segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

O famoso pintor Leonardo da Vinci e os modelos

  
O famoso pintor Leonardo da Vinci comprometeu-se a pintar a Ceia do Senhor no refeitório do convento de Santa Maria da Graça, em Milão. E ele queria fazer daquele fresco uma obra prima, como afinal sucedeu, e para isso trabalhou com calma e rigor. Apesar da impaciência dos frades do convento, o quadro avançava muito lentamente.
 Para o rosto de Jesus, Leonardo tinha procurado durante meses um modelo que reunisse todos os requisitos necessários: um rosto que expressasse força e doçura ao mesmo tempo, espiritualidade e intensidade luminosa. . .
Por fim encontrou-o e deu a Jesus o rosto de Agnello, um jovem bem disposto, limpo e formoso, que tinha encontrado numa rua.
Anos depois, Leonardo começou a dar voltas pelos bairros de má fama de Milão e pelas tabernas e tugúrios mais corrompidos da cidade. Necessitava de um modelo para o rosto de Judas, o apóstolo traidor. Procurava o rosto que expressasse inquietude e pecado, o semblante de um homem disposto a entregar o melhor dos amigos. Depois de noites e noites entre bêbados e noctívagos de toda a ordem, Leonardo encontrou finalmente o homem que necessitava para pintar o seu Judas.
Levou-o para o convento e começou a copiar a sua cara. E o rapaz estava muito atento ao que saía dos pincéis do pintor. Daí a algum tempo, viu os olhos daquele homem cheios de lágrimas.
– O que se passa?, perguntou-lhe o pintor, cravando os olhos naquele rosto desfigurado.
– É que eu já lhe servi de modelo há uns anos para o rosto de Cristo!..

 

Fonte: aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário