sábado, 25 de janeiro de 2014

Poema dedicado aos idosos




Na fim da Missa do Lar, hoje animada pelos catequizandos do 7º ano, foi declamado o seguinte poema.
Se a Primavera é linda, o Outono também tem os seus encantos. Jovens e idosos, juntos... Se um revivem a Primavera, outros sentem o Outono.
O Canto, a alegria, os gestos dos mais novos calam sempre fundo no coração dos idosos donde brotam sempre um 'obrigado' e um 'venham sempre'.
A fé que une, se enriquece e se partilha em gestos que aproximam. Jovens que dão as mãos aos idosos quando se reza o Pai Nosso, jovens que vão saudar os idosos no momento da paz, jovens que conduzem as cadeiras de rodas dos idosos no fim da Missa... A festa serena da fraternidade...

O tempo vai passando
e o sofrimento e as lágrimas
abrem caminhos ao passar
a que os homens chamam rugas.
Vossos olhos são pássaros
cujas asas cruzam os céus
sem caminhos...

Vós precisais da bengala
do nosso carinho e força.
Nós queremos a riqueza
da vossa experiência
que nenhum livro iguala.

Acreditai sempre no Amor!
Vejam nele a mais bela flor
mesmo que traga dor e solidão,
pois é na força do coração
que está o segredo da alegria
conjugando a noite com o dia.

Os anos passam sem nada poupar.
A frescura e o tempo não se podem reter;
mas há sempre lugar para receber.
Há sempre algo para encontrar
em contínua renovação.
Só é velho a valer,
quem mesmo o quiser ser.


Manuela Mourisca Martins

Sem comentários:

Enviar um comentário