sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Francisco não disse que é preferível ser ateu do que cristão hipócrita

ANDREAS SOLARO/AFP
Alguém poderia me explicar que bruxaria foi feita para que a homilia do Papa desta quinta-feira (23 /Maio/2017) fizesse com que o Papa declarasse que “É melhor ser ateu do que um católico hipócrita” ?
Hoje, fomos inundados por uma avalanche de noticias: O Papa declarou que é melhor ser ateu do que católico hipócrita. Me impressionei com a incisão das palavras do pontífice. Palavras certeiras mas que poderiam induzir a uma complacência com o ateísmo. Poderia justificar-se o ateísmo tendo em vista da má vida dos fiéis? Eis a pergunta que a grande imprensa quis incutir na mente dos leitores.
– A frase tem sentido, avisa o desavisado. Sim, se bem compreendida, tem sentido. No entanto, sou impelido a ressaltar: Não se trata da frase ser correta ou errada, mas ser exatamente o que foi dito ... me perdoem os informais, mas eu costumo exigir dos redatores que o conteúdo que está entre aspas seja exatamente o que foi dito. Senão fica parecendo que qualquer um senta numa redação e escreve o que lhe convém. Nós sabemos que é assim, mas não façam de uma forma que a brincadeira passe a ser constrangedora. Tendo em vista a credibilidade da grande mídia, preferi esperar a publicação da homilia pela Santa Sé. Fingi estar surpreso enquanto Surpresa: A palavra ‘ateu’ aparece apenas simplesmente uma vez na homilia e, olhem que coisa surpreendente: Não tinha o sentido laicista que a grande mídia divulgou. O Papa disse:
“Quantas vezes já ouvimos na rua ou em outros locais alguém dizer: “Para ser católico como aquele é melhor ser ateu!” É isto o escândalo, que destrói, que manda abaixo.”
Leia a homilia completa em italiano clicando aqui. 
Expliquem-me, dona imprensa, qual foi a mandinga que foi feita para o Papa declarar isso?
Renato Aquino, aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário