sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Eu sou do contra



Há pessoas pelo mundo fora que são do contra, vivem do contra e sem o contra não são nada ou são pouco. Vivem para mostrar como são do contra. Muitos deles dedicam-se a escrever ou a comentar e usam o que lhes vier à cabeça para mostrar que são contra. Porque se assim não fosse não seria assunto. Quem é que gosta de ler textos ou vidas que assumidamente sejam sempre uma ratificação do que se disse ou fez?! O que é mesmo interessante é ser do contra. Basta recordar como sobrevivem alguns programas de televisão denominados reality-shows. Quem for mais do contra mais conta. Há gente que vive com o contra e sem ele não eram sequer tidos na devida conta.
Falo isto porque já cansa tanta gente que é contra isto ou aquilo da Igreja, que é contra isto ou aquilo do Papa, que é contra aquilo que a Igreja fez ou faz, que é contra os malfadados padres. Ora bolas, mas se não gostam, se não concordam nem querem nada com estas coisas, como afirmam desmesurada e despudoradamente, porque ocupam tanto tempo das suas vidas com elas?
É caso para dizer que ser do contra está na moda. É caso para dizer, embora não queira ser autor da afirmação, que estamos na época do contra. Porque nos é permitido dizer tudo o que nos apetece, bora lá fazer uso desta possibilidade, mesmo que seja sem dar a cara. Ou então damos a cara para que todos saibam do poder que temos porque somos do contra. Afinal, se posso ser do contra, porque é que havia de não ser coisa nenhuma?
Quer-me parecer que há muita gente pelo mundo fora a fazer vida à custa da Igreja, mesmo que seja só por ser contra ela.
E já que me é permitido dizer o que me apetece, hoje quero dizer que também sou do contra. Contra esta gente que está sempre contra.
Fonte: aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário