domingo, 10 de abril de 2011

Eu não tenho pecados!

- Eu confesso-me a Deus directamente, não preciso de me ir confessar ao padre! - dizia alto e bom som aquela senhora, com a arrogância que a ignorância inflaciona.
O colega que isto ouviu, respondeu-lhe serenamente:
- Está bem! Então peça a Deus que lhe dê a Sagrada Comunhão!...

- Confessar-me para quê? Não mato nem roubo, não tenho pecados... - referia com ar de quem despacha a questão aquele homem.
- Ah, sim!? Então vamos fazer mais uma peanha para a nossa Igreja. Temos mais um santo... - respondeu com ironia um seu companheiro de cartas.
- Isso não, pá! Também tenho as minhas coisas... Não sou nenhum santo!

- Confessar-me a um homem como eu!? Estás doido ou quê? Os padres ainda são mais pecadores... - referia o cavalheiro, confiado em que a melhor defesa é o ataque.
- Tens razão! Só Deus perdoa os pecados. Mais nenhum homem o pode fazer. Mas diz-me uma coisa: ' Quem te dá a água que tens em casa? É o cano?'
- Essa agora! A água vem do depósito. O cano apenas a transporta para as nossas casas.
- E já reparaste que esse cano está enterrado, rodeado de lama, sujo, ferrugento?
- Bem me importa a mim! Logo que me traga a água em condições para casa...
- Pois, é como na confissão. Deus é esse depósito de graça e de perdão. O padre é o cano através do qual o perdão de Deus me chega.
- Uhm! És capaz de ter razão... Vou pensar nisso.

- Eu nem sei que vou fazer à confissão! Os meus pecados são sempre os mesmos...
- desabafava aquela senhora para a sua amiga.
- Olha, amiga! Tu só lavas as tuas toalhas e a tua roupa quando têm nódoas grandes?
- Ó mulher, vira para lá essa boca! Eu sou uma pessoa asseada. Gosto de lavar a minha roupa frequentemente...
- Então é como na confissão. Mesmo que não tenhamos pecados mortais, precisamos de "lavar a alma" frequentemente, recebendo o perdão de Deus que nos branqueia a vida.
- Pois, isso eu entendo. Mas os pecados são sempre os mesmos!...
- Não te esqueças que faz parte da confissão o propósito firme de emenda... Não é só fazermos o exame de consciência, dizermos os nossos pecados ao confessor e cumprirmos a penitência... Precisamos de olhar para dentro de nós, descobrirmos o que é mais urgente corrigir e comprometermo-nos, confiados na ajuda divina, a lutar para para corrigirmos esse aspecto menos bom da nossa vida....
Já viste? É como um escadório... Não se sobem as escadas todas de uma passada, mas escada a escada.
- Sim, mas às vezes não consigo levar em frente o meu compromisso, sou fraca.... Sabes como é!
- Deus não vê como os homens. Estes ligam à aparência; Deus julga pelo coração. Se cem vezes caíres no mesmo pecado, mas cento e uma vez lutares para dele saíres, estás a caminho do Reino de Deus.

Sem comentários:

Enviar um comentário