domingo, 27 de março de 2011

Terminou o Sagrado Lausperene 2011


Sagrado Lausperene. Começou no passado domingo em Teixelo (manhã) e Gondomar (tarde), prolongou-se por toda a semana em Cravaz, Valverde, Senhora das Necessidades, Arguedeira e Esporões. Continuou hoje no Lar(princípio da tarde) e na Igreja Paroquial (do meio da tarde até às 24 horas).

O maior espaço de tempo concedido à Igreja Paroquial visou não só a adoração dos cristãos de Tarouca e do Castanheiro do Ouro, mas também proporcionar oportunidade àqueles que, trabalhando durante a semana, não puderam estar nos seus povos quando o Senhor aí esteve exposto.

Em todo o lado, muita gente esteve edificantemente diante do Santíssimo Sacramento, tendo-se respeitado os diferentes tempos: oração comunitária e espaços de silêncio.

Num dos dias, uma pessoa, ainda nova, dizia-me no fim que a tinham marcado os momentos de silêncio, que fora uma experiência muito gratificante, que nem tinha palavras para a descrever.

Fantástico! Quando somos capazes de nos despojar e de nos entregar, Ele nunca nos deixa de mãos a abanar.

"Vinde a Mim todos vós que andais sobrecarregados e Eu vos aliviarei". Foi exactamente Ele quem o disse.

Houve um guião de oração comunitária. Valeu a pena. Ver todas as pessoas a participar, seguindo o livrinho é belo. Depois evitou-se a dispersão e o desfile de orações a gosto de cada um que não ajuda.

A piedade popular dos cristãos portugueses é muito marcada por três grandes devoções: ao Santíssimo Sacramento, à Virgem Maria e às Almas do Purgatório.

Se a devoção a Nossa Senhora se mantém, nalguns lados sentimos que, em relação ao Santíssimo Sacramento, já se nota algum esfriamento. O que não abona. Primeiro, porque a fé católica, como ensina Bento XVI, é acima de tudo uma fé eucarística. A Eucaristia é o ar e os pulmões da nossa fé. Segundo, porque não se pode amar Maria se não fizermos de Cristo o TUDO da nossa vida cristã. Foi Ela que no-lo disse quando afirmou no Evangelho: "Fazei tudo aquilo que Meu Filho vos disser". Pois. 'Quem meu filho beija, minha boca adoça', diz o povo.

Quanto à devoção às Almas do Purgatório, depende muito das comunidades. Nesta nunca foi um ponto forte. Em muitos lados, paganizou-se e virou consumismo. Muitas flores, muitas belas nos cemitérios, "porque não quero ficar atrás dos outros", mas pouca ou nula oração.

E Já Santo Agostinho dizia: "Se as flores murcham, se as velas se apagam, a oração recolhe-a Deus."

Em tudo precisamos de ser cristãos do essencial, aprofundar as razões de acreditar.

Ao terminar o Sagrado Lausperene, fica uma palavra de felicitação a todos os que foram, a todos os que convidaram outros para ir; a todos os que estiveram e marcaram pela sua fé.

Obrigado aos ministros extraordinários da Comunhão pela disponibilidade e pela ajuda. Obrigado aos responsáveis pelos vários templos pela forma como tudo prepararam. Obrigado aos dinamizadores das diversas comunidades.

2 comentários:

  1. Fiquei triste! Muito triste!...Então os paineis da quaresma exposto nas janelas demonstram falta de conhecimentos quaresmais? Eu que até ouvi o pároco de uma paróquia conceituada a elucidar os seus paroquianos que deveriam po-los á janela duranta a quaresma do lado roxo, e no domingo de pascoa do outro lado que é amarelo, aliás explicação que vinha também num pequeno folheto explicativo junto do próprio estandarte, dou comigo a pensar qual dos padres está correcto? Será que cada um estudou coisas diferentes dento na mesma religião? Quem será o ignorante?

    ResponderEliminar
  2. O que aqui se disse foi isto nas Eucaristias do último domingo:
    1. Os paineis com a imagem de Cristo Ressuscitado deveriam ser postos à janela na noite de Sábado Santo para Domingo de Páscoa.
    2. Se as pessoas quisessem colocar os paineis durante a Quaresma, que o fizessem com um motivo quaresnal.
    3. Nem tinha notado ainda a existência de paineis. Foram pessoas que me advertiram sobre a existência de paineis da ressurreição nas janelas de algumas casas em pleno tempo quaresmal.
    4. Acha que diz da fé esclarecida de alguém o facto de em plena quaresma ter um painel da Ressurreição à janela? É que, por esta lógica, também durante o tempo pascal poderá pôr um painel com um motivo quaresmal à janela da sua casa...
    4. Nunca disse, pelo contrário, que as pessoas não deveriam ter paineis às janelas. O que esclareci foi que cada tempo litúrgico tem os seus motivos próprios e que os sinais devem traduzir a mensagem litúrgica desses mesmos tempos.
    5. O cristão não tem medo, dá a cara, clara e frontalmente. Que tem o anonimato a ver a com o assumir da fé?
    6. Quando as pessoas não percebem bem ou discordam de alguma informação têm todo o direito de, educadamente e frente a frente, solicitar a devida explicação. O anonimato é que não revela sabedoria por aí além...
    7. O que o meu colega disse ou deixou dizer é com ele com a comunidade a que preside. Não é para aqui chamado. Cada paróquia, na fidelidade à doutrina da Igreja, tem o seu plano pastoral próprio.
    8. Não vejo - já que chamou aqui o caso - qualquer diferença entre o que diz que afirmou o meu colega e o que eu esclareci.
    Muita paz.
    P.e Carlos

    ResponderEliminar