sexta-feira, 10 de março de 2017

12 Março 2017 – 2º Domingo da Quaresma – Ano A

Leituras: aqui

A Cruz da Solidão

1.- Estamos a viver o segundo domingo da Quaresma.

2. – Nesta Quaresma estamos empenhados em ligar a nossa vida a Jesus Cristo, a partir das dificuldades do nosso dia a dia.

3.- Esta semana queremos ter em conta uma realidade muito presente nos nosso viver, que de uma ou de outra maneira nos toca a todos: a solidão.

1.- Sim! A solidão!

2.- Quantas pessoas sós! Quantas pessoas a enfrentarem sozinhas situações complicadas na vida.

3.- Há momentos em que a solidão nos pode surpreender mais dolorosamente.

1.- Aquela mãe perdeu o filho ainda tão novo. E ficou uma grande ferida no seu coração. Uma ferida que custa a curar. Ninguém sente a dor daquele vazio como ela.

2.- Aquele homem perdeu a esposa; aquela mulher perdeu o marido. E lá ficam os últimos anos da vida carregados de solidão…

3.- Foi a criança, o adolescente, o jovem… Perderam o pai, ou a mãe, ou os pais… Tão cedo… Apesar de tanta gente amiga e de muitas ajudas, às vezes sentem-se muito sozinhos a enfrentar a vida.

Todos: A solidão é uma cruz. É pesada a cruz da solidão.

1.- Estas situações de solidão facilmente as percebemos. Mas há outros tipos de solidão, que podem ser também bem dolorosas.

2.- Sim! Por exemplo a solidão dos justos que se esforçam pelo bem e são maltratados.

3.- A solidão de quem erra e se sente rejeitado. A solidão de quem feriu ou se sente ferido pelo coração do amigo que lhe fez tanto bem.

1.- A solidão de quem está no meio de muita gente, mas pressente que está só. Poucos amigos tem.

2.- A solidão de quem tem de tomar decisões difíceis para o bem de todos na fidelidade à sua consciência.

3.- A solidão de quem está a abrir caminhos novos, de futuro.

1.- A solidão da vida em família, quando as pessoas habitam o mesmo espaço físico, mas os corações parecem distantes.

2.- A solidão dos lares desfeitos, que deixam corações magoados e ressentidos e põem os filhos a andar do pai para a mãe e da mãe para o pai, buscando migalhas de segurança e carinho.

Todos: A solidão é uma cruz. É pesada a cruz da solidão.

3.- Na verdade, a solidão é uma realidade na nossa vida. Mas estará ele condenada a destruir-nos? Tornará ela fatalmente a nossa vida demasiado dura e pesada?

Todos: Não! Sabemos que não! Há um outro modo de olhar a solidão.

1.- Precisamos de momentos em que nos sintamos a “sós”. É importante para mergulharmos no sentido mais profundo da nossa existência.

2.- O estar a “sós” pode ajudar-nos a:

3.- amadurecer na nossa identidade como pessoas;

2.- percecionar melhor o valor dos outros e a reconhecer a sua importância benfazeja na nossa vida;

3.- a reconhecer e aceitar melhor os nossos limites e fragilidades;

2. - a acolher e interiorizar melhor a Deus como a grande e fiel presença amiga em todas as situações da vida.

Todos: A solidão é uma cruz. É pesada a cruz da solidão. Mas pode transformar-se em caminho e salvação.

1.- Ao olhar a Palavra de Deus deste domingo, podemos pensar em algum tipo de solidão vivida por Abraão, ao ter de deixar a sua terra e os seus parentes para construir vida noutro país, segundo as indicações de Deus. Mas teve em Deus sempre a grande companhia.

2.- Podemos pensar na solidão de Paulo e Timóteo em situação de sofrimento por causa do Evangelho. Ouvimos Paulo a dizer: “Caríssimo: Sofre comigo pelo Evangelho, apoiado na força de Deus…”

3.- Podemos pensar também na solidão presente na vida de Jesus e dos Apóstolos Pedro Tiago e João e na experiência feliz de Deus, na transfiguração de Jesus, que os faz exclamar: “ Senhor, que bom seria ficarmos aqui!”

 Todos: Amigos! Há um olhar novo sobre a solidão. Há uma Boa Nova que vem de Jesus.

1.- O sentir-se “só” e o estar a “sós” fazem parte da nossa condição humana. Jesus também viveu essa experiência.

2. – Também Ele experimentou o peso e a riqueza da solidão.

3.- Mas há uma garantia que Ele nos oferece: a cruz da nossa solidão também pesa sobre Ele. É Ele a grande ajuda para aliviar o peso da solidão.

Todos: Jesus é companhia na cruz do dia a dia.

1.- Jesus dá-nos uma certeza: Se aceitarmos levar com Ele a Cruz da Solidão, ela transformar-se-á em Cruz da Ressurreição.

2.- Ajudemo-nos uns aos outros a tornar mais leve o peso da solidão. Tenhamos mais confiança em Deus.

Todos: A dor da solidão há de levar-nos à alegria da comunhão. A Cruz da Solidão, há de ser a Cruz da Ressurreição.

Sem comentários:

Enviar um comentário