domingo, 30 de julho de 2017

30 de julho - Dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas

Resultado de imagem para Dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas
“Chaga aberrante”
O Papa Francisco associou-se hoje no Vaticano à celebração do Dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas, promovido pela ONU, considerando que o negócio com seres humanos representa uma “chaga aberrante”.
“Desejo apelar ao compromisso de todos para que esta chaga aberrante, uma forma de escravatura moderna, seja adequadamente combatida”, disse, perante milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro para a recitação da oração do ângelus.
Francisco recordou que todos os anos “milhares de homens, mulheres e crianças” são “vítimas inocentes” desta exploração “laboral e sexual”, caindo também nas mãos de redes de “tráfico de órgãos”.
“Parece que nos habituamos a considerar tudo isso como algo normal. Isto é feio, é cruel, é criminoso”, alertou.
O Papa pediu aos presentes para rezarem juntos a Nossa Senhora “para que apoie as vítimas do tráfico e conversa os corações dos traficantes”, antes de recitar com eles uma Avé-Maria.
Acesso “legal e seguro”
A Cáritas Europa também assinalou a celebração do Dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas, que acontece anualmente a 30 de julho, e pediu acesso “legal e seguro” para os migrantes que chegam ao continente.
Segundo a organização católica, esta seria a “chave” para travar o tráfico humano, que considera uma “chaga” a que a Europa precisa de responder.
“Cada criança e adulto apanhados na armadilha desta forma moderna de escravatura, enjaulados no medo, abuso e medo, é uma vítima a mais”, refere o comunicado da Cáritas, divulgado através da página da organização.
Portugal tem também um aumento
no número de pessoas vítimas de tráfico humano
A Cáritas Portuguesa associa-se à celebração, recordando, num comunicado enviado à Agência ECCLESIA, as situações vividas por crianças que viajam não acompanhadas, em situação de grande vulnerabilidade e instabilidade.
"Portugal tem também um aumento no número de pessoas vítimas de tráfico humano e a Cáritas tem sido chamada a intervir", assinala a instituição.
Agência Ecclesia


Sem comentários:

Enviar um comentário