segunda-feira, 18 de maio de 2015

TOMADA DE POSSE DOS NOVOS CORPOS SOCIAIS DA SANTA CADA DA MISERICÓRDIA DE TAROUCA



Na tarde do dia 18 de maio, numa cerimónia realizada na Capela da Santa Casa (junto à Igreja Matriz), tomaram posse a Assembleia Geral, a Mesa e o Conselho Fiscal.

UTENTES? NÃO. HÓSPEDES!
Depois do Presidente da Assembleia Geral cessante ter usado da palavra, salientando a obra realizada e o legado deixado, falou o Provedor cessante. Lucílio Teixeira, visivelmente emocionado, elogiou o trabalho realizado pelas várias pessoas que fizeram parte dos sucessivos mandatos que integrou, salientou o trabalho colaborante e dedicado dos funcionários e historiou em pinceladas fortes a obra realizada ao longo dos 38 anos em que presidiu aos destinos da Misericórdia.
Após o compromisso solene prestado pelos novos eleitos, usou da palavra o novo Provedor, Rui Raimundo.
No estilo sóbrio, direto e franco que o carateriza, o novo Provedor  falou da atenção que a instituição tem de prestar aos novos pobres, os que têm vergonha de dizer que precisam. Apresentou uma forma colegial de dirigir a instituição onde cada eleito  exerça decididamente a sua função, sem que isso lhe retire a primeira responsabilidade. Disse que quer uma Santa Casa onde cada utente se sinta hóspede pela qualidade dos serviços prestados e pelo acolhimento e acompanhamento humanos dos que lá trabalham. Pediu ainda aos colaboradores e voluntários que coloquem alegria no trabalho, deixando os seus legítimos problemas familiares ou pessoais em casa.
O novo Presidente da Assembleia Geral, Eduardo Almeida, lembrou o carinho histórico que a Santa Casa recebe do concelho, centrando-se nos cortejos de oferendas que antigamente se faziam para a Misericórdia. Acontecimentos solidários e culturais, dado que cada terra trazia os seus ranchos e as suas músicas. Salientou ainda, a partir da sua experiência profissional, que há crianças  que, as únicas refeições que têm, são as que a escola lhes dá, relacionando tal facto coma crise e o desmembramento das famílias. A separação dos pais tem como vítimas os filhos que o manifestam no comportamento e noutras posturas. Por tudo isto, apostou numa Santa Casa aberta a quem precisa. As pessoas estão antes das obras...
Nesta mesma linha se pronunciou o Diretor da Segurança Social de Viseu que falou de intervenção Governo- IPSSs visando aliviar situações sociais de carência, com menos custos.
Valdemar Pereira, Presidente da Câmara, manifestou a disponibilidade da autarquia para colaborar franca e solidariamente com a Santa Casa para serem ultrapassadas as dificuldades sociais da população.

A GRATIDÃO
Todos os oradores quiseram explicitamente manifestar a gratidão pelo trabalho realizado pelas anteriores direções da Santa Casa. Especial ênfase foi posta no trabalho realizado pelo anterior Provedor, Lucílio Teixeira, pela notável obra realizada em prol da Santa Casa. Graças ao seu trabalho, a instituição expandiu-se imenso e, no dizer do representante da União das Santas Casas do distrito de Viseu, a Misericórdia de Tarouca é hoje aquela que mais variedade de serviços sociais oferece à população.
As palmas prolongadas que várias vezes ecoaram no local indicam bem o apreço das pessoas pela obra realizada.
Os homens passam, mas a obra fica como testemunho do valor das pessoas que a erigiram.

Sem comentários:

Enviar um comentário