviço e   de dom que transpareceram  tão  belamente em  tua  trajetória  humana.   Hoje  ainda,  na  glória,  no  mistério  do sinal do Pão, tu te entregas aos homens e te serves de minhas mãos e de minha vida para fazer-te oferenda.

Sem comentários:

Enviar um comentário