segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Quando o mar do mundo se encapela, e, no barco da vida, já sem vela, não nos resta sequer uma ilusão…

Jesus acalma a tempestade
Se “quem canta ora duas vezes”, quem declama um soneto ao Cristo Senhor talvez ore pelo menos “uma vez e meia”… Matemáticas à parte, já que só a intensidade da fé realmente importa na oração, o fato é que há canções e poemas de fé que certamente ajudam a elevar ainda mais a alma a Deus. Afinal, toda beleza criada é um reflexo da Beleza Eterna.
Ao rezarmos pelos nossos irmãos migrantes e refugiados que se arriscam mar afora em fuga de guerras e desesperos, podemos recitar este soneto que nos lembra o episódio da tempestade acalmada por Jesus…


Sobre as Ondas
Era noite. O alto mar se enfurecia…
Para o barco veloz que à morte avança,
Não restava uma simples esperança
De incólume rever a luz do dia…

Entre as brumas, porém, da noite fria
Aparece uma sombra, calma e mansa…
Era um fantasma? – Não! – era a bonança
Que em Jesus, como bênção, se anuncia.

Inda hoje o mar do mundo se encapela;
E, no barco da vida, já sem vela,
Não nos resta sequer uma ilusão…

Mas – Senhor! – sobre as ondas revoltadas,
Volta a trazer às almas torturadas
O consolo da tua salvação!

Mário Barreto França (1909 – 1983), aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário