quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

1 de março: 2º Domingo da Quaresma - Ano B

Leituras:aqui
video
2º Domingo da Quaresma (1 de março) 
Símbolo da Quaresma: Um coração sobre a Cruz, com estas palavras dentro: Chamados a ser família segundo o coração  de Deus 
Símbolo do 2º domingo: colocar uma vela acesa ao pé da cruz
 Momento de intervenção:pós-homilia

1º Leitor: Na primeira leitura apresenta-se a figura de Abraão como modelo do crente que percebe o projeto de Deus e o segue de todo o coração

2º Leitor: Abraão é o homem de fé, que vive numa constante escuta de Deus, que aceita os apelos de Deus e que lhes responde com a obediência total, mesmo quando os planos de Deus parecem ir contra os seus sonhos e projetos pessoais.

3º Leitor: O comportamento de Abraão revela, antes de mais, o lugar absolutamente central que Deus ocupa na sua existência. Deus é, para Abraão, o valor máximo, a prioridade fundamental.

4º Leitor: Na vida do homem do nosso tempo, nem sempre Deus ocupa o lugar central que Lhe é devido. Com frequência, o dinheiro, o poder, a carreira profissional, o reconhecimento social, o sucesso, ocupam o lugar de Deus e condicionam as nossas opções, os nossos interesses, os valores que nos orientam.

5º Leitor: Abraão convida-nos, nesta Quaresma, a rever as nossas prioridades e a dar a Deus o lugar que Ele merece.

6ª Leitor: Na sua relação com Deus, o crente Abraão manifesta uma vasta gama de “qualidades” – a reverência, o respeito, a humildade, a disponibilidade, a obediência, a confiança, o amor, a fé – que o definem como o crente “ideal”, o modelo para os crentes de todas as épocas.

7º Leitor: Neste tempo de preparação para a Páscoa, são estas “qualidades” que nos são propostas também. É preciso que realizemos um caminho de conversão que nos torne cada vez mais atentos e disponíveis para darmos a Deus a reverência, o respeito, a humildade, a disponibilidade, a obediência, a confiança, o amor, a fé.

Todos: Aqui estamos, Senhor, para Te escutar, Te aceitar e Te obedecer!

2º Leitor: Na segunda leitura, São Paulo afirma que Deus nos ama com um amor profundo, total, radical, que nada nem ninguém consegue apagar ou eliminar.

3º Leitor: Nos momentos de crise, de desilusão, de perseguição, de orfandade, quando parece que todo o mundo está contra nós e que não entende a nossa luta e o nosso compromisso, a Palavra de Deus grita: “não tenhais medo; Deus ama-vos”. 
4º Leitor: Sim, que também as famílias, à luz da conversão quaresmal, sintam que são chamadas a viver um amor profundo, total, radical

5º Leitor: Porque Deus amou primeiro e cuida sempre de cada família. 
6º Leitor: Deus vem à procura de cada família quando esta deixa, para que a escuridão e a dor se transformem em vida e alegria. 
7º Leitor: É belo e nobre o desafio desta quaresma a cada família: converte-se a amar mais e mais .Todos: FAMÍLIA: CHAMADOS A VIVER COM MAIS AMOR 
2º Leitor: A questão fundamental expressa no episódio da transfiguração, que ouvimos no Evangelho, está na revelação de Jesus como o Filho amado de Deus, que vai concretizar o projeto salvador e libertador do Pai em favor dos homens através do dom da vida, da entrega total de Si próprio por amor. 
3º Leitor: Para muitos dos nossos irmãos, uma vida cheia não está no amor levado até às últimas consequências, até ao dom total da vida, mas sim na preocupação egoísta com os seus interesses pessoais, com o seu orgulho, com o seu pequeno mundo privado. 
4º Leitor: Sim, para muita gente do nosso tempo, uma vida cheia não está no serviço simples e humilde em favor dos irmãos (sobretudo dos mais débeis, dos mais marginalizados, dos mais infelizes), mas no assegurar para si próprio uma dose generosa de poder, de influência, de autoridade, de domínio, que dê a sensação de pertencer à categoria dos vencedores. 
5º Leitor: É verdade. Para muita gente, uma vida cheia não está numa vida vivida como dom, com humildade e simplicidade, mas numa vida feita um jogo complicado de conquista de honras, de glórias, de êxitos. 
6º Leitor: A transfiguração de Jesus grita-nos, do alto daquele monte: não desanimeis, pois a lógica de Deus não conduz ao fracasso, mas à ressurreição, à vida definitiva, à felicidade sem fim. 
Todos: A religião não é um ópio que nos adormece, mas um compromisso com Deus, que se faz compromisso de amor com o mundo e com os homens.
1º Leitor: Como já sabemos, o SÍMBOLO da nossa caminhada quaresmal é um coração colocado na cruz.Vamos acrescentar hoje uma vela acesa. Significando o desejo de, por amor, vivermos uma vida de entrega, de serviço aos outros. Como a vela se consome, assim nas famílias e nas comunidades,
como Jesus, sejamos capazes de pôr a nossa vida ao serviço dos irmãos.
 

Sem comentários:

Enviar um comentário