domingo, 4 de dezembro de 2016

Reunião Arciprestal

Na tarde de 4 de dezembro, reuniu o Arciprestado de Armamar/Tarouca no Lar de São João Baptista, Queimada, sob a presidência do Arcipreste, P.e Mergulhão.
Após a oração, deu-se início à ordem  trabalhos. Depois das informações do Conselho de Arciprestes, o Arcipreste chamou a atenção para o Plano Pastoral Diocesano e orientou uma reflexão sobre a Carta Pastoral do nosso Bispo que o contextua e fundamenta, tendo seguidamente focado os sacerdotes em algumas datas do Programa Pastoral Diocesano mais relevantes.
Seguidamente foi feita uma análise, pontos positivos e negativos, referente ao último Plano Pastoral Arciprestal.
Como pontos positivos, salientou-se:
- A implantação do Conselho Pastoral Arciprestal;
- A peregrinação à Lapa no contexto do Ano Santo da Misericórdia;
- A Jornada Diocesana da Juventude que se realizou em Santa Helena;
- O bom ambiente humano e sacerdotal existe entre os sacerdotes nas reuniões;
- O Dia Sacerdotal, etc.
Frisou-se ainda a necessidade de maior envolvência de todos, sacerdotes e leigos, na prossecução dos planos pastorais.
Foram marcados ainda a próxima reunião do Conselho de Pastoral Arciprestal para 8 de janeiro próximo e o Dia Sacerdotal para fevereiro. A respeito deste Dia Sacerdotal, os presentes sugeriram a temática a abordar bem como a pessoa a presidir à reflexão.
O P.e Adriano, responsável pela Pastoral Familiar, falou ainda da importância da formação de uma Equipa Arciprestal da Família.
Os sacerdotes trocaram opiniões e reflexões tendo sobre situações concretas com que se defrontam no dia-a-dia e a resposta pastoral que é precisar dar, tendo em conta a doutrina da Igreja e os sinais dos tempos. Os problemas que têm a ver com os batismos - mormente os padrinhos - e o matrimónio foram o centro do debate. Não faltou uma análise ao mundo de hoje e às respostas de que precisa.
Foi ainda lavrada em ata a congratulação do Arciprestado para com a Paróquia de São Pedro de Tarouca pela recente inauguração do Centro Paroquial Santa Helena da Cruz.
O encontro terminou com uma refeição fraterna.
Este encontro foi um momento bonito de comunhão sacerdotal. Pela partilha. Às vezes pela discussão mais acesa. Pela franqueza. Pelo espírito de Igreja. Pela vontade de servir melhor o Evangelho. Pela preocupação com aqueles que nos estão confiados. Pela amizade.

Sem comentários:

Enviar um comentário