domingo, 8 de julho de 2012

FESTA DE SANTA HELENA 2012







Depois da novena preparatória, realizou-se em 8 de Julho a Festa de Santa Helena da Cruz
Novena. Boa participação, espírito de fé. O pregador foi do agrado geral como provam os constantes pedidas que volte para o próximo ano. A simpatia, acolhimento e bondade do P.e José Fernando criaram um clima propício ao acolhimento da palavra vibrante que transmitia.
O tempo não ajudou durante os dias da novena. Frio e vento. Mas no dia da festa, fez-se sentir um tempo agradável, morno, sereno. Muita gente demandou a Serra, onde actualmente o espaço religioso está claramente demarcado do lugar da feira, graças ao empenho das sucessivas comissões. A Montanha encheu-se então de cor, movimento e agitação. A calma pacífica e serena foi aliada deste oito de Julho.
Muitos peregrinos rezaram e cumpriram promessas à volta da capela, uns a pé, alguns de joelhos. Dentro do templo, sempre bastante gente. Quantos segredos, desabafos de alma, hinos de gratidão, súplicas de ajuda não chegaram ao Pai do Céu pela intercessão de Santa Helena e da Senhora das Dores!
Durante toda a manhã, funcionou um serviço de confissões, graças à ajuda generosa dos sacerdotes. Houve muitas pessoas que de Santa Helena levaram o coração em paz e se reencontram com Deus graças ao Sacramento da Reconciliação.
Depois, ao sair da capela, quase todos traziam uma estampa das imagens aí veneradas. Na casa ao lado, enquanto as zeladoras acolheram os irmãos da Irmandade de Santa Helena que quiseram tratar de assuntos relacionados com a irmandade, noutro local, a comissão atendeu os visitantes que quiseram levar um recordação ou servir-se no bar.
Após a Eucaristia campal das 9.30 horas com que se encerrou a novena, começou a preparação para a Missa da Festa, altura em que se organizou a procissão da capela para o altar campal onde teve lugar a solene Eucaristia presidida pelo senhor Bispo, D. António Couto.
Depois realizou-se a procissão em que os olhares se centravam nos andores de Santa Helena e da Senhora das Dores.
Pelas 17 horas, teve lugar a Bênção do Santíssimo Sacramento, seguida da procissão do adeus, momento sempre tocante e que cala fundo no coração dos crentes.
Também pelo lugar da feira passou gente e gente em busca de compras mais acessíveis – a vida não está para brincadeiras – e para saciar o estômago. Neste tipo de festas, a feira é sempre motivo de apreensões. As disputas de locais, a febre de vender, e alguns excessos de bebida podem sempre ocasionar momentos de fricção. Felizmente tudo correu bem, graças à conjugação de esforços entre a comissão e GNR e à colaboração de feirantes e visitantes.
Muita gente, ao longo do ano, visita a nossa Serra, individualmente ou em excursões. Todos são bem-vindos e a todos queremos acolher com satisfação.


A gratidão é a memória do coração
Agradecemos ao Senhor Bispo a sua presença, a palavra de Pastor, a amizade demonstrada. Ao senhor Vigário Geral e aos senhores padres que estiveram presentes, dizemos obrigado pela comunhão sacerdotal demonstrada. Um bem-haja muito sentido ao Senhor P.e José Fernando, pregador da novena, pela maneira sábia como nos comunicou a Palavra de Deus, pela forma multo humana e cativante como soube estar entre nós e, sobretudo, pela fé vivida e sentida. Dizemos obrigado ao coral da novena e da festa, aos leitores, aos que recolheram as esmolas e atenderam os peregrinos, ao senhor Amândio que conduziu a carrinha no transporte de novenistas, aos dadores de flores, de comestíveis para a casa, de ofertas para a capela, a quem ofereceu trabalho, sempre precioso, a quem teve uma palavra de apoio e de incentivo. Um bem-haja às zeladoras da Irmandade de Santa Helena pela maneira disponível como atenderam e acolheram os irmãos; ao sacristão pela competência revelada; ; à cozinheira e seu marido pela maneira alegre e disponível como preparou as refeição, bem como ao grupo de senhoras que ajudaram nas refeições da festa; às pessoas que estacionaram na Serra, pois foram fantásticas, amigas, alegres e colaborantes; a todas as pessoas que participaram nas novenas, pela sua fé vivida, partilhada, edificante; a todos os peregrinos e romeiros que demandaram Santa Helena pela ocasião da Festa.
Aos senhores Presidentes da Câmara e da Junta dizemos também obrigado pela disponibilidade em apoiar sempre. Ambos, cada um a seu modo, mostraram total disponibilidade para ajudar, cada um no seu âmbito de acção. Um obrigado sentido e profundo a todos os elementos do Conselho Económico, suas esposas e filhos. O Conselho Económico é fantástico, não só pelo empenho que demonstra por este lugar, como pelo trabalho, dedicação e competência que oferece a Santa Helena, ao longo do ano, pois na maior parte dos domingos a capela e o bar estão abertos e vários outros trabalhos são realizados. Na Festa, então, dão o litro para que tudo corra bem. Muito obrigado!
Informações
Neste mês de Julho, não haverá a Missa da Irmandade no 3º domingo, pois a mesma foi celebrada na Festa. Em Agosto, a Missa em Santa Helena será no 2º domingo pelas 17 horas.
Durante os outros meses do ano, em cada 3º domingo, a Missa será às 17 horas durante a hora de Verão e às 16 horas durante a hora de Inverno.
De Novembro a Março, o Bar só abrirá nos terceiros domingos. Nos restantes meses, em cada domingo.
Qualquer assunto sobre Santa Helena, comunicar com o senhor Jaime Vitorino, Arguedeira.

Sem comentários:

Enviar um comentário