quinta-feira, 19 de abril de 2012

Menina com cancro converte pessoas

--
Sempre me impressionou o testemunho de fé de algumas pessoas. Sobretudo quando, sujeitas a grande sofrimento e em risco de morte prematura, não esquecem que a morte é passagem para Deus.
Foi o que aconteceu há pouco tempo com uma menina de Seattle, Estados Unidos. Glória Strauss nasceu em 1996, tinha seis irmãos e levou uma vida completamente normal até aos 7 anos de idade. Era amável, alegre, carinhosa e muito piedosa. Gostava muito da oração do terço.
--
Numa entrevista à CatholicNewsAgency.com, seu pai Doug Strauss, recordou que no ano 2003 Glória foi atingida por uma bola no rosto e, quando a lesão desapareceu, ficou uma marca suspeita.

Os médicos diagnosticaram-lhe um cancro avançado conhecido como neuroblastoma e deram-lhe entre três meses e três anos de vida. Glória foi submetida a uma cirurgia e recebeu tratamentos de quimioterapia.

Um jornalista do "Seattle Times" interessou-se pelo caso e o seu primeiro artigo atraiu muitos leitores. O caso chegou aos meios de comunicação de todo o país, unindo milhares de pessoas numa grande cadeia de oração.

O testemunho de fé daquela criança foi impressionante. Dizia que gostava de ir viver com Jesus no Céu e a única pena que tinha era ver os pais e irmãos a sofrer.

Glória faleceu com 11 anos. E o pai diz que "ela ensinou a todos a maneira de levar a cruz. Deu-nos como presente seu próprio compromisso numa relação constante com Deus através da oração. Ela sempre disse sim a Deus".

Mais de três mil pessoas assistiram a seu funeral, a família começou a receber histórias de como o testemunho de sua filha tinha mudado vidas e tem conhecimento de pelo menos dez pessoas que se converteram ao catolicismo por conhecer a história de Glória. Hoje há sempre muita gente a visitar o seu túmulo e a pedir que ela peça a Deus por isto e por aquilo.

Com a ajuda de um empresário local, a família Strauss iniciou uma organização em memória de sua filha. Chama-se "Glória’s angels" e dedica-se a assistir a famílias que têm algum membro com uma enfermidade grave.

In O Amigo do Povo

Sem comentários:

Enviar um comentário