domingo, 8 de abril de 2012

Nesta manhã da Páscoa





1Depois do sábado, ao amanhecer do primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro. 2De repente, houve um grande tremor de terra: o anjo do Senhor desceu do céu e, aproximando-se, retirou a pedra e sentou-se nela. 3Sua aparência era como um relâmpago, e suas vestes eram brancas como a neve. 4Os guardas ficaram com tanto medo do anjo, que tremeram, e ficaram como mortos.
5Então o anjo disse às mulheres: “Não tenhais medo! Sei que procurais Jesus, que foi crucificado. 6Ele não está aqui! Ressuscitou, como havia dito! Vinde ver o lugar em que ele estava. 7Ide depressa contar aos discípulos que ele ressuscitou dos mortos, e que vai à vossa frente para a Galileia. Lá vós o vereis. É o que tenho a dizer-vos”.
8As mulheres partiram depressa do sepulcro. Estavam com medo, mas correram com grande alegria, para dar a notícia aos discípulos.
9De repente, Jesus foi ao encontro delas, e disse: “Alegrai-vos!”
As mulheres aproximaram-se, e prostraram-se diante de Jesus, abraçando seus pés. 10Então Jesus disse a elas: “Não tenhais medo. Ide anunciar aos meus irmãos que se dirijam para a Galileia. Lá eles me verão”.
(Mateus 28,1-10)
**************

A Páscoa na Paróquia
Pelas 7 horas e alguns minutos, inicia-se a Procissão da Ressurreição, acompanhada pela nossa Banda e integrando as 11 cruzes dos 11 giros pascais. Lá iam os "anjinhos", ainda bastante ensonados e, até por isso, mais belos.
Após a Bênção do Santíssimo Sacramento, teve lugar a Eucaristia da Ressurreição, após a qual teve lugar uma breve reunião com os elementos integrantes dos várias giros. De imediato começou a Visita Pascal. Cada giro levou o boletim Apelo como mensagem amiga da comunidade para as famílias.
Ao subir para a Eucaristia no Teixelo, fizeram-me companhia as foguetes que, agora aqui, depois acolá, iam acordando pessoas e a natureza. Terminada a Missa naquela povoação, também aí começou logo a visita.
O túmulo onde em Sexta-feira Santa havia sido sepultada a imagem de Cristo morto, apareceu, nesta manhã da Páscoa, festivo. As figuras ´davam-lhe sabor de Evangelho. Muito interessante.
À tarde as pessoas que integraram os giros vinham contentes, tudo tinha corrido bem, sem problemas. Óptimo! A Páscoa é a festa da alegria, da paz, do acolhimento, da esperança.

Sem comentários:

Enviar um comentário