quarta-feira, 4 de março de 2015

8 de março: III DOMINGO DA QUARESMA - Ano B


Leituras:aqui

 Surgirá um novo templo, não construído de pedras e por mãos humanas, mas o "lugar da Presença" viva de Deus: JESUS CRISTO.

Passamos do templo de pedra ao Templo sonhado pelos profetas,  para chegar ao Senhor ressuscitado, o templo verdadeiro  em quem Deus manifesta a sua glória em favor de todos os homens.
video

3º Domingo da Quaresma (8 de março)
Símbolo da Quaresma: Um coração sobre a Cruz, com estas palavras dentro: Chamados a ser família segundo o coração  de Deus
Símbolo do 3º domingo: uma pedra
 Momento de intervenção: Antes da confissão
1º Leitor: Diz o Salmo desta Eucaristia : “Os mandamentos do Senhor são claros e iluminam os olhos

2º Leitor: Sim e a 1ª Leitura aponta-nos os mandamentos. Já repararam que, dos 10 mandamentos, 7 referem-se a nós mesmos e ao próximo?

3º Leitor: Exatamente. Vamos recordá-los:

Todos:  Honra pai e mãe.
Não matarás.
Não cometerás adultério.
Não furtarás.
Não levantarás falso testemunho contra o teu próximo.
Não cobiçarás a casa do teu próximo.
Não desejarás a mulher do teu próximo,
nem coisa alguma que lhe pertença».

4º Leitor: No Evangelho, Jesus realiza a purificação do Templo de Jerusalém, para que a Casa de Deus não seja local de comércio, mas se torne casa de oração para todos os povos.

5º Leitor: Ora o templo de Deus somos nós. Nós somos as pedras vivas do templo do Senhor. Pelo batismo, somos membros do Corpo de Cristo do qual Ele é a Cabeça.

6ª Leitor: Como vivemos como povo de Deus? Como são as relações entre nós como pedras vivas? Que imagem damos do Corpo de Cristo para o mundo?

Todos: Nós somos as pedras vivas do templo do Senhor. Pelo batismo, somos membros do Corpo de Cristo do qual Ele é a Cabeça.

7º Leitor: Na mensagem para a Quaresma 2015, o Papa Francisco apresenta a Encarnacão do Verbo como centro da história da Salvação, fundamento do cristianismo e sentido da Igreja. A Encarnacão aparece em oposição à indiferença, e mais ainda à clamada globalização da indiferença.

2º Leitor: Encarnação! O Filho de Deus fez-Se carne da nossa carne; veio até nós. Fez-se em tudo igual a nós menos no pecado.

3º Leitor: A Encarnação vem humanizar uma sociedade desumanizada: Deus não nos olha com indiferença. Pelo contrário, tem a peito cada um de nós, conhece-nos pelo nome, cuida de nós e vai à nossa  procura, quando O deixamos; cada um de nós interessa a Deus. O Seu amor impede-o de ser indiferente àquilo que nos acontece; Deus Pai nunca se esquece de nós nem é indiferente ao mundo até ao ponto de dar o Seu Filho pela salvação de cada homem; na Encarnação do Verbo, abre-se definitivamente a porta entre Deus e o homem.

4º Leitor: A Encarnacão aparece em oposição à indiferença. Mas quais são as características da globalização da indiferença, segundo o Papa?

5º Leitor: Esquecemo-nos  dos outros; não nos  interessam os seus problemas, nem as tribulações  e injustiças que sofrem; experimentamos uma atitude egoísta e um mal-estar global; fecham-nos em nós mesmos; há dureza de coração e vivência do ódio.

 6º Leitor: E nas nossas famílias quem é que manda? A Encarnação do Verbo ou a indiferença?
7º Leitor: É belo e nobre o desafio desta quaresma a cada família: vivermos conforme a Encarnação do Verbo. Assim como em Jesus, Deus se faz próximo e amigo de cada pessoa, assim também na família cada membro da mesma se deve fazer próximo e amigo dos outros membros da família. 
Todos: FAMÍLIA: CHAMADOS A VIVER COM MAIS AMOR 
1º Leitor: Como já sabemos, o SÍMBOLO da nossa caminhada quaresmal é um coração colocado na cruz.Vamos acrescentar hoje uma pedra. Significando a nossa realidade batismal, pois o batismo faz de nós pedras vivas do templo do Senhor. 
2º Leitor: Mas uma pedra significa também a dureza do nosso coração que se fecha a Deus e aos irmãos. Significa ainda a indiferença com que lidamos uns com os outros, o egoísmo das nossas vidas que se fecham. 
3º Leitor: Senhor, que sejamos pedras vivas! Que na família, na paróquia e na sociedade, sejamos como Tu: atentos e generosos para com as necessidades dos irmãos.

Sem comentários:

Enviar um comentário