domingo, 13 de março de 2011

Um pequeno projecto, para esta Quaresma, em três pontos simples

1. «Convertei-vos, a Mim”», diz o Senhor!
Mas o que é afinal esta conversão. de que tanto se fala?!Antes de mais, conversão significa e implica um «regresso a Deus», um «retorno à Casa do Pai» (Lc.15,17), e comporta, por isso, o desafio a fazer uma inversão de marcha, a voltar às origens, como quem procura, no deserto do silêncio e da palavra, a frescura e a doçura do primeiro amor (cf. Os.2,16)! Conversão, portanto, não é, em primeiro lugar, mudança de hábitos, de costumes, de procedimentos. Conversão é, primariamente, regresso a Deus, como fonte da vida, e que naturalmente tem por exigência uma mudança de mentalidade, e por consequência uma transformação do coração e da vida! Conversão implica, pois, sair de si mesmo, como centro do mundo, renunciar a viver de si e para si, para se deixar guiar e transformar por Deus!

2. Convertei-vos ao Senhor, vosso Deus (Joel 2,13)!_Conversão quer, por isso dizer, na prática, e em primeiríssimo lugar: «dai lugar a Deus, deixai Deus entrar na vossa existência, sem que nada se anteponha ou sobreponha a Ele! Só assim, Deus se tornará a razão primeira e a finalidade última da vossa vida»! Esta é a mudança que importa: não apenas mudar hábitos e atitudes, mas mudar as razões mais fundas e profundas do meu viver, deixar que sejam outros os fins últimos, que mandam e comandam a minha vida!

3. «Convertei-vos e acreditai no evangelho»! (Mc.1,15).
É Deus, em nós, por nós e connosco, que nos há-de converter! Neste sentido, a conversão não é uma realização nossa, como se cada um se tornasse o arquitecto, que forma a construção e embeleza a paisagem da sua própria vida. Não. A conversão consiste essencialmente, nesta decisão de renunciar a fazer-se pelas próprias mãos, para deixar Deus criar e a recriar a nossa vida! Trata-se, no fundo, de renunciarmos aos ídolos, às coisas que nos ocupam inteiramente a vida e abusivamente o coração, para nos convertermos ao Deus vivo e verdadeiro (cf. Act.14,15; I Tes.1,9)!

4. Era assim, para os adultos, que, nos primeiros séculos do cristianismo, se propunham, na Quaresma, a fazer a preparação final para celebrar o Baptismo, o Crisma e a Eucaristia, na noite de Páscoa! Há-de ser assim, para todos nós, que queremos, nesta Quaresma, regressar «às águas refrescantes» do Baptismo, para alcançar, na Páscoa o dom da vida nova! Deste modo, ficará mais claro que “o Baptismo não é um rito do passado, mas o encontro com Cristo que enforma toda a nossa existência, nos doa a vida divina e nos chama a uma conversão sincera, iniciada e apoiada pela graça de Deus” (adapt. MPQ2011, n.1).

5. Um símbolo, para esta caminhada: o cajado do Bom Pastor! É Ele que nos conduz às águas refrescantes do Baptismo, com o óleo do Crisma nos perfuma a cabeça, e para nós prepara a mesa da Eucaristia (cf. Salmo 22). O cajado remete-nos para a ideia da Quaresma, como uma peregrinação, um caminho de purificação no espírito(MPQ2011, introdução), em que vamos (re) percorrer as etapas da nossa iniciação cristã.Por outro lado, para a redescoberta das fontes da vida nova, procuraremos ligar ao cajado outros símbolos baptismais, como a concha da água, a vela e a veste do Baptismo!

Um pequeno projecto, para esta Quaresma,
em três pontos simples

1º Fixar, com realismo, um tempo de oração diária. Quando e como? Escolha um tempo curto e um lugar certo!

2º Definir uma forma concreta de partilha, seja de tempo, de serviço ou de dinheiro ou de tudo isto. Escolha quanto, quando e a quem!

3º Ver com humildade o aspecto da minha vida pessoal, que mais reclama mudança ou melhoria? Se a minha vida «está mais ou menos», então tenho de ver qual é esse «menos», em que preciso de mudar «mais».

Este é mesmo o primeiro e mais difícil passo da conversão: converter-me à necessidade de conversão! Daí o apelo radical: “Convertei-vos”! É de sempre e para todos!

2 comentários:

  1. ola antes de mais queria salutar a paroquia de tarouca pelas maravilhosas coisas que faz.o encontro de familias é uma das melhores formas de tarmos com deus e tambem falarmos com ele abertamente,tenho pena de nao poder tar presente porque tou no estrangeiro a tentar ter uma vida melhor.Este blogue está muito interesante principalmente para nós que estamos longe,é uma maneira de estarmos sempre informados do que se passa na nossa paróquia.por agora é todo muitos abraços para todos(principalmemte para a minha terra gondomar).

    ResponderEliminar
  2. Obrigado pela sua presença e comentário amigo.
    É principalmente pensando em todas as pessoas desta paróquia, quer residentes quer emigrantes, que existe este blog.
    Continuem a dar-nos a alegria da vossa presença e do vosso comentário.
    Todo o bem do mundo!
    Muita paz.

    ResponderEliminar