quinta-feira, 7 de abril de 2016

10/04/2016 - 03º Domingo do Tempo Pascal - Ano C

Leituras:aqui

video


Como é o Corpo Glorioso de Jesus?
Jesus não voltou à vida que tinha antes, à vida terrena, mas entrou na vida gloriosa de Deus e fê-lo com a nossa humanidade, abrindo-nos um futuro de esperança.
 
Baseada na Bíblia, a Igreja ensina que o corpo glorioso, além da imortalidade, possuirá os dons (ou dotes) da impassibilidade, da claridade, da agilidade e da subtileza.


 
A imortalidade não será exclusiva do corpo glorioso, mas será extensiva aos maus no inferno, conforme o Apocalipse: "Enxugará toda lágrima de seus olhos e já não haverá morte, nem luto, nem grito, nem dor, porque passou a primeira condição." (Apoc. 21,4), e também " O último inimigo a derrotar será a morte, porque Deus sujeitou tudo debaixo dos seus pés." (I. Cor. 15,26). " Os que fizeram o bem vão ressuscitar para a vida eterna; os que praticaram o mal vão ressuscitar para a condenação." (Jo 5, 299
 
A impassibilidade é o dote que impede que o corpo sinta qualquer dor, sofrimento ou incómodo. Pois diz São Paulo: "semeia-se o corpo na corrupção, ressurgirá na incorruptibilidade." (I Cor. 15,42)
 
A claridade é o dom que tornará os corpos brilhantes como o sol, pois diz o evangelista: "os justos resplandecerão como o sol, no Reino de seu Pai." (S. Mateus, 13,43). Cristo antecipou-nos a visão desse dom na Transfiguração. Diferentemente da impassibilidade, igual para todos, com a claridade os corpos brilharão em diferentes graus, proporcionalmente ao mérito de cada um.
 
Já a agilidade é uma libertação das leis físicas, particularmente a lei da gravidade, pois "semeia-se [o corpo] na fraqueza, ressurgirá na força." (I Cor. 15,43)
Por isso, Jesus ressuscitado, aparece às testemunhas estando tudo fechado. E desaparece do mesmo modo.
 
Por fim, a subtilidade será a completa sujeição do corpo ao império da alma, executando suas ordens prontamente. Pois "semeia-se um corpo animal, ressuscitará um corpo espiritual." (I Cor. 15,44)
 
Sendo assim um Corpo Glorioso, não admira nada que as testemunhas tenham ao início bastante dificuldade em  reconhecer o Ressuscitado e precisem de fazer a experiência da sua presença. Mostra as marcas das feridas, come com eles, dá-se a conhecer pela voz...

Sem comentários:

Enviar um comentário