domingo, 1 de abril de 2012

“A Cruz de Cristo, é o novo arco-íris, sinal de aliança e de paz, para o género humano e para o mundo inteiro”

1. O Senhor Deus abriu-nos e despertou-nos os ouvidos. E nós escutámos, como escutam os discípulos, a dramática história da Paixão de Jesus. Diante dos nossos olhos, passaram, como que numa galeria de quadros, os rostos de variadas pessoas, que se confrontaram com Jesus, no caminho da cruz! Todos e cada um deles, com uma resposta diferente: traindo ou acusando, negando ou entregando, magoando ou ferindo, ou então ajudando e olhando, acolhendo e compadecendo-se! Mas todos eles, estão diante de um Jesus, sempre igual e sereno, no seu comportamento, mesmo se a hostilidade e a violência vão aumentando, sempre e cada vez mais!
2. Eles vêm com espadas e varapaus, para o prender, mas Jesus só tem a arma cortante da Palavra, com que ensinava no Templo! Eles cospem-no, tapam-Lhe o rosto com o véu, dão-Lhe punhadas. E Jesus responde com a arma incómoda do silêncio, devolvendo os insultos, com um olhar de amor. Eles ferem Jesus, açoitam-no, impõem-lhe mesmo uma coroa de espinhos, batem-lhe na cabeça, tiram-lhe as vestes! E Jesus não dispara, com o seu arco de guerra, as flechas do ódio, da vingança, da raiva. Pelo contrário, “entrega-se às nossas mãos, deixando-se pregar numa cruz, estendo os braços, como sinal indelével da aliança”. E ali, exposto ao nosso olhar, deixa a nossa alma, “ferida de amor” (Ct.2,5)! Ali, morto na cruz, Jesus, o único Justo, dobra, move e comove o coração dos tementes a Deus, “para que os inimigos procurem entender-se, os adversários se dêem as mãos e os povos se encontrem na paz e na concórdia” (Prefácio da O.E.II da Reconciliação).
3. Assim, a nova arma, que Jesus coloca nas nossas mãos, é a Cruz, sinal de reconciliação e de perdão, sinal do amor, que é mais forte do que a morte. Por isso, o dissemos há pouco e repetimos: “A Cruz de Cristo, é o novo arco-íris, sinal de aliança e de paz, para o género humano e para o mundo inteiro”.
4. Esta semana, vivamos a aliança, com Jesus, seguindo-O, no caminho da Cruz. Todos os dias, comecemos por fazer bem o sinal da cruz, ao levantar e ao deitar. Cada vez que o fazemos, devemos recordar que não podemos opor-nos a uma injustiça com outra injustiça, a uma violência com outra violência; devemos recordar que só podemos vencer o mal com o bem! O discípulo de Jesus não responde ao mal com o mal, mas é sempre um instrumento do bem, arauto do perdão, portador da alegria. Se deixarmos o amor de Cristo transformar o nosso coração, então poderemos mudar o mundo.
5. Para isso, digamos, todos os dias:
Senhor,
fazei de mim,
um arco-íris de bem, de harmonia e d’esp’rança.
Ele será um sinal da vossa eterna aliança”!
Fonte: aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário