domingo, 19 de abril de 2015

Uma das maiores tragédias no Mediterrâneo: mais de 700 imigrantes ilegais terão morrido

Uma das maiores tragédias no Mediterrâneo: mais de 700 imigrantes ilegais terão morrido
Veja aqui
Mar Mediterrâneo, quando deixarás tu de ser um cemitério ávido de vidas  inocentes?  Quando te cansarás de tragar os corpos dos pobres? Pareces que lhe ganhaste o vício. Praticamente não há semana nenhuma em que não surja a notícia de mais uns imigrantes ilegais que engoliste.
Não basta a essa gente a pobreza, a exploração, a guerra? Ainda te atrevas a tirar-lhe a vida? Mas para ti os pobres são carne para canhão?
Já foste o nosso mar. Ao longo dos tempos, aproximaste povos, divulgaste saberes, entrelaçaste culturas, partilhaste riqueza, fomentaste o progresso...
Cansaste-te? Envelheceste no mal? Tornaste-te antropófago?  Queres descarregar nos pobres a tua fúria provocada pela poluição que te esgana o garganete?
Não, caro Mediterrâneo, não te estou a conhecer.
Sabes? Tenho saudades de quando eras o Mare Nostrum (o nosso mar). Magoa-me que  estejas a descambar para cemitério de pobres e aflitos.
Sonho com o dia em que os poderosos deste mundo te metam nos eixos, reconduzindo-te ao bom caminho.
Sonho com o dia em que a comunicação social dê o mesmo impacto a um emigrante que tu engulas como dá à perda da vida de uma personagem importante da arte, do desporto ou da política.
Sonho com o dia em que os grandes deste mundo se recusem a vender armas que matam nos países pobres.
Sonho com o dia em que os fanáticos que matam invocando o nome santíssimo de Deus corem de vergonha só  com a possibilidade de tal ideia  lhes vir à mente.
Sonho com o dia em que o mundo seja uma mesa universal onde todos têm lugar marcado. Já enoja este refeitório mundial em que alguns ocupam lautamente as mesas, deixando as migalhas para a maioria.
Até lá, caro Mediterrâneo, peço-te que serenes e poupes a vida dos pobres que são o tesouro de Deus.

Sem comentários:

Enviar um comentário