sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

4 Dezembro 2016 – 2º Domingo do Advento – Ano A

Leituras: aqui
Na nossa caminhada para o Natal, a Liturgia desse domingo convida-nos a  despir-nos dos valores efémeros e egoístas que muitas vezes nos fascinam, para dar lugar em nós aos valores do Reino de Deus.  

As Leituras bíblicas apresentam duas figuras típicas do DVENTO:
ISAÍAS e JOÃO BATISTA
Na 1ª Leitura, ISAÍAS apresenta um Enviado de Javé, descendente de Davi, com a missão de construir um Reino de Justiça e Paz. (Is 11,1-10)
É uma das maiores profecias do Antigo Testamento referentes ao Messias, com que o profeta reaviva a esperança do seu povo, diante das ameaças do imperialismo dos assírios.
O Poema dá as características:
 - Será descendente de DAVID (Jessé é Pai de David)
    "Naqueles dias, do tronco de Jessé sairá um ramo e um rebento da sua raiz".
- Será animado pelo ESPÍRITO de Deus: (Como na Criação)
    Sobre ele pousará o Espírito do Senhor: Espírito de sabedoria e inteligência, de conselho e de fortaleza, de conhecimento e de temor de Deus,(de piedade).
      * É esta a origem da nossa lista dos 7 dons do Espírito Santo.
- Será portador da JUSTIÇA e da PAZ: "Trará justiça para os humildes..."
   Haverá a reconciliação da Criação: voltará a harmonia perdida    entre o homem e a natureza, entre os animais selvagens e domésticos....
* Jesus é o "messias"  que veio tornar realidade o sonho do profeta.
   Ele iniciou esse "Reino" novo de justiça, de harmonia, de paz sem fim...
   Cheio do Espírito de Deus, ele passou pelo mundo convidando os homens  a se tornarem "filhos de Deus" e a viverem no amor e na partilha.
   - Mas a profecia está longe de sua completa realização.
     O Reino novo trazido por Jesus só poderá estabelecer-se  a partir de nossa conversão pessoal, familiar e comunitária.

Na 2ª Leitura, Paulo exorta os cristãos de Roma a viverem no amor, dando testemunho de união, de amor, de partilha, de harmonia, a fim de que louvem a Deus, com um só coração e uma só alma. (Rm 15,4-9)

No Evangelho, JOÃO BASTISTA anuncia que esse Reino está próximo, mas para que se torne realidade precisa de  COMVERSÃO. (Mt 3,1-12):
- Personalidade: É uma figura impressionante, que fascina o povo.
   Tem um estilo de vida austera: no vestir, no comer, no falar, no morar... Vive no "DESERTO", lugar das privações, do despojamento, mas também lugar tradicional dos encontros entre Deus e Israel.
- Mensagem: É um Apelo à CONVERSÃO
   "Convertei-vos, porque o Reino dos céus está próximo..."
   "Preparai o caminho do Senhor: endireitai as veredas para ele."
- Reação ao Anúncio:
   - O Povo simples: reconhece seus erros e pede o Batismo...
   - Os Fariseus e Saduceus: vão ao encontro de João por curiosidade apenas... e são desmascarados: "Raça de cobras venenosas... produzi frutos que a conversão exige e   vos iludaais a si mesmos, dizendo: 'Abraão é nosso Pai' ".
- O Batismo de João: consistia na imersão na água do rio Jordão  para as pessoas que aderiam a esse apelo de conversão.
  Significava o arrependimento, o perdão dos pecados e a agregação ao povo fiel.
  Mas ele avisa, que aquele que vem depois dele "batizará no ESPÍRITO SANTO e no fogo..."
- Portanto o Batismo de Jesus vai muito além do batismo de João:
  Confere, a quem o recebe, a vida de Deus e torna-o filho de Deus;
  incorpora-o à Igreja e torna-o participante da missão da Igreja no mundo...
- É um quadro de vida completamente novo, uma relação de filiação com Deus e de fraternidade com Jesus e com todos os outros batizados.
  É um SACRAMENTO.

+ A Voz de João Batista continua convidando à CONVERSÃO...
Não é possível acolher "aquele que vem" se o nosso coração estivercheio de egoísmo, de orgulho, de auto-suficiência, de preocupação com os bens materiais.
Se quisermos celebrar a vinda do Senhor e participar do seu Reino,
devemos preparar o caminho, mudar o nosso coração.
Nesse itinerário, não há espaço para a hipocrisia.
Não bastam as aparências, apenas dizer que somos cristãos porque recebemos o batismo.
A Conversão deve ser comprovada pela ação.

+ Os Frutos de conversão comprovam a autenticidade da nossa conversão:
Não bastam alguns sentimentos religiosos... ou algumas práticas piedosas...
Precisamos apresentar frutos de conversão: Paz, Fraternidade, Justiça...
- Quais os caminhos tortos, que devemos endireitar?
- Quais os frutos de conversão que Deus está esperando de nós,   neste Advento, em preparação ao Natal ?
- Estamos convencidos de que, se não dermos esse passo, nunca será Natal em nós, nem mesmo no dia 25 de dezembro?
  Deus espera que tenhamos a coragem de dar esse passo!...                                               Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa -04.12.2016

Sem comentários:

Enviar um comentário