quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Santa Helena, rogai por nós!

Santa Helena, empregada de hospedaria,
intercedei junto do Pai
por tanta gente sem trabalho, sem futuro, sem esperança;
olhai para tantos trabalhadores
vistos como mercadoria e não como pessoas;
vede tantos, novos e mais velhos,
que emigram
porque o seu país não lhes oferece oportunidade
de trabalho, pão e realização...
Reparai na aflição de pessoas
cujos ordenados são de miséria!
Despertai a dignidade naqueles
que desprezam o trabalho
e se dedicam ao parasitismo


Santa Helena, esposa repudiada
por Constâncio Cloro,
defendei o matrimónio
e o seu projecto de amor uno, fiel e indissolúvel.
Vós que soubeste manter a dignidade sofrida
perante os interesses políticos
que vilipendiaram o amor,
olhai para tantos esposos de coração desfeito
pelo orgulho, egoísmo, ciúme, incompreensão e superficialidade.
Educadora lúcida de Constantino
que Vos reconheceu mais tarde
tanto amor que lhe destes,
entusiasmai os pais de hoje
para que eduquem no amor e para os valores,
que nunca usem os filhos como arma de arremessos
nas suas dissensões conjugais.
Fazei que os esposos sintam
que quem nunca sofreu nunca cresceu,
porque a cruz é chamada a explodir
num amor vitorioso, novo, ressuscitado.


Santa Helena, imperatriz,
que vistes reconhecido o amor doado,
pelo filho que gerastes,
lembrai-vos de tantos pais esquecidos, abandonados, ingratificados
pelos filhos a quem tanto deram.
Vós que na corte fostes paz, harmonia, moderação e sabedoria
frente ao boato, intriga e conspiração reinantes,
purificai os nossos ambientes
políticos, socais, eclesiais e familiares
e tornai-os saudáveis, verdadeiros, humanos.
Vós que levastes para o poder a vossa consciência cristã,
entusiasmais os cristãos de hoje
a levarem para a política, a empresa, o sindicato
os valores cristãos que tecem a dignidade humana.


Santa Helena, peregrina da Terra Santa,
que com vetusta idade
caminhastes para descobrir a Cruz do Salvador,
fazei-nos compreender a nossa vocação
e não permitais que nos esqueçamos
que somos peregrinos da Casa do Pai,
que digamos sempre à nossa cruz
que temos um grande Deus.
Librai-nos da tentação
do desalento, da desistência, do abandono.
Dizei aos nossos idosos
que cada idade tem o seu encanto
e que só somos inúteis
quando desistimos de viver.


Santa Helena, construtora de basílicas,
despertai nos leigos a viva vontade
de assumirem a sua vocação batismal.
Que eles sintam a Igreja que são,
e vivam com paixão
a sua missão no mundo e na Igreja.
Que eles não sejam 'carroças'
mas 'motores'.
Vós, leiga santa,
fazei que os leigos de hoje
não tenham medo da sua vocação
à santidade.
Que queiram oração, formação e ação
para que por eles Cristo chegue
às periferias existenciais.

Sem comentários:

Enviar um comentário