quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Em torno da visita do Papa Francisco a Fátima


 

Foto de Santuário de Fátima.
O Papa Francisco estará, como é do conhecimento público, na Cova da Iria de 12 a 13 de maio de 2017, na sua primeira visita ao santuário português, em peregrinação, como anunciou o Vaticano passado mês de dezembro. A nota enviada, a 16 de dezembro, à agência Ecclesia pela Nunciatura Apostólica (representação diplomática da Santa Sé) em Portugal referia:

“Por ocasião do Centenário das Aparições da Bem-Aventura Virgem Maria na Cova da Iria, e acolhendo o convite do presidente da República e dos bispos portugueses, Sua Santidade o Papa Francisco irá em peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima de 12 a 13 de maio de 2017”.

Comentando esta informação, o Padre Manuel Barbosa, secretário-geral e porta-voz da CEP (Conferencia Episcopal Portuguesa) declarava que a presença do Papa nas celebrações centenárias de 12 e 13 de maio “é uma alegria, uma interpelação e uma bênção”, explicitando:

“Uma alegria, tão acentuada pelo Papa Francisco na sua forma de viver e no seu magistério pastoral, que brota do Evangelho e está bem presente na mensagem de Fátima; uma interpelação, porque o Papa Francisco nos tem dito de forma clara, e virá com certeza reafirmar-nos com a sua tão simples mas significativa presença, que somos Igreja missionária, à maneira de Maria qual primeira discípula missionária e evangelizadora”.

Por seu turno, a 15 de dezembro pp., o Conselho de Ministros aprovou “um conjunto de medidas excecionais e transitórias que permitirão à administração central e ao Município de Ourém proceder à contratação de bens e serviços no âmbito da visita do Papa a Fátima”.

***

Hoje, dia 10 de fevereiro, o Padre Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima, que assume a função de coordenador geral da visita do Papa, apresentou, em conferência de imprensa, alguns detalhes do evento, como o lema, a imagem gráfica e os demais coordenadores da visita.

O lema da visita é “Com Maria, peregrino na esperança e na Paz”, tendo-o o Padre Cabecinhas justificado nos termos seguintes:

“O Papa virá em peregrinação ao Santuário de Fátima, para rezar com os peregrinos que o acompanham aqui e pelos meios de comunicação social. É por vontade expressa do Papa que assim acontece. O Papa vem para rezar em Fátima, com os portugueses, neste santuário que é o coração espiritual de Portugal, como disse o Papa Bento XVI.”.

O sacerdote referiu que a visita papal “pretende ser ação de graças para o dom que é Fátima para a Igreja e para o mundo, no centenário” e permitirá fazer “ouvir a voz profética do Papa, sendo que “a expectativa é de que sejam muitos a vir a Fátima para o ver e rezar com ele”.

Segundo o também coordenador geral da visita papal, os preparativos, em conjunto com o Estado Português e as demais entidades envolvidas, estão a decorrer “em bom ritmo”. O mesmo assegurou que a escolha do tema da Paz para o lema permite unir o pontificado de Francisco à Mensagem de Fátima, pois “a Paz liga-nos ao Papa, ao seu pontificado e também à Mensagem de Fátima, daí esta conjugação”.

Na memória descritiva do cartaz oficial da visita, Francisco Providência, designer autor do logótipo, revela que pretendia “que o coração (em vez da cruz) pudesse caraterizar mais o amor misericordioso do Pai do que o sofrimento redentor do Filho”, pelo que o terço surge envolvido numa forma de coração, que também se liga ao Coração Imaculado de Maria.

Acentua que a visita do Papa foi caraterizada com a ideia do Coração Imaculado de Maria, através dum desenho de coração, que se pudesse vincular mais “ao vazio recetor de Maria, do que à inflamação passional que muitas vezes simboliza, propondo, por isso, a construção geométrica da figura em dupla elipse simétrica e convergente”. E esclarece:

“A intenção projetual foi a de traduzir, pela comunicação gráfica, um Papa mensageiro da misericórdia e da paz, tão simples e acessível como o Santo que lhe deu nome, mas associando a sua visita ao Santuário Mariano de Fátima, recorrendo para isso aos seus sinais mais universais – coração e rosário”.

Sobre os peregrinos, o reitor do Santuário afirma que “não sabe” quantos estarão, mas garante que todos serão bem acolhidos, dado que “haverá lugar para todos, para participar de algum modo na celebração, mesmo que não estejam no recinto”. Para o efeito, o recinto vai ser equipado com ecrãs gigantes em várias localizações, nos espaços anexos ao Santuário.

Sobre a especulação havida com o alojamento em Fátima, com quartos a serem alugados por milhares de euros, o Padre Cabecinhas apontou a existência de “especulação excessiva” e demonstrou preocupação com o facto. A este respeito, evidenciou a postura do Santuário:

“Preocupa-nos a especulação à volta dos alojamentos com a vinda do Papa. Não é praticada de forma geral, mas há uma ou outra situação de especulação excessiva. O santuário optou por, nas suas casas de acolhimento, que são limitadas, não fazer qualquer atualização de preço. Mais do que isso não me parece que possamos fazer.”.

Segundo o reitor do Santuário, a peregrinação aniversária internacional seguirá o horário habitual das grandes celebrações que decorrem de maio a outubro. No âmbito da preparação da visita papal, a CEP designou o Padre Vítor Coutinho, vice-reitor da instituição, como coordenador da Comissão de Acompanhamento dos Media e o Padre Joaquim Ganhão, da Diocese de Santarém, como coordenador da Comissão de Liturgia. Este sacerdote, atual diretor do Museu Diocesano de Santarém e do Secretariado de Liturgia desta diocese, é representante da CEP no Conselho Pastoral do Santuário de Fátima.

***

Como ficou entredito acima, o Santuário de Fátima apresentou também hoje a imagem gráfica e a identidade visual da visita de Francisco, a 12 e 13 de maio, que estará disponível em vários suportes e no cartaz oficial do evento. Assim, a imagem acompanhará toda a comunicação da visita do Papa, seja no site, que brevemente será colocado on line, seja nas redes sociais.

Em declarações aos jornalistas, o reitor do Santuário de Fátima, coordenador geral da visita papal, frisou que a nova imagem gráfica pretende retratar o “estilo de simplicidade e clareza” caraterizador do Papa Francisco. A imagem é, como ficou dito, da autoria do designer Francisco Providência e apresenta o desenho dum coração, em contas do rosário rematadas por uma cruz, e com inscrição no interior “Papa Francisco – Fátima 2017” comportando ainda o lema da visita “Com Maria, Peregrino na Esperança e na Paz” e o logótipo das comemorações do centenário das aparições. A esta nova imagem gráfica surge associada, no cartaz, uma fotografia do Papa Francisco com um sorriso rasgado,  a acenar com a mão esquerda. O designer explica:

“Procurámos valorizar a proximidade física e simpática do Papa, que, a sorrir, acena com a mão num gesto de saudação e bênção”.

***

Apesar de o Reitor não saber quantas pessoas estarão em Fátima a 12 e 13 de maio, o balanço de 2016 faz antever muitas peregrinações em Ano Jubilar do Centenário das Aparições.


Com efeito, no encontro anual de hoteleiros, promovido pelo Santuário de Fátima, foram apresentadas as estatísticas referentes ao ano de 2016, que levam a antever um Ano Jubilar cheio de peregrinos. Um dos objetivos do encontro é dar a conhecer o programa e a vida do Santuário de Fátima. Nele participaram vários agentes económicos de Fátima e autarcas. 

Dom António Marto, bispo da diocese de Leiria-Fátima, no encerramento deste encontro, a que presidiu, evocou a solenidade do 100.º aniversário das aparições como uma “data marcante que merece ser evocada”, visto que as aparições de Nossa Senhora aos três pastorinhos foram “um fator de renascimento espiritual”.

Reiterando que “Fátima é uma bênção”, que foi, é e será uma bênção, para Portugal e para a Igreja, sustenta que “ é de salientar a vinda de Sua Santidade, o Papa Francisco, um peregrino entre peregrinos”, pois na história de Fátima o Sumo Pontífice é “figura particular”.

E contra a especulação, o prelado apelou à “honestidade” nos preços praticados durante a visita do Papa, frisando “Cuidemos de ser acolhedores” e esperando que a celebração do centenário seja “marcante, quer para os peregrinos que aqui vêm e esperam um bom acolhimento, quer para aqueles que estão aqui com a tarefa e missão de os acolher”. E recomendou:

“Que haja peso e medida em tudo e neste aspeto. Senão, damos uma má imagem de nós mesmos”.

Por sua vez, o reitor do Santuário de Fátima, durante o encontro, desafiou os 85 hoteleiros e as 11 entidades presentes à “vivência de Fátima”.

Sobre o aumento de peregrinos, o Padre Cabecinhas diz que acarreta “responsabilidades, pois, como acolhedores, os operadores devem “proporcionar uma experiência intensa e feliz”.

Comparando dados de janeiro de 2016 e 2017, o aumento é notório: houve, por exemplo, mais 24 grupos estrangeiros (40 em 2016 e 64 em 2017), o que dá mais 7347 peregrinos estrangeiros em peregrinações organizadas. O Santuário registou em todas as suas celebrações (oficiais e particulares) de 2016 um total de 5,3 milhões de pessoas, na sua maioria portugueses, que continuam a vir ao Santuário individualmente. Destes, só 693 mil o fazem inseridos em peregrinação organizada e registada no Serviço de Peregrinos do Santuário de Fátima. No entanto, o número de peregrinos que rumou ao Santuário em 2016 integrado em peregrinações aumentou, tal como o número de peregrinações. Registaram-se mais 6 peregrinações e com mais 106 mil peregrinos comparativamente com 2015. É de referir que estes números incluem a visita aos espaços museológicos do Santuário, sobretudo a exposição temporária no Convivium de Santo Agostinho, no piso inferior da Basílica da Santíssima Trindade, que regista adesão significativa dos peregrinos, tal como as Casas dos Pastorinhos e num total de quase um milhão de pessoas (996 mil). Estas visitas mostram o gosto pela cultura e pela história do Santuário e seus protagonistas – gosto que se traduz na busca dos peregrinos bem como dos investigadores e dos jornalistas. Assim, em 2016, foram acreditados pela Sala de Imprensa 400 profissionais de comunicação e o Serviço de Estudos e Difusão apoiou 157 investigadores ou projetos de investigação. São números que traduzem o interesse que Fátima desperta mercê do alargamento da oferta cultural e formativa através dos cursos sobre a mensagem de Fátima, que já vão na 12.ª edição, e através dum curso de verão para jovens investigadores em ciências sociais ou mesmo do curso livre que decorre na UCP, em Lisboa, sobre o acontecimento de Fátima.

***

Também o Cardeal Patriarca de Lisboa se referiu ao figurino da visita papal, que não inclui Lisboa. Francisco disse, no dia 20 de novembro pp., a Dom Manuel Clemente que deseja vir “só a Fátima” em maio de 2017: “Eu quero ir a Fátima, só a Fátima, ver a Senhora”.

Segundo o Cardeal, “o Papa gosta de Portugal como gosta de todos os povos do mundo, mas ele quer é ir a Fátima, só a Fátima”. E porfiou: “Se o Papa não vier a Lisboa, vai Lisboa a Fátima”.

***

Que a visita do Papa reforce os créditos proféticos da Igreja em Portugal e torne a nossa sociedade mais tolerante, mais próxima e mais justa e fraterna. Prosit!

2017.02.10 – Louro de Carvalho

Sem comentários:

Enviar um comentário